Menu
2019-05-06T09:51:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
vida difícil

Inflação entre famílias de baixa renda sobe 0,73 em abril, revela FGV

As passagens de ônibus urbanos e os medicamentos substituíram os alimentos no papel de vilões da inflação ao consumidor de baixa renda

6 de maio de 2019
9:49 - atualizado às 9:51
Consumo
Imagem: shutterstock

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) subiu 0,73% em abril, informou na manhã desta segunda-feira, 6, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em março, o indicador já havia registrado alta de 0,67%.

O IPC-C1 mensura o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre um e 2,5 salários mínimos.

Em abril, o IPC-C1 ficou acima da variação da inflação média apurada entre as famílias com renda mensal entre um e 33 salários mínimos, obtida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), que teve alta de 0,63% no mês. No acumulado em 12 meses, a taxa do IPC-BR foi inferior, aos 5,19%.

A inflação de alimentos, que puxou a aceleração dos índices de preços ao consumidor nos primeiros meses do ano, já começou a pesar menos na leitura de abril do IPC-C1. O grupo Alimentação desacelerou de 1,23% em março para 0,76% em abril.

No movimento de desaceleração, a FGV chamou atenção para o item arroz e feijão (de 6,20% em março para -0,80% em abril). Ainda assim, o tomate (alta de 28,88% em abril) e a cebola (13,11%) seguiram em alta firme.

As passagens de ônibus urbanos e os medicamentos substituíram os alimentos no peso da inflação ao consumidor de baixa renda. Aceleraram as taxas de variação das classes de despesa Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 1,08%) e Transportes (1,27% para 1,67%).

Os destaques nessas classes foram os itens medicamentos em geral (0,09% para 1,68%) e tarifa de ônibus urbano (0,87% para 2,12%).

Na passagem de março para abril, também aceleraram as classes Despesas Diversas (-0,15% para 0,24%), Educação, Leitura e Recreação (0,10% para 0,35%), Vestuário (0,61% para 0,71%) e Comunicação (-0,06% para -0,02%).

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fenômeno da internet

O ataque dos memes: Conheça 5 ações de empresas “quebradas” que mexem com Wall Street

O caso mais famoso foi o da GameStop, mas outras empresas que não contam com fundamentos sólidos vêm passando por movimentos de valorização estimulados por fóruns de internet

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies