A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-05-06T09:51:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
vida difícil

Inflação entre famílias de baixa renda sobe 0,73 em abril, revela FGV

As passagens de ônibus urbanos e os medicamentos substituíram os alimentos no papel de vilões da inflação ao consumidor de baixa renda

6 de maio de 2019
9:49 - atualizado às 9:51
Consumo
Imagem: shutterstock

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) subiu 0,73% em abril, informou na manhã desta segunda-feira, 6, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em março, o indicador já havia registrado alta de 0,67%.

O IPC-C1 mensura o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre um e 2,5 salários mínimos.

Em abril, o IPC-C1 ficou acima da variação da inflação média apurada entre as famílias com renda mensal entre um e 33 salários mínimos, obtida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), que teve alta de 0,63% no mês. No acumulado em 12 meses, a taxa do IPC-BR foi inferior, aos 5,19%.

A inflação de alimentos, que puxou a aceleração dos índices de preços ao consumidor nos primeiros meses do ano, já começou a pesar menos na leitura de abril do IPC-C1. O grupo Alimentação desacelerou de 1,23% em março para 0,76% em abril.

No movimento de desaceleração, a FGV chamou atenção para o item arroz e feijão (de 6,20% em março para -0,80% em abril). Ainda assim, o tomate (alta de 28,88% em abril) e a cebola (13,11%) seguiram em alta firme.

As passagens de ônibus urbanos e os medicamentos substituíram os alimentos no peso da inflação ao consumidor de baixa renda. Aceleraram as taxas de variação das classes de despesa Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 1,08%) e Transportes (1,27% para 1,67%).

Os destaques nessas classes foram os itens medicamentos em geral (0,09% para 1,68%) e tarifa de ônibus urbano (0,87% para 2,12%).

Na passagem de março para abril, também aceleraram as classes Despesas Diversas (-0,15% para 0,24%), Educação, Leitura e Recreação (0,10% para 0,35%), Vestuário (0,61% para 0,71%) e Comunicação (-0,06% para -0,02%).

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

A Itaúsa (ITSA4) esperou até o último dia da temporada de balanços para revelar os números do segundo trimestre. E a paciência dos investidores não foi recompensanda: a companhia lucrou R$ 3 bilhões, uma queda de 12,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) sobre o […]

BALANÇO

Resultado da Méliuz (CASH3) piora e empresa de cashback registra prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no segundo trimestre

15 de agosto de 2022 - 19:07

Os papéis da Méliuz amargam perdas de 87% no ano, mas entraram no mês de agosto em tom mais positivo, com ganho mensal de 7%

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magazine Luiza (MGLU3) dá a volta por cima, XP vai às compras e futuro do ethereum; confira os destaques do dia

15 de agosto de 2022 - 18:52

Há pouco mais de dois meses, quando conversei com diversos analistas e gestores de mercado sobre as expectativas para o segundo semestre, poucos foram aqueles que apostaram nos setores de grande exposição à economia doméstica como boas alternativas para a segunda metade do ano.  Não que empresas ex-queridinhas como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e […]

ACIONISTAS FELIZES

Dividendos: Itaúsa (ITSA4) pagará JCP adicional e data de corte é nesta semana; veja como receber

15 de agosto de 2022 - 18:47

Vale lembrar que, após a data de corte, as ações serão negociadas “ex-direitos” e passarão por um ajuste na cotação referente aos proventos já alocados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies