Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-08T10:16:39-03:00
Estadão Conteúdo
Indicador

IGP-DI de fevereiro fica em 1,25%, ante alta de 0,07% em janeiro, revela FGV

Resultado ficou dentro do intervalo das projeções do mercado financeiro, que estimavam uma alta entre 0,87% e 1,40%, com mediana positiva de 1,15%

8 de março de 2019
10:16

O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou elevação de 1,25% em fevereiro, ante um aumento de 0,07% em janeiro, divulgou nesta sexta-feira, 8, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado do indicador ficou dentro do intervalo das projeções do mercado financeiro, que estimavam uma alta entre 0,87% e 1,40%, com mediana positiva de 1,15%, de acordo com as instituições ouvidas pelo Projeções Broadcast.

Com o resultado, o IGP-DI acumulou uma elevação de 1,32% no ano. A taxa acumulada em 12 meses ficou em 7,73%.

A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI. O IPA-DI, que representa o atacado, teve avanço de 1,79% em fevereiro, após a redução de 0,19% registrada em janeiro. O IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve um aumento de 0,35% em fevereiro, ante um aumento de 0,57% em janeiro. Já o INCC-DI, que mensura o impacto de preços na construção, apresentou alta de 0,09% em fevereiro, após uma elevação de 0,49% em janeiro.

O período de coleta de preços para o índice de fevereiro foi do dia 1º ao dia 28 do mês.

IPAs

Os preços dos produtos agropecuários no atacado medidos pelo IPA Agrícola subiram 4,38% em fevereiro, após a queda de 0,88% em janeiro, dentro do IGP-DI. Já os produtos industriais, mensurados pelo IPA Industrial, subiram 0,95% em fevereiro, depois de uma alta de 0,04% no atacado em janeiro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram elevação de 1,77% no mês passado, ante aumento de 0,32% em janeiro.

Os preços dos bens intermediários cresceram 0,16% em fevereiro, após diminuírem 0,53% anteriormente. Os preços das matérias-primas brutas registraram alta de 3,85% em fevereiro, depois da redução de 0,38% em janeiro.

Núcleo do IPC-DI

O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna (IPC-DI) de fevereiro subiu 0,35%, após um aumento de 0,30% em janeiro, segundo a FGV. O núcleo do IPC-DI é usado para mensurar tendências e calculado a partir da exclusão das principais quedas e das mais expressivas altas de preços no varejo. Ainda de acordo com a FGV, o núcleo acumulou uma elevação 0,65% no ano. A alta em 12 meses foi de 3,85%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

seu dinheiro na sua noite

Semana termina da mesma forma que começou: com os olhares do mundo voltados para a China

Ainda que as perdas registradas nesta sexta-feira (24) tenham sido mais modestas do que as da última segunda-feira (20), a semana termina da mesma forma que começou — com os olhares do mundo voltados para a China. Os analistas e especialistas diminuíram as apostas de que uma eventual falência da incorporadora chinesa Evergrande possa se […]

Entrevista com o CEO

Gasolina cara? Não dá para fazer milagre com preço dos combustíveis, diz presidente da Ipiranga

Para Marcelo Araujo, questões conjunturais como o câmbio e a alta das commodities afetam a subida dos preços neste momento

fique de olho

Dividendos: TIM paga R$ 137,5 milhões em juros sobre capital próprio

pagamento ocorre no dia 27 de outubro, sendo a data de 29 de setembro de 2021 como aquela que servirá para identificar os acionistas com direito a receber os valores

BLINK!

Via Varejo (VIIA3) é uma oportunidade de compra? Evergrande foi apenas um susto? Entenda esses e outros assuntos no BLINK!

Você já sabe que toda sexta-feira tem dois compromissos marcados: o happy hour e o encontro com Felipe Miranda, CIO e estrategista-chefe da Empiricus. Como sempre, ele responde perguntas feitas pelos seus seguidores de forma descontraída. Confira, afinal: sextou

FECHAMENTO DA SEMANA

Problemas na China minam apetite por risco dos mercados globais e pressionam o dólar, mas Ibovespa fecha a semana em alta de 1,65%

O alívio dos mercados com a gigante chinesa durou pouco, e o Ibovespa voltou a fechar o dia no vermelho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies