Menu
2019-04-30T09:18:00-03:00
Estadão Conteúdo
ainda em dificuldade

Confiança do setor de serviços cai 0,9 pontos em abril ante março, revela FGV

Índice no ano registra perda acumulada de 2,5 pontos; segundo a FGV, o resultado mostra que o setor ainda encontra dificuldades no início do segundo trimestre

30 de abril de 2019
9:18
Comércio
Imagem: Fotos Públicas

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) caiu 0,9 ponto na passagem de março para abril, registrando 92,1 pontos, na série com ajuste sazonal, informou nesta terça-feira, 30, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com a queda do ICS em abril, o índice no ano registra perda acumulada de 2,5 pontos. Segundo a FGV, o resultado mostra que o setor ainda encontra dificuldades no início do segundo trimestre.


"Ao contrário do que aconteceu nos últimos meses, a queda em abril foi influenciada por uma piora da percepção com o momento presente, enquanto o indicador de expectativas ficou relativamente estável. Nesse contexto, o resultado ainda não sugere uma reversão da tendência de recuperação do setor, mas o ritmo lento de atividade ainda deve persistir", analisa Rodolpho Tobler, economista da FGV Ibre.

De acordo com a FGV, o Índice de Situação Atual (ISA-S) recuou 2,1 pontos, atingindo 87,2 pontos, menor nível desde outubro de 2018 (86,6 pontos).

Os dois quesitos que compõem o ISA-S contribuíram negativamente no mês de abril. O indicador de volume de demanda atual diminuiu 2,6 pontos, para 86,6 pontos, e o indicador situação atual dos negócios caiu 1,5 ponto, para 87,9 pontos. Ambos retornam a níveis menores desde outubro de 2018.

No caso do IE-S, que mede a expectativa, houve relativa estabilidade, considerando a variação positiva de 0,2 ponto no mês, que passou para 97,1 pontos. O indicador de demanda prevista nos próximos três meses foi o que contribuiu para o resultado positivo do IE-S, ao avançar 0,8 ponto, para 95,7 pontos. Já o indicador de tendência dos negócios nos próximos seis meses diminuiu 0,3 ponto, para 98,5 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) do setor de Serviços recuou 1,3 ponto porcentual, para 81,7%, devolvendo grande parte da a alta do mês anterior (1,5).

Pelo terceiro mês consecutivo, o indicador que mede o Emprego Previsto recuou 1,3 ponto, para 104,9 pontos, acumulando perda de 5,1 pontos. Diante da frustração quanto ao rumo da economia, os empresários vêm calibrando as suas expectativas e reduzindo a intenção de contração nos próximos meses.

Em abril, a parcela de empresas com intenção de aumentar o total de pessoal nos três meses seguintes ficou em 17,5%, o menor porcentual desde novembro de 2018 (17,4%).

A edição de abril de 2019 coletou informações de 1907 empresas entre os dias 01 e 25 deste mês.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies