Menu
2019-12-11T19:29:15-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
altas do dia

Ações de Kroton e Estácio sobem forte após MEC ampliar ensino a distância no País

Medida tende a reduzir os custos de ambas as empresas; segundo um analista, entra na conta dos investidores a perspectiva de melhora da economia

11 de dezembro de 2019
13:58 - atualizado às 19:29
fachada de faculdade da Estácio
Fachada de faculdade da Estácio - Imagem: Liz Guimarães/Estadão Conteúdo

As ações da Cogna (antiga Kroton) e da Yduqs (anteriormente chamada de Estácio) lideram os ganhos do Ibovespa nesta quarta-feira (11) após o governo ampliar o ensino a distância (EAD) no País.

O Ministério da Educação (MEC) divulgou uma portaria permitindo que até 40% da carga horária dos cursos superiores presenciais no Brasil sejam ofertados na modalidade EAD. O limite anterior era de 20%.

As ações ON da Cogna (COGN3) fecharam o pregão desta quarta em alta de 7,08%, sendo negociadas a R$ 11,95. Os papéis da Yduqs (YDUQ3) avançaram 4,25%, a R$ 44,15. No ano, a alta de cada uma é de 36,32% e 89,27%, respectivamente.

A medida anunciada pelo governo tende a reduzir os custos de ambas as empresas. Segundo o analista da Guide Investimentos, Luis Sales, entram na conta dos investidores a perspectiva de melhora da economia, que avançou 0,6% no terceiro trimestre. 

"A gente começa a enxergar um momento mais favorável, passado o período de reestruturação pós-Fies [programa de financiamento estudantil do governo federal, vitrine das gestões do PT]", diz o especialista. 

O EAD foi a saída que as gestões de Cogna e Yduqs encontraram para tentar suprir a baixa do Fies. No passado, ambas cresceram embaladas por recursos do programa federal. Mas, com a crise financeira, os recursos do governo minguaram, e a inadimplência dos alunos aumentou. 

Além de investirem em EAD, Cogna e Yduqs também trocaram de nome — anteriormente se chamavam Kroton e Estácio, respectivamente. 

Não são só as medidas do governo federal que afetam os papéis dessas empresas. Em março deste ano, a ameaça do presidente Jair Bolsonaro de uma "Lava Jato da educação" fez as ações das companhias que oferecem cursos superiores caírem em torno de 2% em um dia.

Em novembro, o governo recuou da ideia de uma investigação de gestões anteriores do Ministério da Educação — que nesse meio-tempo também trocou de comando, com a entrada do economista Abraham Weintraub.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Efeito reverso

Elon Musk fez piada sobre o Dogecoin na TV aberta — e as cotações desabaram

Elon Musk fez a aguardada participação no SNL no último sábado, fazendo piada sobre si mesmo e falando do Dogecoin — mas a cotação caiu forte

Pesquisa da FGV

Presente mais caro: inflação do Dia das Mães é a maior dos últimos quatro anos

Levantamento da FGV mostra que a inflação no Dia das Mães é a maior desde 2017; eletrodomésticos e passagens aéreas tiveram maiores saltos

Expansão

SPX Capital assume operações do Carlyle no país

As operações do Carlyle no Brasil serão absrovidas pela SPX Capital. Com isso, a gestora de Rogério Xavier se expande em private equity

ESTRADA DO FUTURO

Um pé no abismo e outro na casca de banana: como identificar ações de empresas decadentes

Excesso de otimismo, planos mirabolantes e desprezo pela inovação estão entre as receitas para uma empresa falhar, segundo o gestor que se dedicou a descobrir empresas terríveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies