Menu
2019-08-20T14:45:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
a tv da maçã

Serviço de streaming da Apple deve ser lançado em novembro deste ano

Batizada de Apple TV+, plataforma disputará público da Netflix com Disney e Warner; mensalidade deve custar US$ 9,99, segundo a Bloomberg

20 de agosto de 2019
11:58 - atualizado às 14:45
Jeniffer Aniston sentada em frente a um fundo de jornal
Imagem: Divulgação/Apple

A Apple deve lançar seu serviço de streaming em novembro, disse a agência Bloomberg nesta segunda-feira, 19. A empresa planeja, em um primeiro momento, colocar à disposição um pequeno catálogo e expandí-lo nos meses seguintes.

Na manhã desta terça-feira, as ações da companhia negociadas na Nasdaq estão em leve alta, de 0,5%, a US$ 211,40. Acompanhe em detalhes este dia dos mercados na nossa cobertura.

Batizada de Apple TV+ , a plataforma será mais um serviço de assinantes da companhia que tem (ou terá) em seu portfólio a Apple Music, Apple Arcade, Apple News+ e o iCloud.

O jornal Financial Times já havia divulgado que empresa investiu até agora US$ 6 bilhões em programas originais - bastante acima do orçamento inicialmente anunciado, de US$ 1 bilhão. Entre as produções iniciais estão “Amazing Stories,” “See”, Truth Be Told” e “The Morning Show" - estrelado por  Jennifer Aniston, Reese Witherspoon e Steve Carell.

Apesar de oficialmente não haver um preço para o serviço, a imprensa norte-americana diz que o acesso a plataforma deve custar US$ 9,99 por mês (equivalente a cerca de R$ 40), após um período gratuito de testes.

Segundo fontes ouvidas pela Bloomberg, a empresa considera oferecer os primeiros três episódios de alguns programas, seguidos de capítulos lançados semanalmente.

A estratégia é um pouco diferente daquela que consagrou a Netflix, referência entre esse tipo de plataforma, que costuma disponibilizar todos os episódios de uma vez.

A Netflix, aliás, vem tendo que lidar com um mercado ansioso por conta dos rumores da entrada de novos concorrentes no campo do streaming. Além da Apple, Disney, Warner e a NBC/Comcast já anunciaram planos para colocar no ar suas plataformas.

Além da maior concorrência, há também o fator conteúdo: as rivais devem retirar conteúdos próprios que hoje estão na Netflix para usarem em seus canais.

No ritmo

Vale lembrar que a Apple vem de um bom momento. A companhia capitaneada por Tim Cook reportou um conjunto de números relativamente sólido no segundo trimestre deste ano.

Mesmo com uma queda nas vendas de iPhones, a empresa reportou um aumento nas receitas geradas com iPads, iMacs e serviços. As perdas na China, com a guerra comercial, não foram tão grandes quanto o imaginado por analistas.

A receita líquida da Apple chegou a US$ 53,8 bilhões no trimestre encerrado em junho, cifra 1% maior que a contabilizada no mesmo período de 2018, de US$ 53,3 bilhões. O resultado ficou ligeiramente acima da média das estimativas de analistas consultados pela Bloomberg, que apontava para receita de US$ 53,35 bilhões.

Por outro lado, o lucro líquido da empresa da maçã caiu 12,8% na mesma base de comparação, para US$ 10,04 bilhões. O lucro por ação, métrica que é acompanhada mais de perto pelos analistas lá de fora, ficou em US$ 2,18 — abaixo dos US$ 2,34 vistos há um ano.

Mas, apesar da queda na comparação anual, o lucro por ação ainda ficou acima das projeções dos analistas, que esperavam um ganho de US$ 2,10, também de acordo com a média calculada pela Bloomberg.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

É para quando?

Ainda vai levar “algum tempo” para início da redução de estímulos econômicos, defende dirigente do Fed

James Bullard enfatizou que a retirada começará apenas quando a instituição tiver registrado um avanço “substancial” em direção a suas “métricas”.

Embarque imediato

Depois de incorporação, acionistas da Smiles aprovam saída do Novo Mercado

Além disso, assembleia votou a destituição do conselho de administração e a eleição de novos membros, inclusive do presidente

Procuram-se semicondutores

Falta de chips adia recuperação da indústria automobilística

O setor deve perder a chance de recuperar mercado no segundo semestre, período em que tradicionalmente se vendem mais carros

Mais uma na bolsa

Investindo no banco de investimentos: BR Partners sobe forte na estreia na bolsa

A BR Partners, banco de investimentos independente, concluiu seu IPO e estreou na bolsa nesta segunda — e a recepção do mercado foi boa

Tela azul

O “selo Buffett” no Nubank, a falha da Coca-Cola com CR7 e uma fraude no setor de tecnologia; confira os destaques da edição #37 do Tela Azul

Richard Camargo, André Franco e Vinícius Bazan comentam os principais assuntos no mundo das techs em papo descontraído e reforçam o convite para o evento que vai revelar as ações de tecnologia mais promissoras do momento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies