Menu
2019-05-28T16:53:17-03:00
Estadão Conteúdo
DÍVIDA INTERNA E EXTERNA

Dívida pública federal cai 1% e fecha abril em R$ 3,878 trilhões, diz Tesouro

Correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 28,80 bilhões em abril, quando houve um resgate líquido de R$ 69,36 bilhões.

28 de maio de 2019
11:17 - atualizado às 16:53
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

O estoque da dívida pública federal (DPF) caiu 1,00% em abril, a R$ 3,878 trilhões. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 28, pelo Tesouro Nacional. Em março, o estoque estava em R$ 3,917 trilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) caiu 1,09% e fechou o mês passado em R$ 3,723 trilhões.

Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 1,03% maior, somando R$ 155,29 bilhões no quarto mês do ano.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 28,80 bilhões em abril, quando houve um resgate líquido de R$ 69,36 bilhões.

12 meses

A parcela da DPF a vencer em 12 meses subiu de 16,41% em março para 15,92% em abril, segundo o Tesouro Nacional. O prazo médio da dívida subiu de 4,15 anos em março para 4,22 anos no mês passado.

O custo médio acumulado em 12 meses da DPF passou de 9,79% ao ano em março para 9,77% ao ano em abril.

Estrangeiros

Os estrangeiros aumentaram a participação na dívida pública brasileira em abril . A fatia dos investidores não-residentes no Brasil no estoque da DPMFi subiu de 12,24% em março para 12,50% no mês passado, somando R$ 465,43 bilhões, segundo os dados divulgados pelo Tesouro Nacional. Em março , o estoque nas mãos de estrangeiros estava em R$ 460,88 bilhões.

O grupo previdência foi o maior detentor de papéis do Tesouro, com a participação passando de 24,15% em março para 25,56% no mês passado.

A parcela das instituições financeiras no estoque da DPMFi teve queda de 22,33% em março para 21,65% em abril. Os fundos de investimentos reduziram a fatia de 27,24% para 26,12% em abril. Já as seguradores tiveram aumento na participação de 3,98% para 4,02%.

Composição

A parcela de títulos prefixados na DPF caiu de 32,01% em março para 30,16% em abril. Os papéis atrelados à Selic, por sua vez, aumentaram a fatia, de 35,86% para 36,95%.

Os títulos remunerados pela inflação subiram para 28,70% do estoque da DPF em março, ante 28,01% em abril. Os papéis cambiais elevaram a participação na DPF de 4,11% em março para 4,19% no mês passado.

Os porcentuais de papéis atrelados a índices de preços e à Selic não estão cumprindo as metas do Plano Anual de Financiamento (PAF) para este ano, enquanto o restante está enquadrado.

O intervalo do objetivo perseguido pelo Tesouro para os títulos prefixados em 2019 é de 29% a 33%, enquanto os papéis remunerados pela Selic devem ficar entre 38% a 42%. No caso dos que têm índices de preço como referência, a meta é de 24% a 28% e, no de câmbio, de 3% a 7%.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies