Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-06-21T19:06:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
banco quer transparência

Não mais uma ‘caixa-preta’? BNDES testa tecnologia do bitcoin

Em busca de transparência, instituição vem fazendo as primeiras experiências com uso do blockchain, o registro de dados introduzido pelo bitcoin

3 de junho de 2019
10:27 - atualizado às 19:06
Blockchain bitcoin
Blockchain começou a ser usado com o bitcoin, mas hoje pode ser aplicado a várias inciativas. - Imagem: Shutterstock_

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vem fazendo as primeiras experiências com uso da tecnologia "blockchain", o registro de dados introduzido pelo bitcoin que usa criptografia e hoje é aplicado em diversos segmentos da economia.

Com as iniciativas, o banco espera ampliar a transparência nas operações financeiras. As experiências envolvem algumas das mais questionadas áreas de atuação do BNDES e de outros órgãos públicos, como patrocínio do cinema via renúncia fiscal, apoio financeiro a ONGs ambientais e financiamento a governos estaduais.

Entre as iniciativas, está o BNDESToken, que parte de uma espécie de moeda própria e já teve duas provas de conceito. O projeto é desenvolvido por funcionários de tecnologia da informação (TI) do banco e está previsto para junho.

O BNDESToken também tem a parceria da produtora de cinema Elo Company, que fez a animação O menino e o mundo, de Alê Abreu, indicada ao Oscar. A Elo participou de uma prova de conceito.

Para fazer o piloto (que acompanha o sistema em paralelo a uma operação real) o software da equipe de TI do banco está passando por ajustes.

"Justamente no momento em que se questionam as prestações de contas e se pede mais transparência, o blockchain vem responder a essa demanda (da sociedade)", diz Sabrina Nudeliman, presidente da Elo Company.

O BNDES também já fez três testes, em projetos financiados pelo Fundo Amazônia, com o TruBudget, uma ferramenta de blockchain desenvolvida pelo KfW, o banco de fomento da Alemanha.

Em vez de dinheiro, tokens

Em linhas gerais, o token substitui o dinheiro nas transações, como um voucher - cada unidade do BNDESToken equivale a R$ 1,00. Em vez de transferir dinheiro para o cliente, o BNDES transfere tokens.

O cliente, por sua vez, paga seus fornecedores com esses tokens. A transação é completada quando o fornecedor vai ao BNDES e troca os tokens por reais, recebendo o pagamento do banco e não da empresa contratante.

Com todos os envolvidos (banco, cliente, fornecedores, órgãos de controle) dentro do sistema de blockchain, cada transação fica registrada e é possível criar regras para as transferências.

Se a verba de patrocínio de uma produção de cinema tem um limite de gastos com alimentação, por exemplo, apenas a quantidade de tokens equivalente a esse teto poderá ser usada para pagar empresas do setor, evitando desvios de finalidade.

Waze do dinheiro público

Na prova de conceito, a Elo Company simulou o pagamento de quatro roteiristas na fase inicial do desenvolvimento de um documentário. A produtora entrou na experiência por causa da Ancine. Uma equipe da agência procurou o banco no ano passado, quando soube das experiências com a tecnologia.

"É um Waze do dinheiro público, no qual conseguimos acompanhar para onde vai, onde engargala, qual sua velocidade", diz Daniel Tonacci, assessor da diretoria da Ancine, comparando o sistema ao aplicativo de navegação.

Além de, às vezes, ser questionada pelo TCU, a prestação de contas costuma dar dor de cabeça para os produtores, que têm de juntar notas fiscais para comprovar cada gasto feito.

Já a Ancine fica responsável por checar - cerca de 25 funcionários se dedicam à prestação de contas no órgão federal. Na Elo Company, dois funcionários de um total de 30 ficam inteiramente dedicados a isso e, para cada produção, é contratada uma pessoa responsável pela controladoria.

Meio ambiente

Projetos apoiados pelo Fundo Amazônia, criado em 2008 pelo governo federal, passa por questões semelhantes. O fundo faz financiamentos não reembolsáveis em projetos de prevenção e combate ao desmatamento na Amazônia.

Nesse caso, o BNDES está adaptando o sistema TruBudget, criado pelo KfW, para controlar suas operações em países africanos.

O sistema é diferente do BNDESToken porque não inclui transferências de recursos - cada agente registrado no software informa suas operações de pagamento e transferências, apenas para prestar contas. A meta é incluir no TruBudget todos os 103 projetos apoiados pelo Fundo Amazônia.

"Vai ser mais difícil para as entidades que trabalham errado fazerem gestões irregulares", diz Luiz Cruz Villares, superintendente administrativo-financeiro da ONG Fundação Amazonas Sustentável (FAS), criada pelo Bradesco e pelo governo estadual do Amazonas, beneficiária de um projeto que testou a versão adaptada do TruBudget.

Corrente de blocos

A tecnologia do blockchain só surgiu para que o bitcoin pudesse ser criado, ainda em 2008. Ela é uma rede que coloca as transações em uma cadeia contínua num elo chamado 'hash'. Forma-se assim um registro que não pode ser alterado - do contrário, se desmancha toda a cadeia.

O blockchain começou com o bitcoin, mas hoje é usado por diferentes moedas e outros segmentos da economia.

*Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

em família

Sobrinho-neto do bilionário Warren Buffett supera Berkshire Hathaway no ano

Ações da Boston Omaha, holding de capital aberto co-liderada pelo sobrinho-neto do bilionário, Alex Buffett Rozek, estão batendo os papéis da Berkshire Hathaway

novo serviço

Grupo pão de Açúcar vai fazer entrega para lojistas de seu marketplace

No próximo ano, a companhia passará a oferecer a possibilidade de que os lojistas virtuais armazenem produtos nos centros de distribuição do GPA

inovação

Varejo online agora quer conquistar a fronteira da venda de produto fresco

A partir do mês que vem, começa a funcionar no País uma startup mexicana de tecnologia do setor de supermercados que vai explorar exatamente esse filão

Clube do livro

Ajuste fiscal pode ser dolorido no início, mas é necessário; entenda mais no novo livro de Fabio Giambiagi, “Tudo sobre o déficit público”

Nova obra do economista do BNDES evidencia que atingir um equilíbrio orçamentário no país é essencial para o desenvolvimento em termos econômicos e sociais

em busca de recursos

AES Brasil (AESB3) aprova oferta pública e pode captar até R$ 1,8 bilhão

De acordo com a AES Brasil, o objetivo da oferta é acelerar seu plano de crescimento, com foco na diversificação do portfólio por meio de fontes complementares à hídrica, além de potencializar a criação de valor para os acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies