Menu
2019-05-29T06:49:55-03:00
ato simbólico

Vinte e nove senadores registram voto a favor de Coaf com Moro

Entre os parlamentares que insistiram em registrar seu posicionamento apesar de a votação do destino do Coaf ter sido simbólica, estão seis senadores do Podemos, seis do PSD e três do PSDB

29 de maio de 2019
6:49
Plenário do Senado
Presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), conversa com parlamentares. - Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado

Após o Senado aprovar a reforma administrativa tirando o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e devolvendo o órgão para o Ministério da Economia, 29 senadores fizeram questão de registrar o voto favorável à manutenção do órgão com o ministro Sergio Moro.

Os nomes foram citados em plenário pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). A votação ocorreu após apelo do governo para que o Senado aprovasse o mesmo texto que passou pela Câmara e evitasse que a medida provisória perdesse a validade - o que poderia ocorrer no próximo dia 3.

Entre os parlamentares que insistiram em registrar seu posicionamento apesar de a votação do destino do Coaf ter sido simbólica, estão seis senadores do Podemos, seis do PSD e três do PSDB (confira a lista completa abaixo).

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Após a sessão, o presidente do Senado comemorou a votação e fez questão de lembrar que, se o item sobre o Coaf fosse para votação nominal, 30 votos entre os 78 senadores presentes não seriam necessários para reverter o cenário. "Quanto é 30 de 78? Como tem maioria? Eram 48 contra 30", disse. Questionado sobre o líder do PSB, Jorge Kajuru (GO), que protestou contra o Senado "carimbar" o texto da Câmara, Alcolumbre comentou que o parlamentar goiano "precisa entender que o presidente da República fez um apelo para o Senado".

Senadores que registraram posicionamento a favor de manter o Coaf no Ministério da Justiça:

Rodrigo Cunha (PSDB-AL)
Plínio Valério (PSDB-AM)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Jorge Kajuru (PSB-GO)
Leila Barros (PSB-DF)

Fabiano Contarato (Rede-ES)
Randolfe Rodrigues (Rede-ES)
Flávio Arns (Rede-PR)

Omar Aziz (PSD-AM)
Angelo Coronel (PSD-BA)
Arolde de Oliveira (PSD-RJ)
Otto Alencar (PSD-BA)
Carlos Viana (PSD-MG)
Sérgio Petecão (PSD-AC)

Eduardo Girão (Pode-CE)
Alvaro Dias (Pode-PR)
Lasier Martins (Pode-RS)
Styverson Valentim (Pode-RN)
Rose de Freitas (Pode-ES)
Oriovisto Guimarães (Pode-PR)

Dário Berger (MDB-SC)
Simone Tebet (MDB-MS)
Luiz do Carmo (MDB-GO)

Marcos do Val (Cidadania-ES)
Alessandro Vieira (Cidadania-ES)

Jorginho Mello (PL-SC)
Espiridião Amin (PP-SC)
Telmário Mota (PROS-RR)
Reguffe (sem partido-DF)

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Seu Dinheiro Premium

Os segredos da bolsa: ações de dois setores têm uma semana intensa pela frente

A agenda econômica doméstica continua no centro das atenções do mercado, mas diversos eventos no exterior podem trazer volatilidade à bolsa

De olho nos desbancarizados

Fintech do Santander, Superdigital quer ser a conta dos MEI e das classes C e D

Banco digital de bancão, a Super dá lucro, cobra tarifa e não se volta para os millenials descolados. Foco são os desbancarizados e, sobretudo, as folhas de pagamento dos grandes empregadores.

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Fórum Econômico Mundial

Guedes, Doria e Huck sobem a montanha mágica de Davos — mas com intenções distintas

O ministro da Economia, Paulo Guedes; o governador de São Paulo, João Doria; e o apresentador de TV Luciano Huck brigam pelo protagonismo na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Seu mentor de investimentos

Estamos diante de um novo ciclo de alta das commodities?

No passado, dois bull markets de commodities deram enorme força à economia do Brasil. E, para o Ivan Sant’Anna, um novo ciclo de alta desses produtos está se desenhando no horizonte — o que abre enormes possibilidades de investimento

Parceiros

Brasil fecha acordo de cooperação técnica com a Alemanha na agricultura

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, assinou um acordo de cooperação com a Alemanha para o desenvolvimento do setor — a parceria durará, ao menos, três anos

APOSENTE-SE AOS 40 OU O QUANTO ANTES

3 Erros que vão ATRASAR sua aposentadoria

Aproveitando o clima de começo de ano, em que listas e regras para alcançar objetivos se proliferam mais rápido que o mosquito da dengue, decidi dar a minha contribuição numa lista diferente.

Enxugando

Bancos públicos devem acelerar vendas de ativos em 2020

Juntos, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES devem vender, só no primeiro semestre de 2020, mais de R$ 60 bilhões em ativos

Obras a todo vapor

A economia brasileira segue patinando, mas o setor de construção dá sinais de força

O segmento de construção continua aquecido, com a retomada nos lançamentos e um crescimento no volume de vendas. E as prévias operacionais da Helbor, Direcional e MRV dão suporte ao otimismo do mercado

Aval do presidente

Bolsonaro aprova fundo eleitoral de R$ 2 bilhões em orçamento para 2020

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a inclusão do fundo eleitoral no Orçamento do governo de 2020 — um mecanismo que prevê gastos de R$ 2 bilhões para as campanhas das eleições municipais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements