Menu
2019-07-11T08:36:32-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
a bula do mercado

O dia depois da Previdência: a festa nos mercados continua?

Deputados aprovaram texto-base; apreciação dos destaques ficou para hoje

11 de julho de 2019
6:34 - atualizado às 8:36
selo bula do mercado
Imagem: Seu Dinheiro

Os ativos financeiros locais amanhecem hoje diante da expectativa de seguirem surfando a onda da reforma da previdência, aprovada ontem em primeiro turno pelo plenário da Câmara dos Deputados por 379 votos a favor e 131 contra.

O índice Ibovespa registrou ontem o quinto fechamento consecutivo em alta, renovando seu nível recorde de alta pela terceira vez seguida, agora acima dos 105 mil pontos, e é provável que siga renovando recordes no curto prazo, à medida que a reforma avançar pelo Congresso.

No que depender de sinais vindos do exterior, o rally terá sequência hoje, uma vez que as bolsas de valores asiáticas subiram, os mercados de ações europeus abriram no azul e os índices futuros de Nova York sinalizam alta.

Entretanto, analistas advertem para a máxima conhecida nos mercados de “subir no boato para cair no fato”, uma vez que os ativos financeiros locais já se encontram em seu limite de apreciação - alguns até mesmo já o teriam ultrapassado.

Congresso assume protagonismo; governo vai a reboque

Ainda há dúvidas em relação ao segundo turno. Os deputados favoráveis à reforma aprovaram em primeiro turno o texto-base da proposta de emenda à constituição (PEC), mas conseguiram votar apenas um destaque para votação em separado, impedindo que os professores tenham regras diferenciadas de aposentadoria.

Os demais destaques à PEC devem ser votados no decorrer desta quinta-feira. A votação em segundo turno depende da conclusão da apreciação dos destaques, mas analistas observam que a margem pela qual a reforma passou em primeiro turno deve facilitar o trabalho do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), que manifestou reiteradas vezes o interesse em aprovar a reforma em dois turnos antes do recesso, cujo início está marcado para a próxima semana.

O presidente da Câmara e seus aliados estão sendo amplamente vistos como os grandes vencedores do processo político em torno da reforma da previdência, uma vez que contornaram a incapacidade de articulação do governo para levar adiante uma proposta amplamente controversa. Pelo placar do primeiro turno, não parece improvável que Maia consiga acelerar o processo e encerrar a tramitação da reforma pela Câmara antes do recesso.

Powell testemunha perante o Senado

Nos Estados Unidos, os investidores seguem de olho nos testemunhos de Jerome Powell, o presidente do Federal Reserve Bank, o banco central norte-americano, perante o Congresso do país.

Ontem, Powell comentou na Câmara dos Representantes que o comércio global e a inflação abrem espaço para alguma acomodação com o objetivo de sustentar o crescimento econômico norte-americano. Segundo ele, os temas certamente dominarão a reunião de política monetária marcada para este mês.

Também na quarta-feira, a ata da reunião do Fed em junho revelou um aumento do apoio entre os diretores da autoridade monetária ao início de um novo ciclo de cortes de juros. Analistas calculam pelo menos dois cortes na taxa básica de juro dos Estados Unidos até o fim de 2019.

Investidores do mundo todo estão de olho no possível desencadeamento de um ciclo de afrouxamento monetário global pelos principais bancos centrais do planeta para fazer frente a uma desaceleração econômica em escala global. E os comentários de Powell somados ao conteúdo da ata estão sendo amplamente interpretados como um sinal de que o Fed em breve cortará juros pela primeira vez em uma década.

Hoje as atenções se voltam para o testemunho de Powell perante o Senado, apesar da improbabilidade de a fala trazer novidades relevantes em relação aos comentários da véspera.

Vendas no varejo são destaque

Por aqui, o indicador econômico mais relevante a ser conhecido hoje será o dado de vendas no varejo em maio. A expectativa dos analistas é de que as vendas no varejo tenham oscilado positivamente em maio sobre abril e avançado 1,3% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Se confirmadas as projeções, os dados sobre as vendas no varejo em maio se somarão a uma série de indicadores mostrando as dificuldades da economia brasileira para retomar o caminho do crescimento.

E isto deve proporcionar um argumento a mais em aos agentes do mercado financeiro para pressionar o Banco Central a cortar juros já a partir da reunião do Comitê de Política Monetária, marcada para o fim deste mês.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 333 milhões em JCP do 4T20

Dessa forma serão pagos no dia 30 de dezembro e terão como base a posição acionária do dia 11 de dezembro de 2020

seu dinheiro na sua noite

Maradona e o rali da bolsa

O baixinho Maradona passa por dois marcadores, toca para o companheiro e depois corre para disputar a bola na área. Ele dá um salto e, de alguma forma, consegue subir mais que o goleiro inglês Peter Shilton para empurrar (literalmente) a bola para as redes. O lance do antológico gol de mão do craque argentino […]

fechamento dos mercados

Ibovespa desacelera com queda de Petrobras, mas fecha acima de 110 mil com Itaú e Vale e sobe 4% na semana

Bolsas americanas fecham para cima, renovando máximas históricas, em sessão mais curta; por aqui, ações de Petrobras reduziram alta perto do fim da sessão, eventualmente virando e fechando em queda, tirando índice acionário local da proximidade do pico intradiário

Urgente

Guilherme Boulos é diagnosticado com Covid-19

As agendas de campanha foram todas suspensas, e a coordenação da campanha vai propor à TV Globo que o último debate, previsto para hoje, seja feito de forma virtual.

Novidade no mercado

CMN: corretora de título e valor mobiliários pode prestar serviço de pagamento

Com isso, as SCTVM e SDTVM deverão optar entre a manutenção das atuais contas de registro ou a utilização de contas de pagamento.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies