Menu
2019-08-09T11:06:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
#sextou

BRF sai do vermelho no segundo trimestre e ações disparam na bolsa

Companhia registrou um lucro líquido de R$ 191 milhões no segundo trimestre de 2019, revertendo o prejuízo de R$ 1 bilhão do trimestre passado e uma cifra parecida do mesmo período de 2018

9 de agosto de 2019
10:59 - atualizado às 11:06
BRF
Imagem: Shutterstock

As ações da BRF dispararam no início do pregão desta sexta-feira, 9, reagindo aos resultados do segundo trimestre de 2019 divulgados pelo grupo. Os papeis ordinários (BRFS3) registravam alta de 7,82%, a R$ 39,16, por volta das 10h30. Você pode acompanhar nossa cobertura de mercados aqui.

Mas o que os investidores viram? Para começar, a empresa enfim saiu do vermelho e registrou um lucro líquido de R$ 191 milhões no segundo trimestre. Nos três primeiros meses, a companhia havia registrado um prejuízo de R$ 1 bilhão. O resultado é também uma reversão do prejuízo de R$ 1,435 bilhão no mesmo período de 2018.

Segundo o balanço da BRF, a receita líquida no trimestre ficou em R$ 8,338 bilhões - alta anual de 18,0%. Já o Ebitda ajustado ficou em R$ 1,547 bilhão, avanço de 333,9% ante o segundo trimestre do ano anterior, com margem de 18,6%, maior que a de 5,0% um ano atrás.

Reestruturação

A alavancagem - relação entre dívida líquida e ebitda ajustado - teve queda expressiva de março para junho, indo de 5,64 vezes a 3,73 vezes."Esse movimento reflete a disciplina de execução do nosso plano de reestruturação operacional e financeira iniciada no segundo semestre do ano passado", diz a BRF em comunicado, destacando a expansão das margens operacionais

No balanço dos três primeiros meses de 2019, a empresa divulgou que tinha como meta reduzir a alavancagem financeira até o fim de 2019. Os números divulgados hoje dão uma dimensão de como estão os planos da empresa.

Fato é que o ebitda ajustado ficou em R$ 1,547 bilhão, avanço de 333,9% ante o segundo trimestre do ano anterior, com margem de 18,6%, maior que a de 5,0% um ano atrás. A empresa destacou que o Ebitda teve o efeito de R$ 157 milhões do IFRS 16, adotado a partir de 1º de janeiro de 2019.

O dado inclui ainda o impacto negativo de uma provisão referente ao recolhimento de ICMS sobre produtos da cesta básica, de cerca de R$ 360 milhões no Ebitda e de R$ 390 milhões no resultado financeiro, e a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins, de R$ 690 milhões e R$ 340 milhões, respectivamente.

O efeito líquido desses lançamentos gerou um ganho de R$ 328 milhões no Ebitda ajustado do segundo trimestre. O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 619 milhões, 18,0% menor que no mesmo período do ano passado.

Impacto do volume de vendas

A BRF lembrou ainda que o volume de vendas do segmento Brasil teve queda anual de 3,5% no segundo trimestre deste ano, para 519 mil toneladas. A companhia considera o recuo como consequência da alta nos preços médios, que subiram 14,8%, chegando a R$ 7,86 o quilo.

Esse avanço nos preços compensou, segundo a BRF, a alta de custos decorrente do maior preço dos grãos - o preço médio subiu 14,7% na comparação anual - e o aumento do frete. A receita operacional líquida do segmento subiu 10,8% chegando a R$ 4,082 bilhões.

O segmento internacional teve alta em todas as categorias. O volume de vendas subiu 4,3%, para 504 mil toneladas, no segundo trimestre deste ano em relação ao segundo trimestre de 2018. Já a receita operacional líquida subiu 24,1% no período, para R$ 3,985 bilhões, impulsionada pelo avanço de 19,0% no preço médio, que ficou em R$ 7,90 o quilo. O lucro bruto ficou em R$ 1,047 bilhão, avanço anual de 210,0%.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements