Menu
2019-04-04T13:49:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Empréstimos

Bradesco destrona Caixa e lidera ranking de crédito imobiliário de 2018

Instituição conseguiu tirar Caixa Econômica Federal da liderança com empréstimos de R$ 15,1 bilhões; Itaú é o terceiro no ranking. Dados consideram financiamentos com recursos da poupança. Nas linhas do FGTS, Caixa ainda é líder.

30 de janeiro de 2019
13:10 - atualizado às 13:49
Bradesco
Imagem: shutterstock

O Bradesco liderou as linhas de crédito imobiliário com recursos da poupança em 2018, ocupando uma posição que historicamente foi da Caixa Econômica Federal. O ano passado foi marcado pelo avanço dos bancos privados no financiamento habitacional em um momento em que a Caixa pisou no freio diante de uma crise que chegou a travar a concessão de crédito diante da falta de recursos do banco.

O Bradesco emprestou ao todo R$ 15,1 bilhões em 2018, quase o dobro dos R$ 7,8 bilhões emprestados em 2017. Naquele ano, o Bradesco ficou na terceira posição do ranking das instituições financeiras de crédito imobiliário.

Os dados são da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) e foram divulgados nesta quarta-feira (30).

A Caixa Econômica Federal aparece em segundo lugar, atingindo R$ 13,2 bilhões em financiamentos. No ano anterior, a estatal liderou o ranking, com R$ 16,4 bilhões em empréstimos na categoria.

Na série histórica, o Bradesco e a Caixa vêm competindo pela liderança no ranking. De agosto de 2016, quando a Abecip passou a compilar os números por instituição, a dezembro de 2017, o banco estatal liderou os desembolsos de aquisição e construção. Desde então, o Bradesco virou o jogo passou a liderar o ranking.

Ao todo, os financiamentos para compra e construção de imóveis totalizaram R$ 117 bilhões em 2018, o que representa alta de 15%. É mais um sinal da recuperação do setor imobiliário, que inicia um novo ciclo após um período de crise.

Os empréstimos com recursos da poupança (SBPE) alcançaram 57,4 bilhões em 2018, o que representa alta de 33% enquanto o crédito com o recursos do FGTS bateu em R$ 60 bilhões em 2018, crescimento de 2%.

Concorrência acirrada

Itaú, Santander e Banco do Brasil também não ficaram parados e foram para cima da Caixa. O Itaú veio em terceiro lugar, somando empréstimos de R$ 12,1 bilhões, mais do que os R$ 8,5 bilhões emprestados em 2017.

O Santander Brasil é o quarto da lista, com R$ 10,2 bilhões, ante R$ 6,2 bilhões. E o Banco do Brasil também manteve sua quinta colocação no ranking, com R$ 5,1 bilhões, ante R$ 2,7 bilhões.

O que vai restar para os bancos públicos?

A dinâmica do mercado neste ano não deve passar por mudanças significativas. Os bancos públicos, principalmente a Caixa, devem continuar focando no mercado imobiliário destinado às pessoas de média e baixa renda. Essas linhas de crédito se enquadram no Minha Casa, Minha Vida e são subsidiadas por recursos do FGTS, que não são operados pelos bancos privados.

" Os bancos púbicos não precisam de subsídios para competir. Eles têm capacidade e competência para isso", avaliou o presidente da Abecip, Gilberto Duarte, o cenário deve continuar assim.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Temos vacina!

Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca

Primeiros profissionais de saúde já foram vacinados em pronunciamento do governador de São Paulo, João Doria

Mais uma recomendação

Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford/AstraZeneca

Mais cedo, área técnica havia defendido aprovação da CoronaVac

Ainda falta...

Anvisa devolve pedido de uso emergencial da Sputnik

Laboratório russo não apresentou os requisitos mínimos para que o pedido de uso emergencial pudesse ser analisado pela agência

Quase lá

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

Diretores da agência analisam pedidos de uso de vacinas. No momento, a área técnica ainda faz a apresentação. Em seguida, a relatora do tema, diretora Meiruze Freitas lerá seu voto, com os outros quatro diretores da agência votando depois

coronavírus

Covid-19: Brasil tem 8,4 milhões de casos e 61 mil novos diagnósticos nas últimas 24h

Segundo ministério, 7.388.784 pacientes recuperaram-se da doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies