Menu
2019-04-19T13:01:54-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Vídeo

Por que a política tem tanta influência na bolsa brasileira?

Nas últimas semanas, canetadas presidenciais mexeram com o Ibovespa. Entenda por que quem investe em ações no Brasil tem que ficar mais de olho na política do que o normal

19 de abril de 2019
8:00 - atualizado às 13:01

Quem investe na bolsa brasileira sabe que é bom manter sempre um olho na política de Brasília. Nas últimas semanas, por exemplo, os acionistas da Petrobras tiveram a sua parte na estatal diretamente afetada pelas canetadas presidenciais. Depois que Bolsonaro interveio na questão do reajuste dos preços do diesel, as ações despencaram e a companhia perdeu R$ 32 bilhões em valor de mercado em apenas um dia.

Tal tipo de acontecimento não é estrangeira aos investidores brasileiros. A política tem grande influência na nossa bolsa, e não apenas da maneira mais óbvia. No vídeo a seguir, eu explico por quê:

Veja o texto na íntegra do vídeo sobre por que a política afeta tanto a bolsa brasileira

Quem investe no mercado de ações brasileiro costuma estar sempre com um olho em Brasília. Os acontecimentos políticos têm muita influência na bolsa, pelo menos no curto prazo. Mas isso não acontece só pelas razões mais óbvias. Política e mercado de ações: e eu com isso?

A política talvez não seja o fator de maior peso no desempenho das empresas brasileiras e das ações negociadas em bolsa. Mas você já deve ter percebido que Brasília e alguns governos estaduais têm grande influência nos preços das ações e no desempenho do Ibovespa, ao menos no curto prazo.

Em época de eleição isso fica mais evidente. Os altos e baixos do mercado se tornam mais fortes às vésperas de um pleito presidencial, principalmente dos mais indefinidos, o que tende a aumentar a incerteza acerca do destino da economia.

A política afeta a bolsa não só pelos motivos mais óbvios, como a tomada de decisões que afetam a economia e as empresas de um setor ou outro. No caso da bolsa brasileira, tem mais um fator: a presença de muitas estatais federais e estaduais, além de empresas altamente expostas ao cenário político.

Algumas delas, inclusive, têm grande peso no Ibovespa, como Petrobras e Banco do Brasil. Também é o caso dos grandes bancos privados, muito suscetíveis ao que acontece no mundo da política. A postura do governo federal tende a afetar o desempenho das ações dessas companhias e, consequentemente, do Ibovespa como um todo. O mesmo vale pras ações das estatais ligadas a governos estaduais.

Se desconsiderarmos outros fatores que mexem com os preços das ações, governos percebidos como mais intervencionistas e estatizantes tendem a pesar negativamente pras ações dessas empresas, enquanto que governos mais liberais e afeitos a privatizações tendem a beneficiá-las. Isso porque o mercado entende que em cenários de menor intervenção, essas empresas vão poder buscar o lucro com mais afinco.

Gostou do vídeo? Então não deixa de assinar o canal do Seu Dinheiro no YouTube e clicar no sininho pra receber as notificações. E pode deixar dúvidas e ideias pra outros vídeos no campo dos comentários.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Sem concentração?

Vivo, TIM e Claro defendem compra da Oi

As empresas encaminharam ao Cade respostas às críticas que sofrem de outros agentes do setor de telecomunicações causadas pela transação entre elas

Fenômeno da internet

O ataque dos memes: Conheça 5 ações de empresas “quebradas” que mexem com Wall Street

O caso mais famoso foi o da GameStop, mas outras empresas que não contam com fundamentos sólidos vêm passando por movimentos de valorização estimulados por fóruns de internet

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies