💰IPCA + 8% e outros títulos ‘premium’: receba as melhores ofertas de renda fixa no seu WhatsApp

Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
Cotações por TradingView
2019-04-05T14:21:07-03:00
SEU MENTOR DE INVESTIMENTOS

O dia em que o mercado brochou

Não raro, um bull market sofre uma correção sem que se possa precisar o motivo. As novidades sobre a Previdência devem dar novo tom aos mercados.

7 de fevereiro de 2019
11:54 - atualizado às 14:21
Mercados desânimo
Imagem: Shutterstock

Desde o início do ano que o mercado brasileiro de ações não fazia outra coisa a não ser subir, quase sem tomar fôlego. Até anteontem, o ganho chegou a 13%, medido pelo Ibovespa.

Houve algumas exceções: uma pequena queda quando o affair Flávio Bolsonaro/Fabrício Queiroz tomou conta da mídia; outra maior após o rompimento da barragem do Feijão, em Brumadinho, esta segunda mais concentrada nos papéis da Vale.

Ontem a maré virou. O Ibovespa levou um tombaço. Na hora em que escrevo este artigo, o índice está nos lows do dia, com pinta de que só vai parar de cair quando soar o gongo de encerramento.

Não raro, um bull market sofre uma correção sem que se possa precisar o motivo.

“Ah, foi por causa do Brexit”, diz um analista. “Não, foi o Trump”, diverge outro. “Em minha opinião é essa guerra de egos entre Lorenzoni e Guedes”, intervém um terceiro.

Desta vez, as razões foram mais do que claras. É bom que o amigo leitor as estude (e estamos aqui para ajudá-lo), para que possa se posicionar em Bolsa nos próximos meses, que prometem muita volatilidade.

Até agora, o governo Bolsonaro pretendia reformar a Previdência tendo como base a PEC enviada à Câmara pelo antecessor, Michel Temer, PEC essa que já fora aprovada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e podia ser votado pelo plenário a qualquer momento.

Só não foi por causa do já mais de mil vezes mencionado “Tem de manter isso aí, viu!”, frase que ficou marcada a ferro e fogo nas pedras das colunas da garagem do palácio do Jaburu e, o que é mais grave, gravada num dispositivo de escuta que Joesley Batista trazia escondido sob a roupa.

Como Paulo Guedes quer uma reforma previdenciária mais abrangente, que resolva o problema fiscal brasileiro por no mínimo dez anos, uma nova PEC será enviada ao Congresso Nacional. Que terá de passar novamente pelo crivo das comissões, principalmente o da CCJ.

“Desse modo a Casa (Câmara dos Deputados) não votará a reforma da Previdência nem no primeiro semestre deste ano”, avalia o deputado Arthur Lira do PP de Alagoas, raposa filho de raposa (o pai é senador).

O jogo mudou?

Pois bem, esse será o novo tom do mercado daqui para a frente. Nada a ver com o recorde após recorde que vimos desde o início do ano.

A reforma pode até ser melhor (para o Tesouro, é claro), mais abrangente, com idade mínima maior, igualdade entre os sexos, regras de transição mais rígidas e inclusão de mais categorias.

Só que tudo isso gera discussão nas comissões, maior ação dos lobistas e sindicalistas. “Farinha pouca, meu pirão primeiro.”

Se agora deu pinta de que o ano vai ser assim, não há a menor necessidade de um investidor sair comprando de afogadilho.

Olhe, pense, estude os gráficos, leia os relatórios dos que examinam o panorama sem paixão, antes de fazer sua escolha.

O momento de comprar e sair correndo para os abraços acabou.

No final poderá ser até melhor para o Brasil e para o mercado de ações.

Pena que as cópulas “miketyseanas”, como as que vimos em janeiro, serão substituídas por sofridos e demorados coitos balzaquianos movidos a pílulas azuis e acompanhados de muitos gemidos de puro esgotamento.

Não é a primeira vez, nem será a última, que vi isso acontecer. Perde um pouco da graça, mas no final o ganho talvez seja maior e mais sólido.

(Esta coluna foi publicada na Inversa Publicações. Para acompanhar os conteúdos gratuitos do Ivan Sant'Anna na Inversa, entre aqui. Ele também escreve uma newsletter matinal chamada Warm Up Pro, para experimentar, acesse aqui.)

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa recua antes de votação da PEC da Transição, Vale (VALE3) desagrada investidores, Petrobras (PETR4) corte preço do gás de cozinha e outros destaques do dia

7 de dezembro de 2022 - 20:01

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta quarta-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo e as ações com o melhor e o pior desempenho do Ibovespa

NATAL CHEGOU MAIS CEDO?

CPFL Energia (CPFE3) paga última parcela de dividendos bilionários na próxima semana; veja quem terá direito a mais de R$ 1,8 bilhão em proventos

7 de dezembro de 2022 - 19:49

Serão distribuídos cerca de R$ 1,621140258 por ação na próxima semana, em 15 de dezembro

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa fecha em queda de 1% e dólar também recua com commodities e votação da PEC da Transição no Senado; Magazine Luiza (MGLU3) anota o maior tombo dia

7 de dezembro de 2022 - 18:56

s a espera pelo veredito dos parlamentares não foi a única a dar o tom dos negócios hoje: a última reunião do Copom também gerou expectativa nos investidores

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Entre a hipérbole e o eufemismo

7 de dezembro de 2022 - 18:54

Se estamos prestes a cometer um erro grave, e parcialmente cegos em relação a isso, o mercado fornecerá rapidamente um simulacro dos resultados desse erro: desvalorização cambial, alta dos juros futuros, queda da Bolsa

CRISE INSTITUCIONAL

Autogolpe e impeachment no mesmo dia? Entenda o caos que se instalou no Peru e derrubou o presidente em menos de 24h

7 de dezembro de 2022 - 18:33

m apenas um ano e meio de poder, Castillo é alvo de três processos de cassação de mandato por corrupção. O presidente assumiu depois de mais de 40 dias da realização das eleições

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies