Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-24T17:58:01-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Bolsa e dólar hoje

Vira, vira, vira, virou! Após mudança de direção, bolsa fecha em baixa e dólar sobe em dia de realização de lucros

Ibovespa perdeu o patamar de 107 mil pontos e dólar voltou a subir depois de ter chegado a cair abaixo de R$ 4

24 de outubro de 2019
10:32 - atualizado às 17:58
Canoa virada
Humor do mercado foi virando ao longo do dia, mudando a direção dos últimos dias. Imagem: Shutterstock

Quando o pregão desta quinta-feira (24) começou, parecia que teríamos mais um dia de ganhos na bolsa e queda do dólar e dos juros futuros. O Ibovespa abriu em alta, animado pelo otimismo externo e as boas perspectivas do mercado para os resultados trimestrais a serem divulgados por Vale e Petrobras agora à noite.

Já a moeda americana recuava para o nível dos R$ 4 e chegou até mesmo a cair abaixo deste patamar, diante da expectativa de entrada de dólares no país com o leilão da cessão onerosa do petróleo marcado para 6 de novembro. Com isso, os juros futuros recuavam, tanto na ponta longa quanto na curta.

Porém, gradativamente, todos os indicadores foram virando. Ainda pela manhã, o Ibovespa passou para o terreno negativo, num movimento de realização de lucros após três sessões consecutivas de formidável alta. Sem novidades no noticiário, e com as bolsas americanas com sinais mistos, não houve tração para os ganhos prosseguirem, e o índice perdeu o patamar de 107 mil pontos.

No meio da tarde foi a vez do dólar à vista, que passou a subir com a recomposição de posições após o rompimento do "patamar psicológico" de R$ 4, uma vez que a cotação da moeda se tornou atrativa e os ambientes nacional e internacional ainda requerem cautela.

Finalmente, no fim do dia, a mudança de sinal do dólar levou os juros futuros mais longos a virarem para a alta.

Depois de tantas viradas, o Ibovespa fechou em baixa de 0,52%, aos 106.986 pontos. Já o dólar à vista fechou em alta de 0,29%, a R$ R$ 4,0446. Os juros futuros com vencimento em janeiro de 2021 ainda conseguiram fechar em queda, passando de 4,497% para 4,46%. Mas os contratos para 2023 subiram de 5,46% para 5,48%, enquanto os vencimentos de 2025 avançaram de 6,131% para 6,15%.

Super quinta de balanços

A divulgação de balanços no Brasil e no exterior também foram motores importantes nos mercados nesta quinta-feira. Por aqui, Vale e Petrobras divulgam seus resultados do terceiro trimestre após o fechamento do pregão.

Apesar de terem começado o dia em alta, as ações das duas companhias fecharam com perdas significativas. As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) terminaram o pregão em baixa de 2,18%, enquanto as ordinárias (PETR3) recuaram 1,97%. Os papéis da Vale (VALE3) fecharam em queda de 0,76%.

As maiores quedas do dia, por sua vez, foram de duas ações que refletiram o desapontamento dos investidores com os balanços divulgados pelas suas empresas.

A maior baixa do Ibovespa ficou por conta dos papéis da CSN (CSNA3), que terminou o pregão com perdas de 6,85%, diante de resultados trimestrais decepcionantes. A siderúrgica amargou prejuízo, quando a previsão dos analistas era de lucro.

A segunda maior queda do índice foi das ações da Localiza (RENT3), que fecharam em baixa de 6,17%. A locadora de veículos apresentou lucro abaixo do esperado.

Bolsas americanas terminam o pregão com sinais mistos

As bolsas americanas abriram em alta, mas fecharam com sinais mistos. O Dow Jones caiu 0,11%, para 26.805 pontos; já o S&P 500 avançou 0,19%, para 3.010 pontos e o Nasdaq subiu 0,81%, para 8.185 pontos.

Nos Estados Unidos, os resultados das empresas deram a tônica dos mercados.

As ações do Twitter, por exemplo, recuaram 20,81% após resultados abaixo do esperado. A companhia registrou lucro líquido de US$ 36,5 milhões no terceiro trimestre, com um lucro por ação de US$ 0,17, inferior aos US$ 0,20 esperados por analistas.

As ações da 3M também recuaram 4,07%, após a companhia ter apresentado receita de US$ 7,99 bilhões no terceiro trimestre, inferior aos US$ 8,17 bilhões esperados. O lucro líquido de US$ 1,58 bilhão, com US$ 2,72 por ação, no entanto, superou a expectativa de US$ 2,49 previstos pelo mercado.

A American Airlines, por sua vez, reagiu bem aos resultados, com alta de cerca de 4%. A companhia anunciou um lucro líquido de US$ 425 milhões no terceiro trimestre. O lucro por ação foi de US$ 1,42, superior ao US$ 1,40 previsto por analistas. A receita da aérea foi de US$ 11,9 bilhões, alta de 2,5% em relação ao mesmo período de 2018.

Os papéis da Tesla tiveram forte alta de mais de 15% diante da divulgação de resultados surpreendentes no terceiro trimestre. A empresa de Elon Musk registrou um lucro líquido de US$ 143 milhões, o que representa um lucro por ação de US$ 1,86. Os analistas esperavam um prejuízo de 42 centavos por ação.

Indicadores

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter as taxas de juros na reunião desta quinta-feira. A taxa de refinanciamento permaneceu zerada, e a taxa de depósito ficou em -0,50%. A instituição ressaltou que reiniciará o programa de relaxamento quantitativo (QE ou Quantitative Easing) com a compra de 20 bilhões de euros em ativos por mês a partir de 1º de novembro. A medida, diz o BCE, ocorrerá por todo tempo necessário, e será encerrada pouco antes de a instituição voltar a subir os juros.

Segundo a autoridade monetária da zona do euro, a perspectiva é de manutenção ou corte nos juros para que a inflação na região suba para perto da meta, de pouco menos de 2% ao ano. Atualmente, a inflação na zona do euro está em 0,8%.

Mais cedo, foi informado que as encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos baixaram 1,1% em setembro ante agosto, número superior às estimativas dos economistas, de retração de 0,8%.

Segundo Alejandro Ortiz, integrante da equipe econômica da Guide, o desempenho misto das bolsas americanas hoje também se deve em parte a esse dado negativo. Ele destaca que os novos pedidos de bens de capital não relacionados a defesa e aeronaves, medida relacionada ao investimento das empresas, teve queda de 0,5% pelo segundo mês consecutivo.

Por outro lado, os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA recuaram 6 mil na semana até 19 de outubro, e alcançaram 212 mil, pouco menos do que as 215 mil solicitações projetadas por analistas, um dado que pode ser considerado positivo.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies