Menu
2019-09-20T11:04:31-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
De olho nas ações

Precificou! Pan capta R$ 1,04 bi em follow-on

O preço por ação ficou em R$ 8,25. O valor ficou com um desconto de 9,1% em relação à cotação de fechamento dos papéis preferenciais do banco na última quinta-feira (19)

20 de setembro de 2019
8:19 - atualizado às 11:04
Banco Pan
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

No mesmo dia em que o banco Banrisul informou sobre o fracasso de sua oferta, o Pan (código BPAN4) anunciou ao mercado que captou R$ 1,04 bilhões em ações em oferta subsequente de ações (follow-on), no fim da noite de ontem (19). A instituição atua nas linhas de empréstimo consignado, veículos e cartão de crédito.

O Pan informou que o preço por ação durante o processo conhecido como bookbuilding - em que há a precificação do papel - ficou em R$ 8,25. O valor ficou com um desconto de 9,1% em relação à cotação de fechamento dos papéis preferenciais do banco na última quinta-feira (19).

O banco coordenador líder da oferta é o BTG Pactual. O início da negociação dos papéis e dos recibos de subscrição da oferta deve ocorrer a partir de 23 de setembro.

Entenda a oferta

Ao fazer uma oferta com distribuição primária e secundária, o banco pretende captar dinheiro para aumentar o seu capital social, assim como vender os papéis que pertencem a um de seus acionistas. No caso, o acionista vendedor é a Caixa Participações (CaixaPar).

Com isso, ao fazer uma oferta secundária, o montante arrecadado com a venda dos papéis da CaixaPar vai para o caixa da própria companhia vendedora e não o do Banco Pan.

Hoje, os acionistas controladores do Pan são justamente a CaixaPar e o BTG Pactual, ambos com 41,7% da participação societária.

De acordo com o documento enviado ao mercado, com o aumento de capital, agora o capital social da companhia será de R$ 4,2 bilhões.

De olho no Pan

Os papéis do banco apresentaram uma valorização de 367,18% na bolsa neste ano.

Apenas para fins de comparação, no mesmo período, ações de bancões como o Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Santander (SANB4) subiram 4,88%, 5,14% e 7,66%, respectivamente. Até mesmo os papéis do Banco Inter (BIDI4) apresentam expansão menor, de 203,75%.

Entre as explicações para a valorização dos papéis do Banco Pan estão o anúncio de que a instituição prepara o lançamento de um banco digital voltado para as classes C, D e E. A previsão é que a estreia ocorra até o fim deste mês.

Mas há também outro fator. Os papéis ganharam um impulso extra em maio, quando foram incluídos em carteiras recomendadas da empresa de publicações financeiras Empiricus.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

A vingança das sardinhas

Podia ser o título de um filme de terror, mas está mais para uma história de superação. No jargão do mercado financeiro, sardinhas são os pequenos investidores — pessoas físicas como eu e você. No mar revolto da bolsa de valores, as sardinhas costumam virar presas fáceis para os grandes investidores — ou tubarões, como […]

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies