Menu
2019-10-25T18:00:30-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
bancos

Presidente do BB: Privatização é inevitável no futuro

Rubem Novaes ressaltou que essa é sua opinião pessoal. De concreto, reforçou que a estratégia é privatizar todas subsidiárias que não tenham sinergia

25 de outubro de 2019
16:06 - atualizado às 18:00
Rubem Novaes
O presidente do Banco do Brasil (BB), Rubem Novaes. - Imagem: Jose Cruz/Agência Brasil

A revolução tecnológica no setor bancário, puxada por "fintechs" e pelo "open banking", que permite o compartilhamento de informações de clientes entre bancos, tornará a privatização do Banco do Brasil (BB) inevitável no futuro, disse nesta sexta-feira o presidente da instituição financeira, Rubem Novaes.

"Do jeito que a modernização do sistema bancário se acelera, nesse mundo de inovações constantes, é óbvio que uma instituição publica não vai ter a mesma velocidade de adaptação", afirmou Novaes, após dar palestra durante almoço promovido pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

O presidente do BB ressaltou que expressava sua "opinião pessoal", mas que tinha a expectativa de que esse posicionamento passasse a ser defendido pelo governo e pela "classe política" como um todo. Novaes evitou responder se achava possível avançar na privatização ainda no mandato do presidente Jair Bolsonaro.

Não é de hoje que Novaes defende a privatização do BB. Em outras ocasiões já reafirmou sua convicção de que não só banco deveria ser privatizado, mas também a Petrobras e Caixa. “Nós, liberais, devemos começar a bater nessa tecla”, disse em evento.

Durante a palestra na ACRJ, Novaes disse que as instituições financeiras terão que se adaptar ao mundo "de open banking e fintechs" em "dois, três, quatro anos".  "Por enquanto, o banco ainda é extremamente eficiente e vai permanecer eficiente por algum tempo, mas, em algum momento, a perspectiva da privatização vai ter que ser enfrentada", completou.

De concreto, o presidente do BB reforçou que a estratégia de sua administração é privatizar todas as subsidiárias ou empresas nas quais o BB tenha participação que não tenham "sinergia" com sua atividade principal.

Segundo Novaes, o BB busca um parceiro para reduzir sua participação em "asset management", na qual atua a BBDTVM, assim como fez com seu banco de investimentos.

Em setembro, BB e UBS assinaram um memorando de entendimento e estão debruçados para concluir as conversas em torno da parceria na área de investimentos ainda este ano. Após a palestra, Novaes disse que o modelo da parceria não seria igual, pois "setores diferentes requerem parcerias diferentes". Questionado, o presidente do BB evitou citar nomes de possíveis parceiros, mas disse que será estrangeiro.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

após marco legal

Estatais de saneamento pressionam governo por crédito

Empresas querem que o CMN retire os financiamentos às estatais de saneamento do cálculo do limite de exposição dos bancos ao setor público

'CALCINHA BEGE' DA ALOCAÇÃO DE ATIVOS

Conheça o método 60/40, uma estratégia simples e eficiente para montar seu plano de aposentadoria

Estratégia perfeita exatamente para quem sabe que precisa investir, mas não têm muito saco para fazê-lo.

Decisão cautelar

TCU proíbe governo Bolsonaro de anunciar em sites que exerçam atividades ilegais

Indícios de irregularidades na veiculação de propagandas do governo federal levaram o TCU a tomar a decisão cautelar, concedida pelo ministro Vital do Rêgo

PGR

Aras recomenda a Guedes mais transparência em gastos no combate à pandemia

A pedido de procuradores do MPF-PE, o procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou recomendações para Guedes dar transparência aos gastos federais

Setor em destaque

Estatais de saneamento querem flexibilizar regras para contratar empréstimos

Com regras mais fáceis para a entrada do setor privado, as estatais de saneamento querem que a concessão de empréstimos ao segmento seja menos rigorosa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements