Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-29T15:34:45-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

BB quer parceiros em negócios de fundos, banco de investimento e recuperação de crédito

Essas parcerias podem ser firmadas diretamente ou por meio de uma oferta de ações (IPO, na sigla em inglês) dessas unidades, segundo Carlos Hamilton, vice-presidente do Bancoo do Brasil

29 de janeiro de 2019
15:34
Carlos Hamilton, vice-presidente do Banco do Brasil
Imagem: Vinícius Pinheiro/Seu Dinheiro

O Banco do Brasil está disposto a firmar "parcerias estratégicas" com empresas privadas nos negócios de gestão de fundos, banco de investimento e recuperação de créditos.

O foco das parcerias é a melhora na eficiência e na rentabilidade da instituição, segundo Carlos Hamilton, vice-presidente do BB. Ou seja, o banco não tem planos de se desfazer desses negócios, mas atrair sócios.

Essas parcerias podem ser firmadas diretamente ou por meio de uma oferta de ações (IPO, na sigla em inglês) dessas unidades, segundo Hamilton.

"Em condições similares, temos preferência pelo IPO, em razão da transparência", afirmou o vice-presidente do Banco do Brasil, que participa hoje de evento promovido pelo Credit Suisse.

Na área de gestão e administração de fundos, o banco público por meio da BB DTVM, que possui R$ 950 bilhões sob gestão. A instituição também é dona do BB Banco de Investimento, que realiza operações como fusões e aquisições e operações no mercado de capitais. No negócio de recuperação de crédito, o Banco do Brasil é dono da Ativos.

No caso das atividades que não guardam sinergia com o negócio principal, o BB "está aberto a oportunidades de desinvestimento", segundo Hamilton. Ainda não há prazo para que as operações aconteçam.

Crédito

O Banco do Brasil deve registrar um crescimento da carteira de crédito em linha com a média do mercado neste ano, segundo Hamilton. A expectativa do executivo é de crescimento da margem financeira.

No caso da receita com tarifas, essa expansão deve acontecer acima da inflação projetada. Do lado das despesas, a expectativa do vice-presidente do BB, em termos reais, fiquem no patamar de 2018.

Hamilton espera que a rentabilidade do banco cresça acima dos pares, o que deve fazer com que a diferença para os concorrentes privados diminua ao longo do tempo.

O vice-presidente do BB disse ainda que é possível devolver ao Tesouro os R$ 8,1 bilhões que foram aportados no banco via instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD) em "um esquema suave" sem comprometer os objetivos estratégicos da instituição.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies