Menu
2019-10-28T06:27:48-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
balanço

Azul sente custos, reduz margens e lucro no 1º tri de 2019, mas mantém projeções positivas

Companhia teve lucro líquido de R$ 137,7 milhões, numa queda de 20,1% em relação ao mesmo período de 2018; resultado é menor que o número projetado por analistas ouvidos pela Bloomberg, que falavam em lucro de R$ 149,11 milhões

9 de maio de 2019
8:40 - atualizado às 6:27
Avião da azul
Azul - Imagem: Shutterstock

A Azul divulgou lucro líquido de R$ 137,7 milhões no primeiro trimestre de 2019, ante R$ 172,3 milhões do mesmo período do ano passado (uma queda de 20,1%). O resultado é menor que o número projetado por analistas ouvidos pela Bloomberg. Eles falavam em lucro de R$ 149,11 milhões.

Com esses números, a Azul parece ter sentido um baque do próprio mercado das companhias aéreas brasileiras. O Setor, nos últimos anos, vem sofrendo sucessivas baixas (sendo a mais recente a Avianca), e da variação do dólar. Algo normal para um segmento em que 60% do custo é na moeda norte-americana.

Apesar disso, a empresa diz, em relatório que acompanha o balanço, que mantém seu plano de expansão de margem para os próximos anos. O projeto deve se sustentar no potencial da malha aérea da companhia. A Azul hoje atua em 113 cidades — é a maior companhia aérea em número de voos do País.

"Tenho certeza que a combinação da nossa malha diferenciada com o nosso plano de transformação de frota trará muitas oportunidades para a companhia", diz a empresa. "Com isso poderemos levar a experiência Azul para mais clientes e expandir margens".

A Azul diz que continua comprometida com as projeções financeiras anunciadas no início deste ano. Nos próximos meses, a companhia deve seguir com a estratégia de transformação da frota.

Mais números

Ainda no primeiro trimestre deste ano, a receita líquida da Azul foi de R$ 2,542,0 bilhões. Representando um aumento de 16% em relação ao primeiro trimestre de 2018. Já o resultado operacional (ebit) ficou em R$ 335,6 milhões, numa retração de 10,1%. O ebtida ficou em R$ 724,2, numa alta de 8,1% ante o mesmo período do ano passado.

O yield também apresentou queda, de 0,3%, em relação primeiro trimestre de 2018, ficando em 35,75 centavos. Esse é o valor médio pago por um passageiro para voar um quilômetro, calculado com a divisão da receita de passageiro pelo total de assento-quilômetro ocupado.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

BANCÕES EM ALTA

Lucro do Banco do Brasil sobe 44,7% no 1º trimestre e atinge R$ 4,9 bilhões

O Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,9 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 44,7% maior que os R$ 3,4 bilhões reportados em igual período de 2020 e 32,9% superior ao resultado obtido nos últimos três meses do ano passado. “O lucro recorde para um trimestre é resultado de uma estratégia […]

Vol é vida?

Lucro líquido da B3 cresce 22,5% e atinge R$ 1,25 bi no 1º trimestre

O lucro líquido recorrente atingiu R$ 1,4 bilhão, alta de 15,5% frente ao mesmo período do ano passado e de 15,2% na comparação com o trimestre anterior

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Carnaval fora de época da Ambev e mais…

O varejo tem várias datas importantes: dia das mães, dia dos pais, dia das crianças, dia dos namorados, Black Friday, Natal… Há uma data comemorativa em quase todos os meses, e todas são aguardadas com ansiedade pelo setor — afinal, qualquer impulso nas vendas é bem vindo. Pois para a Ambev, a coisa funciona um […]

FECHAMENTO DO DIA

Balanços e commodities metálicas ditam o ritmo e Ibovespa fecha em alta; dólar volta à casa dos R$ 5,20

Com a agenda de indicadores fracas e um Copom sem grandes surpresas, os investidores se debruçaram nos números do trimestre e no novo recorde do minério de ferro.

Queda no apetite

Fed sinaliza risco de tombo nos preços de ativos em relatório de estabilidade

O banco central dos EUA demonstrou preocupação com um possível declínio no apetito ao risco dos investidores norte-americanos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies