Menu
2019-08-25T11:19:50-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela Universidade de Federal do Paraná (UFPR). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros veículos.
um unicórnio entre os jovens

Tiktok: o app que faz sucesso entre a geração Z e fez da sua dona a startup mais valiosa do mundo

ByteDance é considerada a startup com o maior valor de mercado do mundo – são US$ 75 bilhões; estratégia se divide em diversas frentes, incluindo um app que ganha cada vez mais força entre jovens nascidos em meados dos anos 90 para cá

25 de agosto de 2019
4:16 - atualizado às 11:19
tiktok instagram celular
Aplicativo está em diversas listas de mais baixados; ByteDance, a dona do app, foi avaliada em US$ 75 bi Imagem: Shutterstock

Em matéria de rede social, parei no Instagram - embora nem seja um usuário assíduo. O aplicativo ainda parece o melhor (ou menos pior) para manter algum contato com amigos e familiares e acompanhar conteúdo relevante sobre diversos assuntos.

Há uma tese de que existe uma migração do mais jovens entre redes sociais conforme usuários mais velhos vão ocupando os espaços. Dessa forma que o Instagram e o Snapchat teriam angariado usuários, em detrimento do Facebook - a rede social relegada a familiares distantes.

Segundo a Ampere Analysis, apenas 20% dos usuários totais do Facebook tinham entre 18 e 24 anos em 2018. Na base do Snapchat, esse público salta para 40%.

Mas se você se acha jovem porque não usa o Facebook, sinto lhe informar mas provavelmente você já é uma figura muito mais próxima do seu tio. E tudo isso graças a um grupo de chineses donos de uma startup, a ByteDance.

Classificação indicativa

A ByteDance é dona do TikTok, um aplicativo de compartilhamento de vídeos que foi instalado mais de um bilhão de vezes na App Store e no Google Play, de acordo com a Sensor Tower.

Mas se tanta gente baixou, como você pode nunca ter ouvido falar? Para começar, o aplicativo tem uma público mais cativo em países como Índia e China. Por aqui, o grupo de usuários é formado majoritariamente por jovens de até 20 anos - que, nesse espaço, constroem uma comunidade paralela às redes sociais dominadas por tios, tias, eu e você.

O aplicativo tem ferramentas como um catálogo de músicas para dublagens, mixagem e efeitos visuais. Geralmente, o conteúdo tem tom de humor e, embora a maior febre seja entre o público asiático, o Brasil tem influencers que fazem fama como produtores de conteúdo da plataforma e celebridades de outros meios que já aderiram ao app.

Hoje são 500 milhões de usuários mensais no mundo, segundo a própria empresa fundadora do aplicativo.

Fundada pelo chinês Zhang Yiming, a ByteDance chegou a esse número depois de uma série de movimentos estratégicos no mercado até que, no final de 2018, recebeu um aporte de US$ 3 bilhões do grupo japonês SoftBank. Com isso, seu valor de mercado chegou aos US$ 75 bilhões.

Segundo um ranking elaborado pela empresa de análise de companhias, a CB Insights, que considera iniciativas de capital fechado, a ByteDance é a startup que tem o maior valor de mercado do mundo - à frente de conhecidas por aqui como o Airbnb (US$ 29,3 bi) e a brasileira Nubank (US$ 10 bi).

Receita do bolo

A ByteDance também divide seus negócios com outras frentes. A empresa é dona do Jinri Toutiao, um agregador de notícias que usa inteligência artificial para captar os hábitos dos usuários e, com base nisso, oferecer as melhores matérias de diferentes fontes.

Ao site The Verge, um porta-voz da empresa disse que, no TikTok, a inteligência artificial é aplicada também para oferecer um conteúdo de maior engajamento.

A empresa acredita que o algoritmo do aplicativo pode ser replicado ao redor do mundo e tem desenvolvido iniciativas similares para outros mercados. Na Índia - país superpopuloso onde o TikTok também bomba - a empresa oferece o Helo. No mercado de língua inglesa, o TopBuzz.

Mas no Ocidente o foco da empresa tem sido mesmo o mercado da produção de conteúdo criativo.

A ByteDance comprou em 2017 um aplicativo de fazer vídeos chamado Flipagram - e deu uma recauchutada nele, batizando-o de Vigo Video. Em seguida, adquiriu o app de karaokê Musical.ly, numa operação que movimentou US$ 1 bilhão, segundo a imprensa estrangeira.

À época, o Musical.ly acabara de chegar aos 100 milhões de usuários ativos mensais - um público que, menos de um ano depois da operação, em 2018, abriu o app e encontrou uma interface totalmente diferente. O aplicativo havia sido incorporado ao TikTok.

Com isso, estava formado o caldo que tornaria a ByteDance um hit.

Posfácio

Recentemente, o jornal Financial Times publicou que a empresa vai fabricar seu próprio smartphone. O aparelho deve vir com o próprio TikTok e o Jinri Toutiao instalados, segundo a publicação.

Não é o primeiro movimento da ByteDance nessa área. Em janeiro, a companhia comprou patentes de uma companhia chinesa especializada na fabricação de celulares, a Smartisan. À época, a operação foi justificada por um futuro investimento no ramo da educação.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Estudo

Fundos imobiliários ou ações de properties: qual a melhor forma de investir no mercado imobiliário?

Estudo da gestora RBR mostra que fundos são mais eficientes para investimento imobiliário do que empresas que administram imóveis, mas o melhor veículo pode variar caso a caso.

SEXTOU COM RUY

Onde colocar seu dinheiro se a poupança está uma merda?

Portanto, se o rendimento da poupança está uma merda, não se preocupe, porque isso significa que esse é justamente o melhor momento para investir em ações

Oportunidade para o investidor

Conselho da Iguatemi aprova emissão de R$ 264 milhões em debêntures

Trata-se da oitava emissão dos títulos pela empresa, que serão negociados em série única e vinculados a uma emissão de CRI

Seu Dinheiro na sua noite

O que mudou e o que não mudou na bolsa

Quando surgiram as primeiras notícias sobre o surto do coronavírus na China, havia poucos elementos para afirmar se estávamos ou não diante de uma crise de saúde de proporções globais. Hoje já não temos mais dúvidas disso. A dolorosa queda de 7% da bolsa na quarta-feira de cinzas marcou a passagem da incerteza que tínhamos […]

É dólar na veia

Na luta para conter o dólar, Banco Central anuncia oferta de US$ 1 bilhão em contratos de swap nesta sexta-feira

Negociação será realizada na bolsa entre 9h30 e 9h40 e deve contemplar até 20 mil contratos

Dados do Banco Central

Reservas internacionais subiram US$ 976 milhões no dia 26 de fevereiro, para US$ 360,578 bilhões

Resultado reflete sobretudo a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas

Menor nível em quatro meses

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai mais 2,59% e fecha na mínima do dia; dólar sobe a R$ 4,47

O mercado até ensaiou um movimento de recuperação no meio da tarde, mas a cautela com o surto de coronavírus prevaleceu, derrubando o Ibovespa — apenas quatro ações do índice fecharam em alta. O dólar cravou mais uma máxima

No radar

Abimaq diz não ter dado que indique desabastecimento por causa do novo coronavírus

Setor de máquinas está promovendo ações preventivas para evitar qualquer risco de desabastecimento

Negócio em aberto

Bayer concorda com nova revisão sobre aquisição da Monsanto

Empresa vai permitir que um especialista independente revise suas regras e examine os seus principais negócios

Enchentes

Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do sudeste, diz CNC

Mais da metade do rombo foi concentrado no Estado de São Paulo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements