Menu
2019-09-13T17:57:06-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
De olho nos papéis

Como o novo serviço da Apple pode impactar negativamente as receitas da companhia, na visão do Goldman Sachs

Para os analistas do banco, o motivo é que o preço médio de venda dos iPhones poderia diminuir, por conta da oferta de um ano grátis da Apple TV+ anunciada na última terça-feira (10)

13 de setembro de 2019
17:38 - atualizado às 17:57
apple iphone

Apesar de uma boa parte dos assinantes de streaming de vídeos ter gostado das novidades apresentadas pela Apple (código APPL), nem todo mundo ficou muito feliz com algumas notícias.

Na opinião dos analistas do banco Goldman Sachs, a opção de oferecer um ano grátis da Apple TV+ a quem comprar o iPhone pode custar caro para a companhia.

Em relatório divulgado hoje (13), os especialistas do banco optaram por abaixar o preço-alvo das ações em 26%, de US$ 187 para US$ 165. As informações são do site Business Insider.

Para os analistas do banco, o motivo é que o preço médio de venda dos iPhones poderia diminuir, por conta da oferta de um ano grátis da Apple TV+ anunciada nesta terça-feira (10). O serviço custaria US$ 4,99 por mês, ou seja, por volta de US$ 60 dólares por ano.

Por exemplo, como o preço de venda do iPhone 11 Pro é US$ 1,000, com o desconto do novo serviço da Apple de US$ 60, o preço para o consumidor seria em torno de US$ 943 e o pacote da Apple TV+ sairia por volta de US$ 56.

Impacto nas margens e receita

De acordo com os analistas, isso poderia impactar bastante as margens futuras do iPhone nos próximos trimestres. Isso ocorreria especialmente porque a queda nos preços do produto não seria acompanhada por uma diminuição nos custos de produção.

Apesar de uma provável contribuição de 25% que os serviços de TV acrescentariam à margem bruta da empresa, os especialistas estimam que a queda na receita no segmento de produto deve resultar "num impacto negativo no resultado por ação de 16%". Isso durante o primeiro trimestre fiscal de 2020.

Ainda que o banco tenha mantido a recomendação neutra para os papéis da companhia, as ações foram impactadas durante o dia.

No fechamento do pregão de hoje (13) na Nasdaq, os papéis terminaram o dia com queda de 1,94%, em US$ 218,75.

Números da companhia

Mesmo depois de passar por tempos difíceis marcados pelo acirramento da guerra comercial entre Estados Unidos e China, os papéis da Apple (código AAPL) apresentam valorização de 39,70% no ano.

E, ao contrário do que apontavam as projeções para o balanço da Apple, a empresa capitaneada por Tim Cook reportou um conjunto de números relativamente sólido no segundo trimestre. 

Na ocasião, a queda nas vendas de iPhones foi compensada por um aumento nas receitas geradas com iPads, iMacs e serviços, e as perdas na China não foram tão grandes quanto o imaginado.

A receita líquida da Apple chegou a US$ 53,8 bilhões no trimestre encerrado em junho, cifra 1% maior que a contabilizada no mesmo período de 2018, de US$ 53,3 bilhões. O resultado ficou ligeiramente acima da média das estimativas de analistas consultados pela Bloomberg, que apontava para receita de US$ 53,35 bilhões.

Por outro lado, o lucro líquido da empresa da maçã caiu 12,8% na mesma base de comparação, para US$ 10,04 bilhões. O lucro por ação, métrica que é acompanhada mais de perto pelos analistas lá de fora, ficou em US$ 2,18 — abaixo dos US$ 2,34 vistos há um ano.

Mas, apesar da queda na comparação anual, o lucro por ação ainda ficou acima das projeções dos analistas, que esperavam um ganho de US$ 2,10, também de acordo com a média calculada pela Bloomberg.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

ESG no Brasil é conversa pra boi dormir?

Na última quinta-feira, véspera do Dia da Consciência Negra, o País ficou horrorizado com a morte de João Alberto de Freitas, homem negro que foi espancado por seguranças de uma loja da rede Carrefour em Porto Alegre. Não foi o primeiro incidente em uma loja da companhia a ganhar o noticiário policial. Desta vez, o […]

diante da crise

Anac aprova reequilíbrio de R$ 1,27 bilhão para quatro aeroportos

Terminais que foram beneficiados foram os aeroportos internacionais de Guarulhos (R$ 854,9 milhões), Brasília (R$ 184,8 milhões), Salvador (R$ 114,9 milhões) e Confins (R$ 111,1 milhões)

últimos capítulos

Centro de treinamento de pilotos da Varig vai a leilão

Funcionários, que esperam há 14 anos por uma solução para o pagamento de indenizações, querem que 80% do valor arrecadado seja rateado entre os 13 mil ex-empregados

Mudou o chefe

Novo diretor da CVM é a favor do voto plural e fim da exclusividade de autônomos

Aos 38 anos, o advogado tomou posse no cargo nesta terça-feira, 24, e participará de discussões relevantes como a reforma dos regimes de ofertas públicas

novo dia de ganhos

Ibovespa se aproxima dos 110 mil pontos com disparada de blue chips em meio à transição de Biden e vacina

Índice fecha perto das máximas, em sessão liderada por ações de administradoras de shoppings. Dólar prossegue em trajetória de queda em novembro, enquanto juros curtos sobem com IPCA-15 maior do que o esperado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies