🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2019-05-17T18:05:55-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Xi...

Adeus iPhone? Preço do celular pode ficar 14% mais caro com novas tarifas de Trump

A análise é de Samik Chatterjee do J.P Morgan. O especialista destaca que com o aumento das tarifas, o preço de venda passaria de US$ 1.000 para US$ 1.142. Veja como as consequências da guerra comercial podem impactar as ações da Apple

17 de maio de 2019
16:39 - atualizado às 18:05
iPhone da Apple
iPhone da Apple - Imagem: Shuttestock

E parece que a guerra comercial não vai deixar só os chineses de cabelo em pé. Uma das companhias que podem ser bastante afetadas é a dona da maçã mais famosa do mundo, a Apple. Segundo relatório do analista Samik Chatterjee do J.P. Morgan divulgado nesta semana, a empresa teria que elevar em 14% o preço do carro-chefe da marca, o iPhone, se quisesse eliminar o impacto do aumento das tarifas americanas contra os chineses.

No documento, o especialista mostra que o preço do celular passaria de US$ 1.000 para US$ 1.1142. Com isso, os iPhones poderiam ficar 14% mais caros.

Isso porque sem o aumento de tarifas, o custo total de produção para a Apple do iPhone XS era de US$ 567. Agora, com a elevação das tarifas de 10% para 25% sobre os produtos chineses, o custo total de produção passaria a ser de US$ 709. Hoje, a produção do iPhone é feita na China.

Possíveis soluções

Diante da situação, a companhia teria algumas opções para escolher. Na visão de Chatterjee, uma delas seria não repassar todo o custo extra de produção aos consumidores. Nesse caso, a empresa teria uma queda de 4% em sua margem bruta, além da possibilidade de impactar a receita da companhia.

Outra opção sugerida pelo analista seria aumentar os preços do iPhone para cobrir até 50% do custo adicional que a Apple teria com o aumento das tarifas. Com isso, os preços do produto teriam que subir 7,5% e o impacto nas margens brutas totais da companhia seria de 0,2%.

Já a última opção seria a de não aumentar o preço do produto. A ideia é mais provável, segundo o analista. Já que há um grande risco de obrigar os clientes a pagar por tudo, o que poderia afetar bastante a demanda.

Hoje, a empresa já enfrenta problemas com a demanda do iPhone diante de novidades lançadas pela Samsung e pela Huawei, e uma subida nos preços poderia impactar ainda mais as vendas do celular.

Impacto nas ações

E a possível subida no preço do produto poderia ter fortes consequências na bolsa de valores. Segundo Chatterjee, a expansão das tarifas sobre produtos de hardware poderia trazer uma queda de 14% no lucro por ação da companhia.

"E os impactos dessa sobretaxação poderiam levar a uma baixa ainda mais acentuada dos papéis no curto prazo à medida em que as negociações entre os Estados Unidos e China ficarem piores", destaca o especialista.

Desde o começo de maio, as ações da companhia (código AAPL) estão em queda de cerca de 5,41%. Por volta das 16h35 de hoje (17), os papéis da companhia estavam sendo negociados a US$ 189,83.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Disputa pelos ares

China compra cerca de 300 aviões da Airbus, em novo golpe à rival Boeing

A Boeing citou repetidamente a China como essencial para seus planos de crescimento da produção, mas perdeu para a rival Airbus na encomenda mais recente do gigante asiático

ROTA DO BILHÃO

Warren Buffett: Como o megainvestidor acumulou uma fortuna de US$ 95 bilhões e se tornou o sexto homem mais rico do mundo

Aos 11 anos, Buffett fez seu primeiro investimento na bolsa de valores; CEO da Berkshire Hathaway, construiu riqueza com alocações a longo prazo e baixo risco

TRILHAS DE CARREIRA

Orgulho LGBTQIAP+ e carreira: três passos para a sua afirmação profissional

Sendo parte da comunidade LGBTQIAP+, sinto o dever de falar sobre carreira para todos os que, de alguma forma, não conseguem se ver representados no ambiente de trabalho

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies