Menu
2019-04-10T08:18:33-03:00
Estadão Conteúdo
Expansão

AES Tietê compra complexo eólico da Renova Energia

Compra inclui 438 MW em fase pré-operacional, pela qual a companhia pagará R$ 350 milhões. Há ainda 305 MW para serem construídos e que custarão R$ 90 milhões.

10 de abril de 2019
8:18
Parque de geração de energia eólica
Parque de geração de energia eólica - Imagem: Shutterstock

A AES Tietê anunciou nessa terça-feira, 9, a compra do Complexo Eólico Alto Sertão III da Renova Energia num negócio que pode somar R$ 516 milhões. Além do parque em operação, a aquisição inclui uma parte do projeto que ainda será construída e uma carteira de 1.100 MW a serem desenvolvidos. O negócio ainda precisa de aprovação dos órgãos competentes e também depende do cumprimento de ambas as partes de algumas condicionantes prevista no contrato.

A compra inclui 438 MW em fase pré-operacional, pela qual a AES Tietê pagará R$ 350 milhões. Há ainda 305 MW para serem construídos e que custarão R$ 90 milhões. A carteira de projetos de 1.100 MW a serem desenvolvidos podem representar mais R$ 76 milhões, dependendo do resultado da auditoria que a empresa americana está fazendo. Além desses valores, a companhia assumirá a dívida financeira do projeto, de R$ 988 milhões.

Fundada em 2001, a Renova tem como sócios a estatal mineira Cemig; a Light, do Rio de Janeiro; e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No fim de marco, Cemig e Light compraram a participação do fundo CG I, dos fundadores da Renova. Isso dá ao BNDES o direito de vender também sua participação na empresa, que deverá fazer uma oferta pública de ações para comprar os papéis que estão no mercado.

A venda de Alto Sertão III estava sendo negociada desde o ano passado. Até agosto, a empresa estava em conversas para fechar com a canadense Brookfield. Mas o negócio não foi adiante e a AES entrou no páreo.

Hoje o projeto está com 87% dos investimentos concluídos. No total, foram gastos R$ 2,1 bilhões, sendo R$ 900 milhões de dívidas com o BNDES - originalmente, esse valor era de R$ 650 milhões referente a um empréstimo ponte que vem sendo renovado a juros altos. Para concluir o empreendimento, faltam R$ 325 milhões.

O projeto faz parte de um conjunto de três complexos eólicos levantados pela Renova na Bahia. Os dois primeiros, que somam quase 700 MW de potência instalada, já foram vendidos. O primeiro foi adquirido pela Brookfield e o segundo pela AES Tietê, que agora compra o terceiro complexo.

Com a venda de Alto Sertão III, a Renova fica com 16 PCHs em operação e uma carteira de cerca de 5 mil MW de projetos de energia renovável em desenvolvimento, afirma o vice-presidente da Renova, Claudio Ribeiro da Silva Neto. "Além da venda, está havendo uma reorganização das dívidas da Renova, no total de R$ 1,4 bilhão, com bancos, Cemig e Light."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

pandemia

Covid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil

Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.459 mortes no país

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies