Menu
2019-12-12T19:05:41-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Altas e baixas

Sabesp, MRV e varejistas: os destaques da bolsa nesta quinta-feira

As ações da MRV e das varejistas aparecem entre as maiores altas do Ibovespa nesta quinta-feira, enquanto os papéis da Sabesp têm o pior desempenho do dia

12 de dezembro de 2019
16:38 - atualizado às 19:05
Sistema Cantareira, administrado pela Sabesp
Sistema Cantareira, administrado pela Sabesp - Imagem: Shutterstock

O Ibovespa teve uma sessão bastante positiva nesta quinta-feira (12) e renovou os recordes de fechamento, puxado pelo bom desempenho das ações da MRV e do setor de varejo. Na ponta oposta, chamou a atenção Sabesp ON (SBSP3), que operou em queda firme desde o início do dia e destoa do restante do índice.

Os papéis da estatal paulista recuaram 3,35%, a maior queda entre todos os ativos do Ibovespa, no dia seguinte à aprovação, pela Câmara dos Deputados, do projeto de lei (PL) que cria as bases do novo marco regulatório do saneamento.

Entre outros pontos, a proposta facilita a privatização das estatais do setor e estabelece os índices mínimos de eficiência para a contratação de serviços via licitação, criando um arcabouço favorável às empresas de saneamento de maior porte e que já possuem ações negociadas em bolsa, como Sabesp, Sanepar e Copasa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Os ativos dessas duas últimas, aliás, também terminaram em baixa: fora do Ibovespa, Copasa ON (CSMG3) recuou 4,99% e as units da Sanepar caíram 1,79%. Mas, se a aprovação do novo marco é positiva para o setor, por que os papéis ficaram no campo negativo?

Para Sabrina Cassiano, analista da Necton Investimentos, o fato de a discussão dos destaques do PL — isto é, as propostas de alteração no texto — ter ficado apenas para a próxima semana traz alguma apreensão aos mercados.

"É um processo mais lento que o imaginado. A votação foi ontem, mas depois de alguns adiamentos", diz a analista. "Estamos bem em cima do prazo para aprovação na Câmara ainda neste ano, se tivermos mais adiamentos, o cronograma fica um pouco preocupante".

Assim, com esse fator de incerteza no horizonte, o mercado optou por realizar parte dos ganhos contabilizados nos papéis, que já vinham subindo forte nos últimos dias, em meio à expectativa pela aprovação do projeto. A perspectiva para as ações do setor, contudo, segue positiva.

Cassiano diz que o novo marco tende a impulsionar as ações dessas empresas, especialmente a Sabesp, uma vez o governo de São Paulo já condicionou a privatização da empresa à aprovação do projeto.

"Sabesp, Copasa e Sanepar também poderão aumentar o escopo de atuação, já que, hoje, elas têm um nível de atendimento muito melhor que a média nacional", diz.

MRV e construtoras

No lado positivo, MRV ON (MRVE3) teve o melhor desempenho do índice, avançando 6,16%. Há dois fatores que ajudam a explicar os ganhos no papel: a perspectiva positiva para a economia brasileira e os vetos presidenciais a alguns itens da MP/889, texto que estabelece as normas do saque-aniversário do FGTS.

Em primeiro lugar, o corte da taxa Selic ao nível de 4,5% ao ano e a perspectiva de manutenção dos juros em níveis baixos por um longo tempo é benéfico para o setor de construção por estimular o consumo e, consequentemente, aquecer o nível de atividade doméstico.

Em segundo, o presidente Jair Bolsonaro vetou as cláusulas do MP/889 que previam a diminuição gradual dos subsídios do FGTS ao programa "Minha Casa, Minha Vida" — itens que traziam preocupação ao setor de construção, especialmente as empresas que atuam no segmento de baixa renda.

Assim, as empresas com esse perfil, como a MRV, foram as mais beneficiadas no pregão de hoje — fora do Ibovespa, Tenda ON (TEND3) e Direcional ON (DIRR3) também são impulsionadas, exibindo ganhos de 5,09% e 2,07%, nesta ordem.

Varejistas

Assim como as construtoras, as varejistas também foram beneficiadas pelo cenário de juros baixos e estímulo ao consumo. Lojas Americanas PN (LAME4) teve ganho de 6,03%, B2W ON (BTOW3) avançou 5,23% e GPA PN (PCAR4) valorizou 1,48%.

Lojas Americanas e B2W possuem um impulso extra: o Credit Suisse elevou as recomendações e preços-alvo para os dois papéis, mostrando um otimismo maior em relação à perspectiva para ambas as empresas.

Já Via Varejo ON (VVAR3), que liderava os ganhos do índice e subia cerca de 8%, virou nos minutos finais do pregão e fechou em queda de 3,10%, após a empresa confirmar uma fraude contábil com impacto bilionário no resultado do quarto trimestre.

Top 5

Veja abaixo os cinco papéis com as maiores altas do Ibovespa nesta quinta-feira:

  • MRV ON (MRVE3): +6,16%
  • Lojas Americanas PN (LAME4): +6,03%
  • B2W ON (BTOW3): +5,23%
  • Usiminas PNA (USIM5): +4,03%
  • CVC ON (CVCB3): +3,87%

Confira também as ações com os piores desempenhos do índice:

  • Sabesp ON (SBSP3): -3,35%
  • Via Varejo ON (VVAR3): -3,10%
  • Equatorial ON (EQTL3): -1,64%
  • Marfrig ON (MRFG3): -1,17%
  • Qualicorp ON (QUAL3): -1,08%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Vítima da guerra das maquininhas

Lucro da Cielo cai pela metade em 2019 e despenca 68% no 4º trimestre

A estratégia deliberada da empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco é sacrificar as margens de lucro para defender a liderança do mercado de maquininhas de cartão. Os números refletem bem esse esforço, para o bem e para o mal

POLÍTICA

Moro diz que quem vai decidir o vice (em 2022) é o presidente; mas ideal é o vice Mourão

O ministro considerou que “pode ser que no futuro lá distante volte a se cogitar isso” e defendeu: “Não acho uma boa ideia”. “Os ministérios juntos são mais fortes.”

APROVADA SEM RESTRIÇÕES

Cade aprova compra da Embraer pela Boeing

A operação analisada pelo Cade prevê duas transações. Uma delas consiste na aquisição pela Boeing de 80% do capital do negócio de aviação comercial da Embraer, que engloba a produção de aeronaves regionais e comerciais de grande porte (operação comercial)

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Bolsa contaminada pelo coronavírus

Caro leitor, A semana começou mal para as bolsas do mundo todo. O avanço do coronavírus na China durante o fim de semana colocou os mercados de molho nesta segunda. Já foram confirmados quase 3 mil casos em mais de dez países, sendo a maioria deles na China. Até agora, foram computadas 82 mortes. Os […]

Cautela elevada

Em dia de queda de 3% do Ibovespa com alerta sobre coronavírus, ações de drogaria sobem

A disseminação do coronavírus elevou a aversão ao risco nos mercados financeiros, derrubando o Ibovespa e fazendo o dólar romper a marca de R$ 4,20. Apenas cinco ações do índice subiram, incluindo Raia Drogasil

DE OLHO NO CORONAVÍRUS

‘Índice do medo’ atinge patamar visto no auge da guerra comercial e sobe mais de 25%

Na máxima intradiária, o indicador chegou a bater a casa dos 19,02 pontos, valor que não era visto desde outubro do ano passado quando ele atingiu a marca dos 19,28 pontos

CONCESSÕES

Maia definirá até dia 30 quando lei de concessões vai a plenário, dizem deputados

“Se ele (presidente da Câmara) estiver convencido de que esse texto é um texto bom, que atende a sociedade, eu acho que a gente vota ele rápido”, disse também o deputado João Maria

CRÉDITO

Demanda por crédito do consumidor cai em dezembro e cresce em 2019, diz Boa Vista

Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro apresentou elevação de 6,1% no ano, enquanto o segmento Não Financeiro registrou evolução de 2,5% na mesma base de comparação

primeira avaliação

Quão longe a XP pode ir? Para o BTG, ação da corretora já está bem precificada

BTG Pactual inicia cobertura das ações da corretora com recomendação neutra para os papéis.

DE OLHO NA REFORMA

Reforma administrativa quer acabar com promoções por tempo de serviço

O governo vai propor ainda a vedação das aposentadorias como forma de punição

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements