Menu
2019-06-26T15:30:51-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Subindo!

Ações da Thyssenkrupp vão para cima com possível venda da divisão de elevadores

Rumores crescentes quanto à compra da divisão de elevadores da Thyssenkrupp para a empresa finlandesa Kone animam a bolsa da Alemanha nesta quarta-feira (26)

26 de junho de 2019
12:18 - atualizado às 15:30
Pessoa aperta botão "para cima" de um elevador
Ações da Thyssenkrupp lideram os ganhos do índice DAX, da Alemanha - Imagem: Shutterstock

Quase todas as bolsas da Europa fecharam o pregão desta quarta-feira (26) com um leve viés negativo. No entanto, um dos principais índices acionários do velho continente destoou do restante: na Alemanha, o DAX teve ganho de 0,14%. E isso porque o mercado alemão pegou carona num elevador da Thyssenkrupp — e ele estava subindo.

As ações do conglomerado fecharam em forte alta de 6,88%, a 12,50 euros, e apresentaram o melhor desempenho do DAX nesta quarta-feira— o índice é composto pelos ativos das 30 maiores empresas de capital aberto da Alemanha. Tudo isso por causa dos rumores crescentes envolvendo a venda de uma segmento chave da companhia.

De acordo com a publicação Der Platow Brief, a empresa finlandesa Kone está preparando uma oferta pela divisão de elevadores da Thyssenkrupp — os valores da proposta estariam oscilando entre 12 e 15 bilhões de euros. Mais cedo, as ações da companhia alemã chegaram a avançar 8,89%, a 12,73 euros.

O interesse da Kone nos elevadores da Thyssenkrupp não é novo. No mês passado, a Reuters já havia afirmado que os finlandeses estariam estudando a compra da divisão, em meio às dificuldades financeiras enfrentadas pela empresa da Alemanha.

Recentemente, a Thyssenkrupp declarou que planejava abrir o capital de sua divisão de elevadores, de modo a levantar recursos de maneira rápida. No entanto, a Kone parece ter planos diferentes — e a edição de hoje do Der Platow Brief fortalece as apostas numa negociação direta entre as partes.

A empresa alemã encerrou o segundo trimestre fiscal do ano 2018/2019 — período finalizado em 31 de março — com receita líquida de 10,6 bilhões de euros. A divisão de elevadores respondeu, sozinha, por 1,87 bilhão de euros, ou 17,6% da receita total do grupo.

Em seu último relatório financeiro, a Thyssenkrupp diz projetar um prejuízo líquido no ano fiscal 2018/2019, em função de gastos de reestruturação para melhorias de desempenho no futuro e de provisões no médio prazo. Preparações para o IPO do segmento de elevadores também são citados como fator de pressão para o resultado líquido da empresa.

Mesmo com os ganhos de hoje, as ações da empresa alemã ainda acumulam perdas de mais de 15% desde o início do ano. Já os papéis da Kone terminaram o pregão desta quarta-feira em alta de 0,50% na bolsa de Helsinque — em 2019, os ativos da companhia finlandesa acumulam valorização de quase 30%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

ESTRADA DO FUTURO

A equação do e-commerce: onde estamos investindo quando o assunto é varejo

O varejo é grande demais para exista um tipo de “vencedor leva tudo”. Na geração de demanda é a mesma coisa. Todos estão crescendo como derivada de uma tendência maior, que é o desenvolvimento do e-commerce

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies