Menu
2019-10-28T14:28:28-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
em busca da joia

Ações da joalheria Tiffany disparam após proposta de US$ 14,5 bilhões de dona da Louis Vuitton

A oferta avalia a Tiffany em US$ 120 por ação, cifra 22% superior ao valor do pregão da sexta; papeis da companhia subiam quase 30% na manhã desta segunda

28 de outubro de 2019
11:17 - atualizado às 14:28
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's")
A atriz Audrey Hepburn no filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's") - Imagem: Divulgação

As ações da Tiffany & Co negociadas na bolsa de Nova York abriram em alta brusca nesta segunda-feira (28) após a gigante LVMH, dona da marca Louis Vuitton, oferecer US$ 14,5 bilhões pela empresa. O valor equivale a R$ 58 bilhões, considerando a cotação de sexta-feira.

A oferta avalia a Tiffany em US$ 120 por ação, cifra 22% superior ao valor do pregão da sexta-feira (25%). Por volta das 11h, os papeis da Tiffany eram negociados a US$ 127,54, numa alta de 29,42%

No ano, os ativos da companhia tem alta da ordem de 24% - considerando o valor do fechamento do pregão de sexta-feira. Acompanhe nossa cobertura de mercados.

A proposta da dona da Louis Vuitton surgiu no início de outubro, numa tentativa de expansão no mercado de luxo dos Estados Unidos, segundo a Bloomberg - mas foi confirmada pela companhia apenas segunda-feira, em fato relevante.

No entanto, a Tiffany deve rejeitar a oferta por considerá-la subvalorizada, disse o Financial Times.

Relevância

A companhia que recebeu a proposta da dona da Louis Vuitton tem quase 200 anos. Foi fundada em 1837 por Charles Lewis Tiffany, em Nova York.

De lá para cá, a marca se tornou sinônimo de elegância, inovação e criatividade - passando por um processo de expansão e consolidação durante o século XX.

A partir de 1961, a Tiffany ficou marcada na cultura pop com o lançamento do filme "Bonequinha de Luxo" ("Breakfast at Tiffany's").

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies