Menu
2019-04-04T13:59:40-03:00
Estadão Conteúdo
Agora vai?

A novela da cessão onerosa parece estar próxima do seu capítulo final

Ministro interino de Minas e Energia, Márcio Félix, disse que o governo está próximo de fechar um acordo com a Petrobras

24 de setembro de 2018
15:09 - atualizado às 13:59
Família assiste novela
Acordo entre governo e Petrobras vem sendo costurado há tempos - Imagem: Shutterstock

O ministro interino de Minas e Energia, Márcio Félix, disse nesta segunda-feira, 24, que o acordo sobre a cessão onerosa entre o governo e a Petrobras "está quase fechado" e que, no momento, está sendo avaliado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O mesmo ocorre com os termos do leilão do excedente da cessão onerosa, previsto para ocorrer em 2019 e que pode arrecadar R$ 100 bilhões.

Entenda o caso

A cessão onerosa é uma área na bacia de Santos que foi cedida pelo governo à Petrobras em 2010, em troca indireta de ações da estatal pelo direito de explorar até 5 bilhões de barris de petróleo. Durante a exploração, a Petrobras comprovou a existência de um volume maior do que o esperado, o que será vendido pelo governo em leilão.

"Estamos quase fechando, está no TCU para avaliação prévia do leilão excedente e da própria negociação", afirmou Félix após participar da abertura da Rio, Oil & Gas 2018, lembrando que a avaliação do TCU não atrasa o processo porque, de qualquer maneira, as duas questões teriam que passar pelo órgão.

Sem medo do futuro

Felix também afirmou que não teme que o próximo governo suspenda os leilões já anunciados pela gestão atual, "porque prevalecerá o bom senso", dando como certa a realização de rodadas de licitações e de partilha até 2021, como já foi divulgado.

"Eu acredito que prevalecerá o bom senso, porque os resultados são pujantes, o Brasil precisa disso. Dependendo da linha do candidato (à presidência da República) pode ter ajuste pra lá e pra cá, mas eu acredito que isso vai ser mantido", disse Félix, que representou o governo no evento que será realizado até quinta-feira no Riocentro, zona oeste do Rio de Janeiro.

E o pré-sal?

O ministro interino também encontrou espaço para falar das expectativas com a 5ª Rodada de Partilha de Produção, que venderá na sexta-feira áreas no pré-sal das bacias de Santos e Campos. Ele disse esperar que a rodada seja um grande sucesso e venderá todas as quatro áreas ofertadas, arrecadando R$ 6,8 bilhões para o governo em bônus de assinatura, fora o lucro-óleo que será ofertado.

A 5ª Rodada de Partilha de Produção vai ofertar 4 áreas: Titã, Saturno e Pau-Brasil na bacia de Santos e Sudoeste de Tartaruga Verde, na bacia de Campos, único para o qual a Petrobras exerceu o direito de preferência para ser operadora e ter no mínimo 30% do ativo, assegurado pela lei da partilha.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Não tem para ninguém

CEO mais bem pago de 2020, Elon Musk recebeu US$ 11 bilhões mesmo sem salário fixo na Tesla

O executivo cumpriu metade das metas de seu pacote de remuneração e garantiu uma fatia bilionária de ações da montadora de carros elétricos

Fim de uma era?

Grupo Globo anuncia o fim da revista Época; publicação passará a circular como encarte de jornal

O site da publicação também será integrado ao do jornal em uma decisão que busca enfrentar a transição do conteúdo físico para o online

Explica direito isso aí...

Procon-SP cobra explicações de Gol, Azul, Latam e mais 7 aéreas sobre cancelamentos, remarcações e reembolsos na pandemia

As empresas têm até o dia 10 de maio para responderem questionamentos sobre sua política de comercialização de passagens no período

Melhorias no ar

Azul divulga projeções e aposta em recuperação total no início de 2022

A companhia aérea foi a única das Américas a aumentar seu caixa em 2020 e aposta em um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões no próximo ano

Podcast Tela Azul

CASH3: Conheça a Méliuz, sua estratégia de cashback e saiba por que esta ação tech está bombando

Em entrevista para o Podcast Tela Azul da Empiricus, Lucas Marques, COO da Méliuz, conta sobre a onda da estratégia de cashback e como ela funciona. É falado também do atual foco da companhia em Growth, e dos planos futuros. Entenda o que é o “jabutiCAC”, jargão que surgiu nesta edição.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies