Menu
2018-12-21T10:21:56-02:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Consumidor animado novamente?

FGV: Confiança do consumidor alcança em dezembro maior nível desde abril de 2014

Após três meses de altas, o consumidor percebe uma melhora da situação atual, com inflação em queda, taxas de juros estáveis, maior acesso ao crédito e maior oferta de emprego. O endividamento das famílias mantém-se elevado e, talvez por isso, neste mês, os consumidores tenham reavaliado o ganho expressivo das expectativas observado nos meses anteriores

21 de dezembro de 2018
10:20 - atualizado às 10:21
Consumo
Imagem: shutterstock

A confiança do consumidor avançou 0,6 pontos em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira, 21, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) passou de 93,2 pontos em novembro para 93,8 pontos em dezembro. Esse é o maior nível registrado desde abril de 2014 (96,0 pontos). Nos últimos três meses, o índice acumulou alta de 11,7 pontos, fechando o ano 5,7 pontos acima do mesmo período do ano anterior.

"O ano de 2018 foi difícil para os consumidores, mas fecha com uma sequência de resultados positivos que sinalizam uma recuperação da confiança. Após três meses de altas, o consumidor percebe uma melhora da situação atual, com inflação em queda, taxas de juros estáveis, maior acesso ao crédito e maior oferta de emprego. O endividamento das famílias mantém-se elevado e, talvez por isso, neste mês, os consumidores tenham reavaliado o ganho expressivo das expectativas observado nos meses anteriores. Aparentemente, aguarda-se 2019 para voltarem a consumir com mais ímpeto ", avaliou Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor, em nota oficial.

A alta do ICC em dezembro foi determinada pela melhora das avaliações sobre a situação atual. No último mês do ano, o Índice de Situação Atual (ISA) subiu 2,4 pontos, para 77,0 pontos, no maior nível desde maio de 2018 (77,2). Já as expectativas, após atingir o máximo histórico no mês anterior, acomodaram, com uma suave queda. O Índice de Expectativas (IE) caiu 0,8 ponto, passando de 106,4 para 105,6 pontos.

O grau de satisfação com a economia no momento subiu 2,8 pontos, para 83,9 pontos. Já o indicador que mede o otimismo dos consumidores com relação à situação financeira da família nos meses seguintes recuou 2,8 pontos dos 15,2 pontos acumulados em outubro e novembro. "Esse foi um dos principais fatores a conter um avanço mais expressivo da confiança no mês", destacou a FGV.

Na análise por faixas de renda, houve queda, em termos absolutos, da diferença em pontos entre novembro e dezembro. Nos últimos três meses, a maior contribuição positiva veio das famílias com renda familiar mensal até R$ 2.100, acumulando alta de 16,3 pontos.

A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.776 domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1 e 18 de dezembro.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

13 notícias para começar o dia bem informado

Pode parecer que a frase a seguir tenha uma contradição, mas é isso mesmo. A renda fixa deu uma boa chacoalhada nos últimos dias. O mau humor dos mercados com a possível pedalada fiscal do programa Renda Cidadã esticou os juros futuros. Para Alfredo Menezes, CEO da Armor Capital e ex-diretor da Tesouraria do Bradesco, […]

CRISE PESADA

Desemprego é recorde e pode piorar

Total de postos extintos supera os 11,5 milhões e taxa de desemprego no trimestre até julho é a pior da série histórica da Pnad

esquenta dos mercados

Otimismo com novo pacote de estímulo nos Estados Unidos anima bolsas globais

No Brasil, os investidores seguem atentos ao noticiário em Brasília e nas novidades envolvendo a forma de financiamento do Renda Cidadã

DINHEIRO NO BOLSO

SulAmérica vai pagar R$ 75 milhões em JCP aos acionistas

Valores estão previstos para serem pagos a partir de 16 de abril de 2021, em uma parcela única

OFERTA NA BOLSA

Natura anuncia oferta global de ações de R$ 6,2 bilhões

Empresa quer levantar recursos para acelerar o crescimento nos próximos três anos e reduzir o endividamento em dólar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements