Menu
2018-10-22T20:27:53-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mercado de trabalho

Depois de vazar seus próprios dados, Ministério do Trabalho confirma geração recorde de empregos formais em setembro

Mês de setembro foi o nono seguido com criação de postos formais. Temer comemorou a marca

22 de outubro de 2018
19:04 - atualizado às 20:27
carteira-de-trabalho
Carteira de trabalho - Imagem: Shutterstock

Depois de (mais uma vez) vazar as informações que ele mesmo ia divulgar, o Ministério do Trabalho confirmou que o mercado de trabalho brasileiro criou 137.336 empregos com carteira assinada em setembro. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que teve o melhor resultado para o mês desde setembro de 2013, quando foram gerados 211.068 empregos formais.

Foi o nono mês seguido com criação de postos formais, de acordo com a série histórica com ajuste sazonal. Setembro registrou o melhor desempenho do ano e ficou à frente de abril, quando a economia gerou 127.134 empregos - até então, o melhor resultado de 2018. Não foi à toa que o presidente Michel Temer, em clima de fim de festa, usou suas redes sociais para comemorar.

O resultado veio melhor que o previsto pelos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam criação de emprego entre 47.819 a 127.000 vagas, sem ajuste sazonal. Com base no intervalo de 13 estimativas, a mediana indicava a criação de 100.000 empregos formais em setembro.

No acumulado de janeiro a setembro, o Caged registra criação de 719.089 empregos formais na série com ajuste sazonal. Nos 12 meses até setembro, o Ministério do Trabalho registra a criação de 459.217 empregos com carteira assinada.

Serviços puxando o emprego

Um dado de destaque do Caged foi o crescimento do emprego no setor de serviços, que registrou a criação de 60.961 postos de trabalho. A indústria de transformação, que elevou o número de trabalhadores com carteira assinada em 37.449 vagas, foi o segundo segmento que mais gerou empregos, seguido pelo comércio, com 26.685 postos no mês passado.

Entre os demais setores, a construção civil criou 12.481 empregos, os serviços industriais de utilidade pública ganharam 1.091 postos, a administração pública registrou 954 novos empregos e o segmento de extração mineral teve 403 novas vagas. Por outro lado, o agronegócio registrou fechamento de 2.688 empregos formais no mês passado. Esse foi o único setor econômico com fechamento de empregos em setembro.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

retomatada

Criação de empregos em agosto atinge melhor nível em nove anos

Segundo dados divulgados pelo Caged, 249.388 postos de trabalho com carteira assinada foram abertos no último mês

para substituir celso de mello

Indicação ao STF: Nome de Bolsonaro, Kassio Marques é discreto e bem avaliado

O desembargador, que tem 48 anos, se nomeado, poderá ficar na Corte até 2047

chefe do bc

Houve aumento da volatilidade e na proporção de minicontratos de dólar, diz Campos Neto

O chefe do Banco Central, no entanto, disse que “não é necessariamente uma relação de causa”

papéis com desconto

Raia Drogasil sobe forte com plano de expansão; veja o que dizem analistas

Papéis da rede de farmácias (RADL3) subiam 6,70%, a R$ 23,40, no início da tarde desta quarta; empresa anunciou plano de expansão e modernização das lojas

Dois meses de adiamento

Congresso cancela análise de vetos de Bolsonaro

Cancelamento prorroga a análise dos vetos às propostas de desoneração da folha salarial para 2021 e do novo marco legal do saneamento básico, entre outros itens polêmicos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements