Menu
2019-04-04T14:01:09-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Nova pesquisa confirma que a vitória de Bolsonaro no 1º turno está muito distante

Números da CNI/Ibope mostram Candidato do PSL aparece com 27% das intenções de voto, enquanto o petista tem 21%

26 de setembro de 2018
14:31 - atualizado às 14:01
Jair Bolsonaro
Pesquisa CNI também mostrou estagnação do candidato do PSL - Imagem: Shutterstock

A CNI divulgou na tarde desta quarta-feira, 26, sua mais recente pesquisa eleitoral para presidente. Nesse levantamento, elaborado pelo Ibope, a tendência de estagnação de Jair Bolsonaro (PSL) observada nas pesquisas do BTG Pactual e do Ibope que saíram no começo da semana foi confirmada.

O candidato do PSL aparece com 27% das intenções de voto, seguido por Fernando Haddad (PT), com 21%. Ciro Gomes (PDT) tem 12% e Geraldo Alckmin (PSDB) 8%.

Veja todos os números:
Jair Bolsonaro (PSL) - 27%
Fernando Haddad (PT) - 21%
Ciro Gomes (PDT) - 12%
Geraldo Alckmin (PSDB) - 8%
Marina Silva (Rede) - 6%
João Amoêdo (Novo) - 3%
Henrique Meirelles (MDB) - 2%
Alvaro Dias (Podemos) - 2%
Guilherme Boulos (Psol) - 1%
Brancos/Nulos - 11%
Não sabe/não respondeu - 7%

Já na pesquisa espontânea, quando os eleitores podem citar qualquer nome, Bolsonaro aparece com 24%, Haddad 15%, Ciro 7% e Alckmin 3%.

Rejeição a Bolsonaro se mantém alta

A rejeição à candidatura de Bolsonaro no primeiro turno confirmou a tendência de alta dos últimos levantamentos e se mantém isolada como a mais alta entre os presidenciáveis. Entre os eleitores pesquisados, 44% afirmam que não votariam de jeito nenhum no candidato do PSL.

Na segunda colocação entre os mais rechaçados aparecem Marina e Haddad, empatados com 27% cada. A rejeição ao nome de Alckmin ficou em 19% e de Ciro 16%.

Candidato do PSL só ganha de Marina no 2º turno

A CNI também confirmou o enfraquecimento do nome de Bolsonaro nos possíveis cenários de segundo turno. Contra Fernando Haddad, ele perderia de 42% a 38%.

Já numa disputa de Ciro Gomes com Bolsonaro, o pedetista ganharia a disputa por 44% a 35% do deputado. Contra Alckmin, Bolsonaro perde de 40% a 38%.

O único cenário em que o deputado está à frente no segundo turno é contra Marina Silva. Nessa disputa ele venceria a candidata da Rede por 40% a 38%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fechou bem o ano

Petrobras tem lucro de quase R$ 60 bi no 4º trimestre e anuncia R$ 10 bi em dividendos

Alta extraordinária de 635% no lucro teve influência de itens não recorrentes de peso, mas mesmo o lucro recorrente totalizou R$ 28 bilhões, alta de 120% na comparação anual; em 2020, estatal lucrou R$ 7,1 bilhões, queda de 82% em relação a 2019

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Quanto vale a Eletrobras privatizada

Ontem à noite, o governo federal entregou ao Congresso a Medida Provisória que possibilita a privatização da Eletrobras e de quase todas as suas subsidiárias. O procedimento será feito por meio de uma capitalização que vai diluir a participação da União, que apenas manterá uma ação com poderes especiais de veto, a chamada golden share. […]

FECHAMENTO

Eletrobras dá susto na reta final, mas Ibovespa segue se recuperando do tombo recente; dólar recua

Estatais seguem se recuperando do tombo recente e a bolsa brasileira também conta com uma ajudinha do exterior

De volta ao topo

País volta a ser maior mercado de caminhão da Mercedes, que reafirma investimento

O volume supera os 24,5 mil caminhões vendidos na Alemanha, que caiu para a segunda posição no ranking de mercados globais da montadora.

Retomada

Faturamento da indústria de máquinas sobe 38,5% em janeiro em comparação anual

A expectativa é de que as vendas internas continuem positivas.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies