Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:58:09-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Mudanças fiscais

Aliados de Bolsonaro divulgam novas pistas sobre a reforma da Previdência em um eventual governo do capitão

Eleitos deputados federal e estadual, general Roberto Sebastião Peternelli Júnior e capitão reformado do Exército Castelo Branco falaram sobre a questão dos militares

17 de outubro de 2018
14:27 - atualizado às 13:58
Jair Bolsonaro
Deputados eleitos e aliados de Bolsonaro disseram que as especificidades dos militares devem ser respeitadas em uma reforma da Previdência - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Jair Bolsonaro já deixou claro que, se for eleito, não vai levar a proposta de reforma da Previdência do governo Temer para frente. O candidato do PSL defende uma reforma própria, que ele mesmo chama de "mais realista e fácil de passar pelo Congresso".

A questão é que a grande névoa que rodeia as propostas econômicas dele e de seu futuro ministro da Economia (uma fusão de Fazenda e Planejamento), Paulo Guedes, coloca dúvidas e ansiedade em muita gente do mercado sobre como seria essa nova Previdência.

Mas aos poucos novidades vão aparecendo e as coisas vão ficando claras. Nesta quarta-feira, 17, por exemplo, o general Roberto Sebastião Peternelli Júnior, deputado federal eleito pelo PSL, e o capitão reformado do Exército Castelo Branco, eleito deputado estadual pelo partido em São Paulo, deixaram escapar que uma reforma da Previdência em um futuro governo Bolsonaro deve "preservar as especificidade das carreiras militares" e "combater privilégios".

"Os militares têm características completamente distintas de outras profissões. Há de se manter essas especificidades", Castelo Branco, capitão reformado do Exército.

Vale dizer que, semana passada, o Castelo Branco se encontrou com o economista Paulo Tafner para ouvir cenários para a reforma e ouviu de Tafner que existem três cenários possíveis, mas que os três inevitavelmente atingirão todas as camadas da sociedade serão afetadas.

"É preciso um estudo adequado se o desembargador vai entrar, o governador vai entrar, o deputado vai entrar, não há porque os militares não entrarem", disse Peternelli. "De formas diferentes, respeitando suas especificidades", completou Castelo Branco.

Sobre o combate a privilégios, nenhum dos dois deputados eleitos especificaram quais seriam.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

VAI FALTAR?

Petrobras nega risco de desabastecimento e cortes em pedidos de combustíveis

Desmentido vem à tona depois de a Associação das Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom) ter relatado cortes na entrega de produtos pedidos para novembro

Insights Assimétricos

A força do dólar: veja quanto da moeda americana você deve ter na carteira

Movimento global de fortalecimento da divisa dos EUA salta aos olhos, mas existe um limite para a exposição de seus investimentos ao dólar, além de um melhor ponto de entrada

Reduza sua conta de luz

Quer instalar energia solar em casa para economizar? Descubra se é para você

Já vimos que a geração de energia solar em casa pode valer muito a pena; veja para quais perfis de consumidores e residências o sistema é indicado

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

GETT11 chega à bolsa com o pé direito, novo auxílio emergencial no horizonte e outros destaques do dia

Com as duas maiores economias do mundo frustrando as expectativas dos investidores e o futuro das contas públicas em um limbo, o Ibovespa não teve muito fôlego para escapar do vermelho e encerrou o dia em queda de 0,19%, aos 114.428 pontos. O Produto Interno Bruto (PIB) chinês, que cresceu 4,9% no terceiro trimestre, veio […]

Arrumando a mala

Locaweb (LWSA3) vai deixar a B3? Empresa estuda listagem nos Estados Unidos, afirma portal

Avaliada em R$ 13,5 bilhões, a empresa estreou na B3 em fevereiro do ano passado, mas pode estar prestes a abrir capital em outro país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies