Menu
2019-04-04T13:58:09-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Mudanças fiscais

Aliados de Bolsonaro divulgam novas pistas sobre a reforma da Previdência em um eventual governo do capitão

Eleitos deputados federal e estadual, general Roberto Sebastião Peternelli Júnior e capitão reformado do Exército Castelo Branco falaram sobre a questão dos militares

17 de outubro de 2018
14:27 - atualizado às 13:58
Jair Bolsonaro
Deputados eleitos e aliados de Bolsonaro disseram que as especificidades dos militares devem ser respeitadas em uma reforma da Previdência - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Jair Bolsonaro já deixou claro que, se for eleito, não vai levar a proposta de reforma da Previdência do governo Temer para frente. O candidato do PSL defende uma reforma própria, que ele mesmo chama de "mais realista e fácil de passar pelo Congresso".

A questão é que a grande névoa que rodeia as propostas econômicas dele e de seu futuro ministro da Economia (uma fusão de Fazenda e Planejamento), Paulo Guedes, coloca dúvidas e ansiedade em muita gente do mercado sobre como seria essa nova Previdência.

Mas aos poucos novidades vão aparecendo e as coisas vão ficando claras. Nesta quarta-feira, 17, por exemplo, o general Roberto Sebastião Peternelli Júnior, deputado federal eleito pelo PSL, e o capitão reformado do Exército Castelo Branco, eleito deputado estadual pelo partido em São Paulo, deixaram escapar que uma reforma da Previdência em um futuro governo Bolsonaro deve "preservar as especificidade das carreiras militares" e "combater privilégios".

"Os militares têm características completamente distintas de outras profissões. Há de se manter essas especificidades", Castelo Branco, capitão reformado do Exército.

Vale dizer que, semana passada, o Castelo Branco se encontrou com o economista Paulo Tafner para ouvir cenários para a reforma e ouviu de Tafner que existem três cenários possíveis, mas que os três inevitavelmente atingirão todas as camadas da sociedade serão afetadas.

"É preciso um estudo adequado se o desembargador vai entrar, o governador vai entrar, o deputado vai entrar, não há porque os militares não entrarem", disse Peternelli. "De formas diferentes, respeitando suas especificidades", completou Castelo Branco.

Sobre o combate a privilégios, nenhum dos dois deputados eleitos especificaram quais seriam.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Sem dieta

McDonald’s tem planos de abrir 50 novos restaurantes na América Latina, 80% deles no Brasil

Rede pretende investir até US$ 130 milhões (R$ 690 milhões) na região e também quer reforçar o drive-thru, delivery e o aplicativo

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies