Menu
2019-04-05T09:54:12-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Endividada

Sede da Gafisa recebe notificação de despejo por falta de pagamento de aluguel e condomínio

Pagamentos estão atrasados desde outubro, quando foi empossada a nova direção da companhia, indicada pela gestora de recursos GWI, do investidor e maior acionista, Mu Hak You

19 de dezembro de 2018
7:32 - atualizado às 9:54
Montagem com bandeira da Coreia do Sul em em meio a prédios de São Paulo
Montagem com bandeira da Coreia do Sul em em meio a prédios de São Paulo - Imagem: Shutterstock

A situação da Gafisa não anda nada bem, como já vemos mostrando há alguns meses no Seu Dinheiro. A companhia, uma das incorporadoras mais tradicionais do mercado imobiliário, recebeu um pedido de despejo da sua sede por estar inadimplente com o aluguel e o condomínio desde outubro.

Naquele mês, foi empossada a nova direção da companhia, indicada pela gestora de recursos GWI, do investidor e maior acionista, Mu Hak You.

Desde então, o pagamento de vários fornecedores foi suspenso sob a justificativa de revisão dos contratos. Pessoas a par do assunto relatam, contudo, que há falta de conhecimento e traquejo da nova diretoria para gestão de uma incorporadora. Nenhum deles esteve à frente de uma incorporadora antes.

O calote da Gafisa, citado no processo que o Estadão/Broadcast teve acesso, considera dois meses de atraso, com um saldo aberto de R$ 774,9 mil, dos quais R$ 729,6 mil são de aluguel e R$ 45,2 mil de condomínio. Já o valor total da ação movida contra a empresa é de R$ 3,9 milhões.

Além do despejo, está incluído o pedido de rescisão do contrato de locação, indenização pela desmobilização e recuperação do espaço, fora os honorários advocatícios. O processo foi distribuído no dia 12 de dezembro, na 4.ª Vara Cível, de Pinheiros.

O autor da ação foi o fundo de investimento imobiliário (FII) Corporate Office Fund, que é dono do edifício Eldorado Business Tower, localizado entre o shopping center Eldorado e a Marginal Pinheiros, na zona sul da capital paulista. O fundo é administrado pelo banco BTG Pactual. A Gafisa aluga o andar 18.º e metade do andar 19.º, mas este último já está praticamente vazio após a onda de demissões sob a gestão da GWI, que reduziu o número de funcionários de 740 para 370.

De acordo com o processo, o contrato de locação vinha sendo cumprido regularmente até outubro. No dia 11 daquele mês, a Gafisa pediu o encerramento do contrato e foi informada sobre a necessidade de arcar com a rescisão antecipada da locação. Até então, a Gafisa planejava levar sua sede para um prédio comercial próprio, em São Caetano (Grande ABC), sob o argumento de economia de custos, mas acabou voltando atrás. Sem definição, parou de pagar o aluguel e não respondeu mais aos contatos do fundo administrado pelo BTG, dizem fontes.

Procurada, a Gafisa disse que não foi citada e reiterou que está renegociando os contratos. O BTG não quis comentar o assunto.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

congresso X executivo

Orçamento tem guerra de pareceres

Câmara e Senado se armaram com notas técnicas para mostrar que o presidente Jair Bolsonaro pode sancionar o Orçamento sem vetos a emendas; Ministério da Economia já prepara próprio embasamento jurídico.

Aura e Aeris: veja o que dizem os CEOs das novatas da bolsa e outras notícias que bombaram na semana no Seu Dinheiro

Novidade na praça sempre causa burburinho. Na bolsa não é diferente. É bem verdade que as opiniões divergem:Lindas!Não são lá tudo isso…Não sei, nunca ouvi falarA bolsa brasileira recebeu 43 novas integrantes em 2020 e 2021. E a fila para entrar continua a aumentar. Para você, amigo leitor, isso é excelente. São mais ações na […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies