Menu
2018-10-27T12:29:43-03:00
Estadão Conteúdo
Eleições 2018

Joaquim Barbosa declara apoio a Fernando Haddad em rede social

Em sua conta no Twitter, o magistrado diz que Jair Bolsonaro (PSL) lhe inspira medo

27 de outubro de 2018
12:29

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa declarou voto a Fernando Haddad (PT), com quem teve encontro há duas semanas. Em sua conta no Twitter, o magistrado diz que o oponente, Jair Bolsonaro (PSL) lhe inspira medo.

O ex-ministro escreveu: "votar é fazer uma escolha racional. Eu, por exemplo, sopesei os aspectos positivos e os negativos dos dois candidatos que restam na disputa. Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad."

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

programa de R$ 2,4 bi

Mercedes-Benz vê cenário de incerteza, mas diz que mantém investimentos no país

O programa de investimentos da montadora no Brasil prevê R$ 2,4 bilhões entre 2018 e 2022, com recursos destinados, principalmente, à atualização de plataformas e produto

questão ambiental

Minerva testa sistema para monitorar fornecedores indiretos de gado

Empresa vem implementando medidas que mapeiam a possibilidade de os bovinos que estão sendo abatidos pela empresa terem passado, em alguma etapa da sua vida, por áreas desmatadas ilegalmente

agenda do governo

‘Vamos fazer programa de substituição tributária’, diz Guedes

Sem citar o retorno de uma nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o ministro disse que para gerar emprego é necessário desonerar a folha

EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Latam pode demitir mais 1,2 mil aeronautas

Empresa negocia redução permanente de remunerações, mas, se não chegar a um acordo, deverá optar por demissõe

Exile on Wall Street

O mercado dos 100%

Com juros muito menores atualmente e retornos cadentes como um todo, volatilidade inferior e economia mais bem organizada e sem inflação, difícil imaginar ativos dobrando de preço em poucos pregões.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements