Menu
2018-10-05T15:52:26-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Em alta

Fabricante de armas vê ações dispararem com ‘onda Bolsonaro’

Empresa viu volume negociado das ações subir mais de 50 vezes, indo de R$ 255 mil a R$ 14 milhões em dois meses; valorização do papel é de 113% no período

5 de outubro de 2018
12:59 - atualizado às 15:52
Armas
Imagem: shutterstock

A fabricante brasileira de armas Forjas Taurus viu o volume negociado das suas ações crescer mais de 50 vezes na bolsa nos últimos dois meses.

A companhia pegou carona na corrida eleitoral e, mais especificamente, na campanha de Jair Bolsonaro (PSL), que defende o porte de armas no país.

Desde o início da campanha eleitoral em rádio e TV, o volume negociado das ações preferenciais da Taurus (FJTA4) aumentou de cerca de R$ 250 mil ao dia para mais de R$ 14 milhões. O preço do papel da companhia foi de R$ 2,34 ao patamar desta sexta-feira, 5, de R$ 4,98. Trata-se de uma alta de quase 113%.

E não há outra explicação para valorização que não acabe nas eleições, já que o desempenho da empresa não tem respaldo em seus dados financeiros. No primeiro semestre do ano, a fabricante acumulou um prejuízo de R$ 92,6 milhões, segundo o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do "Estadão".

Embora a receita com a venda de armas venha crescendo, a companhia está sendo impactada pelo aumento de despesas financeiras, que cresceram 98% no segundo trimestre deste ano ante igual período do ano anterior, chegando a R$ 118,6 milhões.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

pós-isolamento

Adidas informa que dois terços de suas lojas em todo mundo já reabriram

Empresa já reabriu quase todas as suas lojas na Ásia-Pacífico e nos mercados emergentes, enquanto três quartos de suas próprias lojas operam na Europa

diz boa vista

Pedidos de falência no Brasil sobem 30% em maio

No acumulado em 12 meses finalizados em maio, os pedidos de recuperação judicial cresceram 3,7%

entrevista

‘Não precisa passar as coisas de baciada’, diz presidente da Abag

Anúncio de uma página inteira nos principais jornais do País, na semana passada, de entidades do agronegócio, da indústria, da construção civil e do comércio em apoio ao ministro do Meio Ambiente não caiu bem, diz Marcello Brito

em meio à crise

BRMalls fecha parceria para venda nas plataformas da B2W

Acordo permite a venda dos produtos das mais de 6 mil lojas no Americanas.com, Submarino e Shoptime

esquenta dos mercados

Mercado faz pausa no rali enquanto aguarda decisão do BCE

Após alguns dias de rali, os mercados interncionais realizam lucros enquanto aguardam decisão monetária do BCE. Com a agenda esvaziada no Brasil, destaque para a divulgação dos pedidos de auxílio-desemprego e da balança comercial nos Estados Unidos.

após denúncia

Banco do Nordeste demite presidente 24 horas após posse

Decisão do governo foi tomada após o Estadão revelar que Alexandre Borges Cabral é alvo de uma apuração conduzida pelo TCU

diante da crise

Estímulos devem ser mantidos, diz FMI

Para Kristalina Georgieva, a comunidade internacional deve trabalhar para expandir as transformações digitais e reduzir desigualdades.

hoje não

Holanda rejeita acordo Mercosul-UE

Questão ambiental, relacionada à agricultura no Mercosul, foi o argumento central para o voto dos holandeses

de olho na varejista

Via Varejo anuncia oferta que pode movimentar R$ 4 bilhões

Recursos da oferta serão usados em investimentos em tecnologia e logística, inovação e desenvolvimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements