Menu
2019-04-04T14:00:53-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Mercados

Pesquisa eleitoral e decisão do Fed fazem mercado viver montanha-russa

Ibovespa chegou a cair depois da pesquisa Ibope, se recuperou com a decisão do Fed mas voltou a perder força após fala de Powell

26 de setembro de 2018
17:05 - atualizado às 14:00
Dólar americano
Mercado viveu um dia de intensa volatilidadeImagem: shutterstock

O mercado chegou ao meio da semana com a mesma volatilidade dos últimos dias nesta quarta-feira, 26, mas desta vez com algumas doses extras de emoção. O principal índice da bolsa de valores de São Paulo abriu o pregão em alta, teve fortes oscilações ao longo da tarde e fechou praticamente estável.

Os investidores passaram a manhã atentos à divulgação de mais uma pesquisa Ibope, que saiu no meio da tarde. Como os resultados ficaram muito próximos daqueles divulgados na segunda-feira, o foco passou a ser a decisão do Federal Reserve de subir os juros americanos, que levou a bolsa a ter um pico de alta de mais de 1% por volta das 15h20. O centro da euforia estava na especulação de mudanças na política monetária por lá.

Mas toda essa alegria durou pouco já que o presidente do Fed, Jerome Powell, deixou bem claro em entrevista coletiva que não prevê nenhuma mudança na política do Fed. O Ibovespa então perdeu força e fechou em leve alta de 0,03%, aos 78.656 pontos.

Dólar em tendência de baixa

O cenário para o dólar também foi de volatilidade ao longo do dia, mas com tendência de baixa. A moeda americana fechou em queda de 0,93% a R$ 4,034, depois de chegar próximo dos R$ 4,00. Vale lembrar que ontem, 25, a moeda americana recuou 0,38%, a R$ 4,072.

Atento às pesquisas

A pesquisa Ibope, contratada pela CNI, indicou Jair Bolsonaro (PSL) à frente na corrida ao planalto, com 27% das intenções, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 21%. Ciro Gomes (PDT) aparece logo depois com 12% enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) tem 8%.

Os dados reforçam que uma vitória no 1º turno está ainda mais distante a Bolsonaro, como já havia adiantado a pesquisa Ibope anterior, divulgada na segunda-feira à noite, em que Bolsonaro tinha 28% das intenções enquanto Haddad foi 19% a 22%. No segundo turno, Bolsonaro segue perdendo de Haddad, Ciro e Alckmin, e ganha de Marina Silva (Rede).

Vale também ficar atento ao debate dos presidenciáveis promovido pelo SBT, a Folha de S. Paulo e o portal Uol. Todos os principais candidatos devem participar, menos Bolsonaro que ainda segue internado.

Lá fora

O Fed anunciou a elevação na taxa de juros para a faixa de 2% a 2,25% ao ano. O comunicado gerou ruídos e especulações a cerca de mudanças na política monetária da maior economia do mundo. No entanto, o presidente do Fed, Jerome Powell, reiterou em entrevista coletiva que a alta dos juros seguirá de forma gradual.

Triunfo tem forte queda após prisão

Um dos destaques de forte queda na bolsa brasileira eram as ações da Triunfo, que chegaram a cair mais de 3% durante a tarde e fecharam em baixa de 1,53%.  Mais cedo, o presidente da companhia anunciou sua renuncia após ter sua prisão preventiva decretada pela Polícia Federal. As ações da empresa chegaram a ser suspensas.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies