🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo

Citi vê retomada de captações e quer crescer 40% com ‘nova cara’ no Brasil

Segundo maior banco estrangeiro do Brasil, atrás somente do Santander Brasil, o Citi mira três segmentos para crescer em solo verde e amarelo

Estadão Conteúdo
25 de dezembro de 2018
14:30 - atualizado às 13:13
Fachada da sede do Citi
Citi: Segundo maior banco estrangeiro do Brasil mira três segmentos - Imagem: Shutterstock

Um ano após começar a operar com uma nova estrutura no Brasil, depois de se desfazer do negócio de varejo no País para o Itaú Unibanco, o Citi traçou um plano para ocupar mais espaço no mercado financeiro local como um banco de atacado.

Seu objetivo é crescer 40% nos próximos anos, consolidando a filial como a quinta maior do grupo no mundo, atrás somente de unidades regionais, localizadas nos Estados Unidos (duas), Hong Kong e Cingapura, segundo o presidente do Citi no Brasil, Marcelo Marangon.

"Temos espaço grande para ocupar no atacado. No ano passado, reforçamos nosso time de banco de investimento. Dos dez lançamentos de ações este ano, participamos em seis", destaca o executivo, em entrevista ao Broadcast, na sede do banco, em São Paulo.

Na mira

Segundo maior banco estrangeiro do Brasil, atrás somente do Santander Brasil, o Citi mira três segmentos para crescer em solo verde e amarelo: grandes empresas (corporate), médias (middle market) e clientes mais ricos (private).

Junto aos pesos pesados da economia brasileira, o banco viu seus ativos diminuírem no primeiro semestre por conta da baixa atividade econômica, greve dos caminhoneiros, postergação de planos de investimento e substituição de empréstimo bancário por operações de mercado de capitais. Já as áreas de middle market e private tiveram boas notícias ao longo de 2018. Em ambas, os negócios cresceram no patamar de dois dígitos.

Do lado do crédito, o Citi prevê, assim como o setor bancário, aceleração do crescimento no próximo ano em meio à retomada das linhas corporativas.

Com uma carteira com exposição a Brasil de US$ 13 bilhões, o Citi espera elevar este saldo entre 7% e 9% em 2019. Neste ano, a expansão foi de 6%. "Já temos capital alocado e liquidez suficiente para crescer neste ritmo", enfatiza Marangon.

O que passou, passou

O cenário mais otimista para o crédito tem como pano de fundo um ambiente mais saudável para emprestar no Brasil, com o pior momento de inadimplência das grandes empresas superado, conforme ele.

O executivo não dá detalhes, mas o nome do Citi não foi visto em grandes reestruturações de dívidas como as da Oi, JBS e Odebrecht. Embora o banco 'ganhe' por estar de fora, também deixa de computar receitas com a recuperação dessas companhias, que estão vendendo ativos e buscando novos caminhos para voltar a crescer no Brasil.

"Temos uma disciplina de crédito muito forte e conseguimos antecipar a grande maioria das reestruturações", diz Marangon, sem dar mais detalhes.

*Com Estadão Conteúdo

Compartilhe

FUGINDO DE PUTIN?

Como os bancos de Wall Street estão driblando as sanções contra Rússia e negociando no país

11 de março de 2022 - 20:22

Goldman Sachs, JP Morgan e Deustche Bank são os primeiros a anunciar que estão deixando o país e podem ser seguidos por outras instituições financeiras globais

CRÉDITO DO FUTURO

Maior gestora do mundo, BlackRock passará a aceitar bitcoin (BTC) e outros criptoativos como garantia de empréstimo

10 de fevereiro de 2022 - 13:15

Vários dos grandes de bancos de Wall Street estão se aproximando das criptomoedas. Goldman Sachs, Morgan Stanley e Citi já estão escolhendo cuidadosamente suas estratégias para mergulhar nesse mercado.

BANCOS BOMBAM NOS EUA

Aumento nos lucros impulsiona ações do BofA, do Wells Fargo, do Citigroup e do Morgan Stanley no pré-mercado em NY

14 de outubro de 2021 - 9:44

Os quatro bancos norte-americanos registraram resultados bem melhores que o esperado no terceiro trimestre de 2021

Bitcoin popular

Goldman Sachs e Citibank anunciam novos investimentos em bitcoin

7 de maio de 2021 - 12:40

A ideia é tentar oferecer a maior variedade de serviços e evitar as oscilações, típicas e comuns no mundo das criptomoedas

Bitcoin no mundo

Sem meio termo: bitcoin pode virar moeda universal ou implodir, afirma Citibank

2 de março de 2021 - 8:14

Entre as dificuldades de adoção da moeda, estão a melhoria dos sistemas digitais e a alta especulação em torno do ativo

olho em 2021

Retomada e dólar fraco devem impulsionar bolsas na América Latina no 1º semestre, diz Citibank

21 de dezembro de 2020 - 13:39

Brasil deve ser o destaque positivo, uma vez que tem mais exposição a ações “de valor” e maior correlação com a desvalorização da moeda americana, destaca o banco

pandemia e economia

Vacinação é essencial para sustentar retomada, diz Citi

10 de dezembro de 2020 - 16:00

País vive segunda onda de contaminação de covid-19 e isto está freando a retomada, diz economista-chefe do banco

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: De olho no calendário

10 de agosto de 2019 - 11:28

A Bruna Furlani contou tudo sobre os brasileiros que estudam fora, mas que voltam ao país para fazer um estágio de férias em grandes bancos — não perca!

Cases de sucesso

Brasileiros que estudam fora voltam ao país para os estágios de férias em grandes bancos

10 de agosto de 2019 - 6:00

Se, para eles, o grande benefício é a possibilidade de ter uma “espécie de degustação” do mercado financeiro; para as empresas, a vantagem é entrar em contato com jovens com visão diferenciada e com uma formação mais baseada em cases

E ainda estamos em maio...

Para analistas, economia caminha para ano perdido

31 de maio de 2019 - 8:06

Em 2019, 11 instituições financeiras já estão com estimativas inferiores a 1,0% para o crescimento desta ano. Em pesquisa anterior, apenas 3 previam crescimento menor

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies