Menu
2019-02-18T14:46:10-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Bancos

Citi espera que reforma da Previdência de Bolsonaro traga economia semelhante ao projeto de Temer

Economia que o governo deve obter com a aprovação da reforma da Previdência deve atingir R$ 500 bilhões em dez anos, segundo o Citi

18 de fevereiro de 2019
11:38 - atualizado às 14:46
Citi: Segundo maior banco estrangeiro do Brasil mira três segmentos
Imagem: Shutterstock

A economia que o governo deve obter com a aprovação da reforma da Previdência deve atingir R$ 500 bilhões em dez anos. A estimativa é do chefe da área de pesquisa econômica do Citi, Leonardo Porto.

Estive hoje pela manhã na sede do banco americano no país, na Avenida Paulista, onde os principais executivos receberam a imprensa para um café da manhã.

O cenário do Citi considera que o governo será bem sucedido em aprovar a reforma da Previdência. "Não se trata de um cenário binário", disse Porto.

O economista do Citi considera, porém, que a proposta que será aprovada terá um ganho semelhante à estimada com a proposta atualmente no Congresso deixada pela gestão de Michel Temer.

Ou seja, o Citi espera que o projeto a ser apresentado pelo governo passe por alguma desidratação durante a tramitação na Câmara e no Senado.

Questionado sobre a crise envolvendo o secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, Porto disse que não vê por enquanto ameaça à reforma. "O evento não deve ser minimizado, mas não afeta a perspectiva de aprovação."

De todo modo, o cenário do banco considera que a economia de R$ 500 bilhões é suficiente para ancorar os ativos nos patamares atuais.

Projeções

O economista do Citi vê o país em círculo virtuoso para a economia, com inflação sob controle e sem pressões no curto prazo.

Com isso, o banco espera que a manutenção da taxa básica de juros (Selic) na mínima histórica de 6,5% ao ano em 2019. "O cenário com uma potencial queda dos juros tem se fortalecido, mas ainda não é o mais provável", afirma Porto.

A projeção do Citi é de uma alta de 2,2% para o PIB neste ano. Caso o cenário do banco para a Previdência se confirme, o dólar deve encerrar o ano em R$ 3,64.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

luto

Ex-presidente do BC Carlos Langoni morre de covid-19 no Rio

Carlos Langoni trabalhou no governo na virada das décadas de 1970 e 1980, quando foi presidente do BC; ele colaborou com a equipe econômica do ministro Paulo Guedes, quase 40 anos depois

nos eua

Nova ‘ação meme’? Orphazyme dispara quase 1400% em um dia e mercado não sabe por quê

Investidores da empresa aguardam uma importante atualização sobre um tratamento experimental para a doença de Niemann-Pick; sem novidades, mercado não sabe a razão da alta

entrevista

Superávit primário pode voltar em 2024, diz secretário do Tesouro

Jeferson Bittencourt diz que a melhora no quadro fiscal do País não é “sorte”; confira a entrevista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies