Menu
2019-04-04T13:59:47-03:00
Estadão Conteúdo
Agora vai?

Cessão onerosa entra na pauta do Senado desta terça-feira

Projeto autoriza a Petrobras a passar até 70% dos direitos de exploração de petróleo do pré-sal para outras petroleiras privadas

26 de novembro de 2018
19:42 - atualizado às 13:59
Plenário do Senado
Votação do projeto depende de um acordo com a equipe econômicaImagem: Shutterstock

O Senado Federal pode votar nesta terça-feira, 27, o projeto de revisão do contrato de cessão onerosa da Petrobras. A proposta é o primeiro item da pauta, mas ainda depende de acordo com a equipe econômica. Na prática, o projeto autoriza a Petrobras a transferir até 70% dos direitos de exploração de petróleo do pré-sal, na área cedida onerosamente pela União, para outras petroleiras privadas.

As negociações estão sendo capitaneadas pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), pelo líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e pelo ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Na última quarta-feira, 21, Eunício avisou que só colocará em votação a proposta depois que for fechado um acordo para que Estados e municípios também recebam parte dos recursos que serão arrecadados.

Isso porque parte dos senadores defendem colocar no texto uma previsão de que 20% dos recursos arrecadados no leilão do excedente de petróleo sejam repartidos com Estados e municípios. Essa proposta iria de encontro ao que desejam os governadores e contaria com o aval do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Outros senadores e integrantes da atual equipe econômica defendem que, na verdade, recursos do Fundo Social sejam repassados aos governos regionais. Um projeto ampliando a repartição dos recursos desse fundo tramita na Câmara dos Deputados e poderia ser pautado nesta semana no plenário da Casa.

Guardia negou, nesta segunda, 26, ter participado de qualquer discussão para a edição de uma medida provisória para dividir com Estados e municípios os recursos do leilão de excedente de petróleo do contrato de cessão onerosa da Petrobras. "Não participei de nenhuma conversa sobre MP dividindo os recursos da cessão onerosa. A edição de MP é uma prerrogativa do presidente da República, mas a Fazenda em nenhum momento foi consultada sobre isso", disse Guardia. Em seguida, ele admitiu que ainda não há um acordo sobre o texto final da proposta.

Ainda assim, o Palácio do Planalto tem dito publicamente que concorda com a exigência dos parlamentares. "É justo. Acredito que nossa equipe econômica possa dialogar com a equipe econômica do próximo governo, que está praticamente definida, e conversar sobre esse assunto, votar e aprovar a cessão onerosa. Para nós, seria uma situação muito positiva", afirmou o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, em entrevista ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

O governo depende do dinheiro do leilão do excedente da cessão onerosa para pagar uma dívida bilionária com a Petrobras e ainda compor o orçamento do ano que vem.

Petrobras e União firmaram o contrato de cessão onerosa em 2010, quando a estatal recebeu do governo 5 bilhões de barris de óleo (que inclui petróleo e gás natural) no pré-sal da Bacia de Santos e se comprometeu a rever o valor do acordo quando começasse a produzir na região.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Roubando a cena

Dólar dispara mais de 2% com aversão ao risco e tem 4ª sessão seguida de alta; bolsa cai

Dólar passou voando pela marca de R$ 5,50 e por pouco não bateu R$ 5,60; Ibovespa acompanhou sinal negativo vindo de Wall Street e perdeu piso de 96 mil pontos

eric rosengren

Presidente do Fed de Boston defende necessidade de novo pacote fiscal, mas se diz pessimista com acordo

O presidente da distrital de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Eric Rosengren, reiterou hoje, durante seminário virtual, a necessidade de novas medidas de estímulos fiscais para acelerar a recuperação da atividade econômica dos Estados Unidos

DURAS CRÍTICAS

Para Doria, saída de investidores do Brasil ocorre por questões ambientais e negacionismo

Governador de SP não citou nominalmente o presidente Jair Bolsonaro, criticado por discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas

INJEÇÃO DE RECURSOS

EUA precisarão de mais ajuda fiscal para recuperar economia, diz Powell

Presidente do BC americano afirma que ainda há 16 milhões de pessoas desempregadas no país, ou trabalham em período parcial

programa de R$ 2,4 bi

Mercedes-Benz vê cenário de incerteza, mas diz que mantém investimentos no país

O programa de investimentos da montadora no Brasil prevê R$ 2,4 bilhões entre 2018 e 2022, com recursos destinados, principalmente, à atualização de plataformas e produto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements