Menu
2019-09-03T16:55:04+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Twitter

Trump: Negociações com a China serão muito mais duras se eu me reeleger

Presidente americano, Donald Trump, também falou da relação comercial com a União Europeia e reclamou, novamente, do Fed

3 de setembro de 2019
11:28 - atualizado às 16:55
Donald Trump
Imagem: Shutterstock

O presidente americano, Donald Trump, voltou do feriado do Dia do Trabalho, com a corda toda. No seu temido Twitter já deu caneladas na China, na União Europeia e, para não perder o costume, no Federal Reserve (Fed), banco central americano.

Sobre China, Trump disse que as negociações estão indo “muito bem”, embora ele acredite que os chineses adorariam lidar com um novo governo para que possam continuar tirando vantagem dos EUA. Segundo Trump, as negociações serão “muito mais duras” se ele ganhar as eleições, que acontecem em 2020.

No fim de semana, um comitê do BC da China anunciou que vai tomar medidas contracíclicas, garantir liquidez suficiente e crescimento do crédito para dar suporte ao crescimento da economia.

Na sequência, Trump fez novas críticas à China e colocou a União Europeia no meio, dizendo que a UE sempre tratou os EUA de forma injusta nas questões comerciais e que isso iria mudar.

Pouco depois, o alvo foi o Federal Reserve (Fed), banco central americano, que já faz tempo está sob cerrado ataque do presidente em função de sua política monetária.

Segundo Trump, a Alemanha e outros países têm taxas de juros negativas, enquanto o Fed erra ao não atuar. Além disso, Trump também lembrou que esses países são competidores com moedas mais fracas que o dólar.

Os tuítes não tiveram impacto no mercado num primeiro momento, mas também não ajudaram a amenizar os temores dos investidores em relação à guerra comercial. Pela manhã, os índices americanos operaram em baixa depois que o índice de atividade industrial (ISM) teve queda para 49,1 em agosto, contra 51,2 em julho. A linha de 50 separa contração de expansão. Por volta das 11h20, o Dow Jones caía 1,47%, enquanto S&P e Nasdaq perdiam cerca de 1% cada.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

tensão

Preços do petróleo disparam após ataques na Arábia Saudita

Duas grandes refinarias da empresa petrolífera Aramco foram atacadas no último sábado, 14; oferta de petróleo no mundo pode sofrer uma queda de até 5%; neste domingo, contratos futuros chegaram a saltar 19%

após ataques

Petroleira saudita diz que pretende retomar um terço da produção até esta segunda

As atividades da Aramco, a estatal saudita, foram interrompidas devido a um ataque contra suas unidades no último sábado 14

guerra comercial

‘O objetivo de Washington é usar bullying e pressão’, diz embaixador da China no Brasil

Para Yang Wanming, comércio entre Brasil e China tende a sofrer no médio e longo prazos; ele diz que a guerra comercial arruinou a confiança do mercado internacional

a hora e a vez da americana

O que a Amazon, de Jeff Bezos, quer no Brasil?

Gigante varejista dos Estados Unidos avança no Brasil com lançamento do serviço Prime, mas o que isso significa para o setor do varejo e a concorrência?

tendência

Marfrig vai exportar carne vegetal para ao menos quatro países

Companhia brasileira anunciou no início de agosto a produção e comercialização de produtos à base de proteína vegetal, numa parceria com a americana ADM

tensão

Ataque à Aramco, na Arábia Saudita, pode afetar 5% da produção mundial de petróleo

Ataques à Aramco ocorrem em meio à escalada das tensões entre os rebeldes houthis, aliados do Irã, com a Arábia Saudita, apoiada pelos EUA

Proteção para a sua carteira

Ao escalar sua seleção de ações, pense duas vezes antes de colocar Vale e Suzano na defesa

As ações das exportadoras Vale e Suzano, clássicas opções defensivas para um cenário de dólar forte, acumulam desempenho negativo no ano, pressionadas pelos preços do minério e da celulose em baixa. Se esses papéis já não têm mais o mesmo apelo defensivo de antes, quais ativos da bolsa podem ocupar o miolo da zaga do seu portfólio?

quem disse que tá ruim?

Novatas de tecnologia na bolsa americana têm desempenho acima do S&P 500 – mesmo levando em conta Uber e Lyft

Levantamento feito por publicação americana leva em conta 13 IPOs de tecnologia deste ano nas bolsas e mostram que os papéis, juntos, valorizaram mais que o S&P 500

tensão

Drones atacam instalações de petroleira na Arábia Saudita

Reivindicado pelos rebeldes houthis que combatem a intervenção saudita no vizinho Iêmen, ataque atingiu duas refinarias da Aramco

oportunidades à vista

Brasil consegue abertura do mercado egípcio para lácteos e Bolsonaro comemora

Produtores brasileiros poderão exportar, já a partir de outubro, produtos como leite em pó e queijos para o mercado egípcio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements