Menu
2018-10-31T18:38:27+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bancos

Santander supera projeções (de novo) com lucro de R$ 3,1 bilhões, alta de 20%

O resultado da unidade brasileira do banco espanhol pode passar dos R$ 12 bilhões no ano como um todo, se mantiver o ritmo no último trimestre

31 de outubro de 2018
7:59 - atualizado às 18:38
Santander
Santander - Imagem: Shutterstock

O Santander Brasil manteve a sequência de resultados acima do esperado pelo mercado. No terceiro trimestre, o banco registrou lucro líquido de R$ 3,108 bilhões no terceiro trimestre, alta de 20%.

Desta vez os analistas quase acertaram. A média das projeções compiladas pela Bloomberg apontava para um resultado de R$ 3,058 bilhões.

De janeiro a setembro, o lucro atingiu R$ 8,992 bilhões. Isso significa que o resultado da unidade brasileira do Santander pode passar dos R$ 12 bilhões no ano como um todo, se mantiver o ritmo nos últimos três meses. Em 2017, o banco chegou perto, mas não rompeu a barreira dos R$ 10 bilhões, ao lucrar R$ 9,953 bilhões.

A rentabilidade do Santander atingiu 19,5% no terceiro trimestre, um salto em relação aos 17,1% do mesmo período do ano passado.

A menos que o Bradesco tire algum coelho da cartola no balanço amanhã, o Santander deve se manter como o segundo mais rentável por mais um trimestre, atrás apenas do Itaú, que teve retorno de 21,3%.

O resultado do Brasil representou 26% do lucro de todo o grupo Santander, de acordo com o balanço do banco espanhol, que também saiu hoje.

Apesar do lucro acima do esperado, nem todos os números do balanço vieram bons. E o mercado decidiu dar mais importância a eles. Tanto que os recibos de ações (units) do Santander Brasil caíram 5,17%, a maior queda entre as ações do Ibovespa. Ainda assim, os papéis do banco acumulam valorização de quase 40% no ano.

Para o BTG Pactual, ainda que o lucro tenha sido bom, a "qualidade dos resultados" veio pior do que o esperado. "As expectativas para o banco agora são muito mais altas", escreveram os analistas, em relatório a clientes.

Crédito

O Santander vem surfando uma onda de melhora nos resultados desde que Sérgio Rial assumiu a presidência, há quase dois anos.

O banco largou na frente dos concorrentes ao acelerar no crédito enquanto os demais mantiveram as torneiras fechadas em razão da crise. A estratégia se reflete no balanço.

A carteira de crédito do Santander encerrou setembro em R$ 380,7 bilhões, o que representa um aumento de 3,4% no trimestre e de 13,1% em 12 meses. O desempenho é puxado pelas linhas a pessoas físicas e a pequenas e médias empresas.

A alta nos financiamentos contribui para a margem financeira, que somou R$ 10,6 bilhões, um avanço de 7,8% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado. No acumulado do ano até setembro, a margem cresce 12,3%.

Inadimplência

O banco vem mantendo os índices de inadimplência comportados em meio à aposta na concessão de crédito para melhorar os resultados.

O índice de calotes acima de 90 dias na carteira atingiu 2,9% no final de setembro de 2018, estável em doze meses e aumento de 0,1 ponto percentual no trimestre.

Já as despesas com provisão para calotes aumentaram 7,8% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, para R$ 2,6 bilhões. A tendência é oposta à dos concorrentes, que vêm registrando redução no custo do crédito.

De olho nas tarifas

Além do crédito, o Santander vem turbinando os resultados com o aumento nas receitas de prestação de serviços. Mas aqui surgiu um número que pode preocupar quem acompanha o balanço.

Os ganhos com tarifas e outras cobranças somaram R$ 4,1 bilhões. Apesar da alta de 6,8% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, na comparação com o trimestre anterior houve uma queda de 3,3%. A redução das tarifas pode ser uma boa notícia para o cliente, mas não para quem é acionista do banco.

Do lado das despesas, o Santander gastou R$ 5 bilhões, um aumento de 4,5% em relação aos meses de julho a setembro do ano passado e de 3,2% no trimestre. O banco atribuiu o desempenho às maiores despesas com processamento de dados e com pessoal.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Perto do fim

CCJ do Senado marca reunião para analisar emendas do 2º turno da reforma da Previdência

Até o momento, senadores apresentaram nove sugestões de alteração, que mexem na redação da proposta

Seu Dinheiro na sua noite

Quando a realidade se impõe

Groucho Marx dizia que jamais faria parte de um clube que o aceitasse como sócio. Durante muito tempo os brasileiros trataram erroneamente a bolsa de valores como o tipo de clube desprezado pelo lendário comediante. Mas essa realidade começa a mudar. Quem decidiu ingressar no clube da renda variável no início do ano obteve um […]

De olho no gráfico

S&P vai, não vai, fez que vai…

Apesar da recente alta em um dos principais índices da bolsa de Nova York, Fausto Botelho ainda projeta um ciclo de queda

Dados do Tesouro

União honra R$ 442,6 milhões e dívidas de governos estaduais em setembro

Nos primeiros nove meses de 2019, o governo federal precisou desembolsar R$ 5,695 bilhões para honrar dívidas garantidas pela União de quatro Estados

Papo reto

Para Sabesp, metas definidas pelo relator no marco do saneamento são difíceis de atender

Entre os pontos tidos como difíceis de cumprir está o limite de 25% para subdelegações pelo prestador de serviços

Falando em projetos...

Na reforma da Previdência dos militares, contribuições devem aumentar mais rápido que o proposto pelo governo

Segundo relatório da Câmara, a cobrança que hoje é de 7,5% passará a 9,5% já no ano que vem, chegando a 10,5% em 2021

Gestoras

JGP lista 6 fatores que devem impulsionar a economia e empurrar a bolsa para cima em 2020

Gestora acredita que migração de renda fixa para ações vai continuar dando força ao Ibovespa. Carta de setembro também faz uma defesa do teto de gastos

novidade lá fora

Google anuncia Pixel 4, celular que promete controle por gestos sem tocar na tela

Em evento nos EUA, companhia apresentou uma série de produtos novos, incluindo a segunda geração de seu alto-falante inteligente, o Nest Mini, e o notebook Pixelbook Go; ações sobem

no topo

PAN, BMG e Bradesco lideram ranking de reclamações contra bancos do BC

Pan registrou índice de 149,58. Em segundo lugar, aparece o BMG (82,33) e, em terceiro, o Bradesco (24,16)

vamos fala das teles

Na esteira de notícias sobre possível venda da Oi, presidente da dona da Vivo diz que ficarão no Brasil as teles capazes de investir

Christian Gebara reiterou o plano trienal de investimentos da Telefônica, que prevê chegar a aportes de R$ 9 bilhões em 2019

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements