Menu
2019-04-30T10:47:53+00:00
Nicolas Gunkel
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP) com Nanodegree em Marketing Digital pela Udacity. Foi editor de Redes Sociais e repórter do site Exame, além de repórter no jornal Metro São Paulo.
QUERIDINHOS

Nubank, Inter e Neon são melhores bancos do Brasil, aponta ranking da Forbes

Lideradas pela dona do popular cartão roxo, as queridinhas fintechs foram as mais bem avaliadas pelos clientes no país, seguidas por alguns tradicionais bancões

9 de março de 2019
9:33 - atualizado às 10:47
Cartão da fintech Nubank
Cartão da fintech Nubank: a melhor do Brasil, segundo ranking da Forbes - Imagem: Divulgação

“A tecnologia está revolucionando o mercado bancário global e as expectativas dos clientes por suas instituições financeiras são maiores do que nunca”.

É com essa frase, tão óbvia quanto verdadeira, que a prestigiada revista americana Forbes inicia o texto que inaugura seu mais novo ranking: o dos melhores bancos do mundo.

Os vencedores da categoria no Brasil em 2019 não poderiam combinar mais com a assertiva da publicação. As três primeiras posições pertencem a fintechs de vida curta se comparadas aos grandes bancos.

São elas Nubank, a dona do popular cartão roxo baseada em São Paulo, o mineiro Banco Inter e o também paulista Neon. Em seguida, em quarto e quinto lugar, figuram velhos conhecidos dos brasileiros, a Caixa Econômica Federal e o Itaú Unibanco.

Tamanho é documento?

Além do gap de longevidade das instituições, um fator que chama a atenção entre as top 5 é a disparidade do número de funcionários que compõem o quadro de cada empresa.

Enquanto Nubank, Inter e Neon contam apenas com algumas centenas de colaboradores, os tradicionais bancões passam da casa dos 80 mil. Fica a pergunta no ar: são melhores apesar de serem menores? Ou são melhores justamente porque são menores?

Foco no consumidor

Diferentemente do que faz normalmente com seu tradicional ranking de maiores bancos dos Estados Unidos, a Forbes não se apoiou em planilhas e balanços das instituições, mas sim no índice de satisfação de mais de 40 mil consumidores. A pesquisa foi realizada em mais de 20 países numa parceria com a consultoria Statista.

Os bancos foram avaliados pelos níveis de recomendação e satisfação de seus clientes e também em cinco subcritérios: confiança, termos e condições, serviços aos clientes, serviços digitais e aconselhamento financeiro. Entendeu por que seu banco ficou dentro (ou fora) da lista?

O primeiro dos primeiros

Em nível mundial, o gigante holandês ING Group desponta na liderança da pesquisa. Com um amplo "legado de inovações", como aponta a Forbes, o banco obteve pontuação alta em nada menos que oito dos países que compuseram o índice.

O único outro banco que esteve na dianteira em mais de cinco países foi o Citibank.

O “rival” da Nubank?

Outro destaque do ranking é o banco digital alemão N26, que conquistou uma vaga no lugar mais quentinho do coração dos consumidores de cinco países europeus.

Sem nenhuma base física nos países onde atua, a instituição levantou US$ 160 milhões no ano passado em uma rodada de financiamento série C liderada pela multinacional chinesa Tencent. O famoso capitalista de risco Peter Thiel, co-fundador do PayPall, e o fundo soberano de Cingapura são outros dos investidores de peso por trás do player.

Na semana passada, o diretor da companhia no Brasil (sim, no Brasil!) anunciou que o N26 irá abrir uma subsidiária por aqui. Alguns veículos de imprensa, inclusive, apressaram-se em apelidá-lo de “rival da Nubank”.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Dadas as similaridades nos modelos de negócio e o número parelho de clientes – ambos têm cerca de 2,5 milhões de contas digitais abertas – a comparação até que cai bem.

Vale lembrar, porém, que as empresas também têm características geográficas distintas. De um lado, o N26 já mostrou seu potencial de capilaridade com atuação em 26 países. A Nubank, do outro, já conseguiu se consolidar como peso pesado no nada fácil mercado brasileiro. Lembremos que o Brasil, amigos, não é para amadores.

Não sei quanto a vocês, mas para mim, que venha a briga. Quem tem a ganhar com alguns dos melhores bancos do mundo (e mais concorrência no setor), é o investidor de varejo brasileiro.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Trilhando caminhos

Jovens precisam ter resiliência e iniciativa, dizem executivos sobre ser um novo empresário

Executivos falam sobre os comportamentos que um jovem ingressante numa grande empresa deve ter para trilhar um caminho profissional de sucesso

Crise partidária

Pedro Simon, ex-governador do RS: ‘existe o risco de o MDB desaparecer’

Em entrevista ao Estadão, o filiado ao MDB desde 1965 diz que seu partido precisa fazer uma “profunda reflexão”

Barrado na embaixada?

Consultoria do Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro configura nepotismo e senadores se articulam para rejeitar seu nome

Parecer foi embasado no entendimento da Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal, que trata sobre nepotismo

Analisando a situação dos hermanos

Crise Argentina, feitiço do tempo

Os grandes desafios econômicos de Maurício Macri também parecem reimpressões de velhos e bem conhecidos problemas argentinos

O HOMEM MAIS RICO

Jeff Bezos: paciência para esperar o lucro da Amazon fez o maior bilionário do mundo

Como o empresário transformou uma pequena livraria online em uma das maiores varejistas do mundo e desbancou Bill Gates da lista da Forbes com uma fortuna estimada em US$ 148 bilhões.

Bandeira branca no radar?

EUA devem estender licença da chinesa Huawei para atender clientes do país

Movimento dos EUA pode ser visto como positivo para o fim da guerra comercial com a China já que a companhia foi um dos focos de tensões entre os gigantes

Governador de Minas

‘Governo entra em pautas minúsculas’, avalia Romeu Zema

Em entrevista, governador de MG nega que esteja sendo “tutelado” pelo partido Novo e avaliou que o presidente Jair Bolsonaro deveria “focar em coisas maiores, grandiosas”

Corrida contra o tempo

Tarifa de importação do Mercosul pode cair já em 2020

Com receio de que o grupo político da ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner volte ao poder, o governo brasileiro tem pressa

Agora vai?

Governo enviará ao Congresso na próxima semana projeto para destravar privatização da Eletrobras

Proposta deve conter os mesmos itens que estavam na Medida Provisória 879, que não foi votada pela Câmara

Olha quem apareceu

Rede de varejo Le Biscuit, da Vinci Partners, estreia no comércio online

Entrada da empresa no mundo online ocorrerá em etapas e segue uma tendência mundial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements