Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Congresso

Não importa quem seja o presidente do Senado, agenda de reformas vai seguir adiante

Para cientista político e sócio da Arko Advice, Lucas de Aragão, reforma da Previdência está na pauta e será votada

1 de fevereiro de 2019
15:12 - atualizado às 15:18
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) concede entrevista após reunião de bancada do MDB. - Imagem: Jonas Pereira/Agência Senado

A eleição das presidências do Congresso é o evento político do dia aqui em Brasília. Com a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) bem encaminhada na Câmara dos Deputados, as atenções estão voltadas ao Senado, onde o quadro se mostra mais tumultuado.

A votação está prevista para o fim da tarde, mas manobras regimentais já acontecem e vemos notícias, também, de movimentação para que votação seja por voto aberto. Cenário que não favoreceria Renan Calheiros (MDB-AL) que ganhou a indicação do partido para concorrer ao cargo.

Conversei com cientista político e sócio da Arko Advice, Lucas de Aragão, e ele acredita que deveremos ter uma batalha regimental na eleição no Senado, pois o regimento interno prevê eleição fechada para a presidência da casa, mas há artigo, no mesmo regimento, que diz que o plenário pode decidir diferente.

Segundo Lucas, esse quadro que tira força de Renan, pode facilitar a eleição de Tasso Jereissati (PSDB-CE). Mas o ponto que importa é que a reforma da Previdência está na pauta e será votada, independentemente de o presidente ser A, B ou C.

“O mercado pode ter um soluço com o resultado da eleição, mas dependeria de uma frase do Tasso para se resolver a questão. O PSDB, historicamente, é comprometido com uma pauta dessas”, explica Lucas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Se o eleito for mesmo Tasso, Lucas não tem dúvida de que o senador iria afirmar a importância das reformas. A diferença com relação ao Renan é que Tasso tenderia a ser “menos governista” e um pouco mais independente.

Lucas nos lembra que o papel do presidente do Senado em um processo como a reforma da Previdência é um só: pautar o tema. O ponto tido como vantagem para Renan é sua capacidade de organizar e articular coalizões em torno de um assunto. Capacidade que não necessariamente seria perdida com ele fora da presidência.

Ainda de acordo com o especialista, o governo Jair Bolsonaro foi cauteloso em não apoiar ninguém explicitamente. Há um candidato do PSL, partido de Bolsonaro, concorrendo (Major Olímpio, mas que poderia desistir) e o governo também fez “afagos” a Renan e a outros concorrentes.

Seja qual for o resultado, como o nome do novo presidente só será conhecido depois do fechamento dos mercados, possíveis reações no Ibovespa, dólar e juros aconteceriam na segunda-feira.

Comentários
Leia também
Captação de US$ 15 milhões

Dos tijolos aos bytes, BTG Pactual lança criptoativo com lastro em imóveis

A ideia do banco é proporcionar aos investidores do ReitBZ retorno com a recuperação dos ativos e a venda por um valor superior ao preço de aquisição. Lançamento envolve parceria com os gêmeos Winklevoss, que atuaram na criação do Facebook

Nova crise?

Flávio Bolsonaro diz que revista faz “ilação irresponsável” ao vinculá-lo à milícia

Reportagem obteve dois cheques de Flávio assinados por Valdeci: um de R$ 3,5 mil e outro no valor de R$ 5 mil; em nota, Flávio afirma que Val Meliga é tesoureira geral do PSL

Com pressão do mercado

Se reforma vier da Câmara em abril, entra no recesso aprovada, diz Alcolumbre

Para presidente do Senado Federal, proposta de reforma da Previdência pode estar aprovada até junho, caso o texto seja aprovado pela Câmara dos Deputados em abril

Clima otimista no governo

Expectativa é que aprovação da reforma ocorra no primeiro semestre, diz Guedes

Ministro da Economia demonstrou confiança com a articulação política no congresso e disse estar “sentindo ventos de otimismo” com a tramitação da proposta

Exile on Wall Street

Uma boa hora para comprar ativos geradores de renda

“Se uma empresa nunca teve meme, posts no Reclame Aqui e erros no meio do caminho, só há uma possibilidade: nunca teve cliente também.”

Imóveis

Qual o tamanho do mercado imobiliário no Brasil?

Parceria entre governo, registradores de imóveis e Fipe começa a responder essa questão de forma objetiva, melhorando a nota do país no ranking de facilidade de negócios do Banco Mundial

Mudanças na Previdência

Deputados querem segurar tramitação da reforma até proposta para militares sair

Para líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), o governo deve ser rápido para não aparentar tratamento diferenciado

Exclusivo

O que pensa o deputado cotado para presidir a comissão especial da reforma da Previdência?

Deputado Mauro Benevides Filho defende alterações no regime de capitalização, aposentaria de professoras e BPC

Salto de 368%

Com Fibria, Suzano registra lucro de R$ 2,987 bilhões no 4º trimestre

Excluindo Fibria, companhia reverteu prejuízo e obteve lucro líquido de R$ 1,462 bilhão, indicando um salto de 308,5% ante lucro de R$ 358 milhões de igual período do ano anterior

Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu