Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Congresso

Não importa quem seja o presidente do Senado, agenda de reformas vai seguir adiante

Para cientista político e sócio da Arko Advice, Lucas de Aragão, reforma da Previdência está na pauta e será votada

1 de fevereiro de 2019
15:12 - atualizado às 13:58
Renan Calheiro MDB-AL
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) concede entrevista após reunião de bancada do MDB. - Imagem: Jonas Pereira/Agência Senado

A eleição das presidências do Congresso é o evento político do dia aqui em Brasília. Com a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) bem encaminhada na Câmara dos Deputados, as atenções estão voltadas ao Senado, onde o quadro se mostra mais tumultuado.

A votação está prevista para o fim da tarde, mas manobras regimentais já acontecem e vemos notícias, também, de movimentação para que votação seja por voto aberto. Cenário que não favoreceria Renan Calheiros (MDB-AL) que ganhou a indicação do partido para concorrer ao cargo.

Conversei com cientista político e sócio da Arko Advice, Lucas de Aragão, e ele acredita que deveremos ter uma batalha regimental na eleição no Senado, pois o regimento interno prevê eleição fechada para a presidência da casa, mas há artigo, no mesmo regimento, que diz que o plenário pode decidir diferente.

Segundo Lucas, esse quadro que tira força de Renan, pode facilitar a eleição de Tasso Jereissati (PSDB-CE). Mas o ponto que importa é que a reforma da Previdência está na pauta e será votada, independentemente de o presidente ser A, B ou C.

“O mercado pode ter um soluço com o resultado da eleição, mas dependeria de uma frase do Tasso para se resolver a questão. O PSDB, historicamente, é comprometido com uma pauta dessas”, explica Lucas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Se o eleito for mesmo Tasso, Lucas não tem dúvida de que o senador iria afirmar a importância das reformas. A diferença com relação ao Renan é que Tasso tenderia a ser “menos governista” e um pouco mais independente.

Lucas nos lembra que o papel do presidente do Senado em um processo como a reforma da Previdência é um só: pautar o tema. O ponto tido como vantagem para Renan é sua capacidade de organizar e articular coalizões em torno de um assunto. Capacidade que não necessariamente seria perdida com ele fora da presidência.

Ainda de acordo com o especialista, o governo Jair Bolsonaro foi cauteloso em não apoiar ninguém explicitamente. Há um candidato do PSL, partido de Bolsonaro, concorrendo (Major Olímpio, mas que poderia desistir) e o governo também fez “afagos” a Renan e a outros concorrentes.

Seja qual for o resultado, como o nome do novo presidente só será conhecido depois do fechamento dos mercados, possíveis reações no Ibovespa, dólar e juros aconteceriam na segunda-feira.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

A Bula do Mercado

Feriado hoje, Previdência amanhã

Feriado em alguns países hoje mantém a liquidez reduzida no mercado financeiro, ampliando espera local pela retomada da sessão na CCJ amanhã

Poder

Congresso impõe agenda própria a Bolsonaro

Já são seis as iniciativas traçadas pelo Congresso para garantir maior influência e poder político após o abandono do presidencialismo de coalizão

Aviação

Segundo NYT, outro jato da Boeing pode ter problemas de segurança: o 787 Dreamliner

Segundo reportagem do New York Times, na fábrica do 787 na Carolina do Sul são comuns os casos de resíduos metálicos e ferramentas esquecidos dentro de aeronaves, além de peças defeituosas instaladas; até chiclete segurando o acabamento de uma porta já foi encontrado

O LEMA DE SÃO TOMÉ

Por que os gringos estão com o pé atrás em relação ao Brasil e à bolsa?

Apesar de o Ibovespa acumular alta em 2019, o fluxo de recursos estrangeiros para a bolsa no mercado à vista está negativo. Com a reforma da Previdência avançando aos trancos e barrancos, os gringos estão como São Tomé: só acreditam vendo

Transparência

Guedes defende mesma transparência do Copom para política de preços da Petrobras

Em entrevista, ministro voltou a defender que a estatal é livre para definir os preços

Petróleo

ANP nega mais prazo à Petrobras; campos terrestres irão para oferta permanente

Agência reguladora negou mais prazo para a estatal apresentar um plano de desativação de campos terrestres que não estão em produção há mais de seis meses

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Siga o dinheiro

A vida dos milionários costuma fascinar as pessoas que ainda não chegaram e talvez nunca cheguem lá. Esse é o tipo de tema que costuma despertar as paixões humanas: admiração, inveja, raiva ou simplesmente a questão aspiracional. Quem não nasceu em uma família endinheirada certamente já pensou em como seria a sua vida se fosse […]

Atualização

Avianca cancela mais de 1.300 voos até dia 28

Guarulhos, Brasília e Galeão são os aeroportos mais prejudicados pelos cancelamentos. Já Congonhas e Santos Dumont parecem ter sido poupados

Piora nas contas

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018

Devido à deterioração das contas dos Estados e municípios, movimento de melhora das contas públicas pelo resultado oficial não aconteceu no estrutural, que apresentou piora no ano passado

Preço do diesel

Em áudio, Onyx diz que governo deu uma ‘trava na Petrobras’

Ministro da Casa Civil diz que os caminhoneiros podem ficar sossegados que o governo tem trabalhado para resolver o problema deles

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu