Menu
2019-02-04T16:39:13+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Ações

Lanterninhas do Ibovespa foram destaque de alta na bolsa em janeiro

Enquanto o principal índice da bolsa subiu 10,8%, ações de empresas como Cielo, Via Varejo e Kroton tiveram uma valorização que chegou a 37% no primeiro mês do ano

4 de fevereiro de 2019
15:09 - atualizado às 16:39
Cielo ViaVarejo Kroton Tunel
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Quem investiu nas ações que mais caíram no ano passado apostando em uma recuperação se deu bem. As “lanterninhas” do Ibovespa estiveram entre os destaques da bolsa em janeiro.

Enquanto o principal índice da bolsa subiu 10,8%, ações de empresas como Cielo, Via Varejo e Kroton tiveram uma valorização que chegou a 37% no primeiro mês do ano. Nada mal para quem amargou perdas que, no caso da Cielo, chegaram a mais da metade do valor de mercado no ano passado.

Eu conversei com alguns gestores de fundos para entender o que está por trás da alta recente e, principalmente, se ainda há espaço para ganhos.

Em comum a todas as empresas está o otimismo que tomou conta do mercado de ações neste início de governo Jair Bolsonaro. Em outras palavras, essas companhias são beneficiadas em momentos de maior apetite ao risco, como aconteceu em janeiro.

Mas os investidores também enxergaram uma melhora nos fundamentos das empresas, ou pelo menos uma promessa, depois de uma sequência de resultados ruins e piora no cenário competitivo. Ou seja, há espaço para as ações subirem mais conforme as perspectivas se confirmarem.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Via Varejo sobe com um velho conhecido

Depois de perder quase 45% do valor no ano passado em meio a uma sequência de balanços ruins e incerteza sobre o futuro, a dona da Casas Bahia e Ponto Frio voltou ao radar dos investidores, com uma alta de 35,8% em janeiro.

Foram três os gatilhos para a melhora, segundo os gestores com quem eu conversei. O primeiro foi a volta de Peter Estermann ao comando da varejista, anunciada no fim do ano passado.

Outro fator para a valorização recente tem relação com a perspectiva de retomada da economia, que tende a melhorar os resultados futuros da Via Varejo.

Por fim, depois da forte queda, as ações ficaram ainda mais baratos na comparação com concorrentes, como B2W e Magazine Luiza.

“A empresa está super ‘amassada’, mas tem um potencial de lucros grandes com a melhora da economia”, me disse um gestor.

Apesar das boas perspectivas, o futuro da companhia ainda é incerto, o que pode pesar sobre as ações. O Grupo Pão de Açúcar já anunciou que vai se desfazer da Via Varejo e, na falta de compradores, começou a vender as ações diretamente na bolsa.

Cielo menos nublado

Poucos apostariam que as ações da Cielo estariam entre as maiores altas do Ibovespa no mês passado depois da queda de quase 60% no ano passado. Foi a maior entre as ações que compõem o Ibovespa.

Pressionada por um cenário de competição cada vez mais agressivo, a empresa decidiu entrar na guerra das maquininhas de cartão para manter a liderança nesse mercado. Isso significa que vai abrir mão das margens de lucro reduzindo os preços e gastando mais em marketing e em força de vendas.

Junto com o balanço de 2018, divulgado na semana passada, a Cielo fez algo pouco usual e deu ao mercado as projeções de lucro para este ano. A expectativa é que o resultado fique entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões. Ou seja, na melhor das hipóteses, a empresa espera uma redução de 21% do resultado.

Aparentemente, o mercado pintava um quadro ainda pior para a companhia. Tanto que as ações subiram 35% no mês passado, e continuaram em alta mesmo depois dos números do balanço.

"O mercado gostou da proposta da nova gestão da Cielo de atacar a concorrência", me disse o sócio de uma gestora.

Para ele, o desempenho das ações da empresa daqui para frente dependerá do cumprimento da promessa da empresa de defender sua posição e tentar recuperar os resultados a partir dos ganhos de escala.

Somos Kroton

Outrora galinha dos ovos de ouro, o setor de educação virou patinho feio na bolsa. E a Kroton foram as que mais sentiram a mudança da maré. As ações da companhia perderam metade do valor de mercado ao longo do ano passado, a segunda maior entre os papéis que compõem o Ibovespa.

As ações aceleraram os ganhos depois de uma reunião promovida pela empresa com analistas e investidores e acumularam alta de 28,9% em janeiro. O que animou os investidores foram as perspectivas dadas pela direção da empresa comandada por Rodrigo Galindo, em uma reunião com investidores realizada no dia 23.

Ao mesmo tempo em que procura reduzir a dependência de programas como o Fies, a Kroton anunciou que espera um aumento de até 5% na geração de caixa neste ano, com a manutenção na base de alunos e aumento nos preços. A Kroton ainda deu projeções pra lá de otimistas para a Somos Educação, adquirida no ano passado por R$ 4,6 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Objetivo muito distante

Maia diz ser ‘temerário’ falar em privatização da Petrobras até 2022

Presidente da Câmara ressaltou que, por ser a Petrobras uma empresa de capital aberto, o assunto da venda fica mais delicado

Mas e o prazo?

Jereissati diz que relatório da reforma da Previdência não será mais entregue nesta sexta-feira

Pelo cronograma inicial, o relatório seria lido na comissão na próxima quarta-feira, 28

Seu Dinheiro na sua noite

Quem manda é o lucro

Vermelho ou verde? Para facilitar a vida de míope mal curado, deixo sempre as duas cores bem berrantes na tela de cotações que fica a meu lado para saber rapidamente quando a bolsa e as principais ações do Ibovespa estão em alta ou em queda. Hoje foi o típico dia em que um único ponto […]

Ninguém segura!

Azul fecha acordo com aérea regional Asta e amplia operações em Mato Grosso

Focada em viagens ligadas ao agronegócio, a ASTA existe desde 1995 e, atualmente, opera onze voos diários no Mato Grosso

Falta gás

Apesar de espera positiva por FGTS, mercado de trabalho ainda trava ímpeto de compra

Analistas da FGV afirmam que o saldo positivo do Índice de Confiança do Consumidor em agosto deve ser encarado com certa cautela

Ninguém mexe!

Governo não cogita alterar meta fiscal, diz Ministério da Economia

Meta limita o déficit primário do governo para este ano a R$ 139 bilhões

Se deu bem

Conselho da Anatel aprova termo que troca multas contra a TIM por iniciativas de melhora de atendimento

Acordo prevê a troca de R$ 627 milhões em sanções por uma série de iniciativas que a companhia deverá assumir e colocar em prática

Em debate no Congresso

Campos Neto diz estar seguro que PL da autonomia do BC blindará a instituição e a UIF, ex-Coaf

Declarações foram feitas nesta manhã durante a posse do novo presidente da UIF, Ricardo Liáo

Tá difícil de acreditar

Confiança de micro e pequeno empresário cai 7,6% nos primeiros sete meses do ano

Para 53% dos pessimistas com a economia, são as incertezas políticas que justificam sentimento negativo

No meio do caminho tinha uma pedra

Relator da Previdência no Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada atrapalha tramitação da reforma

Indicação ainda não foi oficializada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, pai do deputado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements