Menu
2019-07-23T17:24:38+00:00
Nicolas Gunkel
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP) com Nanodegree em Marketing Digital pela Udacity. Foi editor de Redes Sociais e repórter do site Exame, além de repórter no jornal Metro São Paulo.

Google revela os 10 traços de um gestor perfeito

De acordo com a gigante de tecnologia, empresas que investem em líderes com essas características conseguem reter talentos e apresentar melhores resultados

21 de julho de 2019
17:59 - atualizado às 17:24
Sede do Google em Mountain View, na Califórnia
Google: melhores gestores compartilham estas características - Imagem: Uladzik Kryhin/Shutterstock

Poucas empresas têm a mesma reputação do Google quando o assunto é a concentração de talentos. A gigante de tecnologia não apenas atrai algumas das mentes mais brilhantes do planeta, como faz um trabalho contínuo para retê-las em suas sedes pelo globo.

A cultura do Google, que se mantém na ponta há quase duas décadas em um setor tão competitivo quanto o de tecnologia, é também um diferencial na tomada de decisão de acionistas da companhia. Afinal, uma empresa que faz apenas mais do mesmo pode se tornar uma commodity aos olhos do investidor.

No livro “How Google Works” (Como o Google funciona), o ex-CEO Eric Shcmidt e o diretor da divisão de produtos Jonathan Rosenberg fazem uma longa explicação de todo seu processo de seleção de talentos.

Sempre que uma vaga de emprego é aberta, é formado um comitê composto não apenas por representantes do RH, mas também por futuros colegas e gestores. A decisão de contratação pode levar semanas, precisa alcançar um consenso e, talvez o mais importante, ser orientada por dados.

Esse trabalho cuidadoso, um dos principais pilares da empresa, garante um círculo virtuoso. Afinal, os melhores colaboradores atraem mais potenciais aspirantes para trabalhar na gigante.

A partir da contratação, surge uma missão tão importante quanto: a de manter os talentos motivados e com o mindset de crescimento dentro da empresa.

Os ambientes integrados e sem paredes, a horizontalidade nas discussões (de novo, quem manda são os dados) e o incentivo a projetos pessoais (20% do tempo de trabalho deve ser dedicado a eles) são apenas alguns elementos dessa estratégia.

Os melhores gestores, segundo o Google

Mas, mais do que isso, os grandes talentos estão em busca de grandes gestores, isto é, de profissionais que saibam tirar o melhor de cada funcionário. Pensando nisso, o Google iniciou em 2008 estudos para descobrir os impactos de um bom gestor nos resultados de suas equipes.

Batizado de Oxygen, o projeto foi dividido em duas etapas. A primeira identificou as competências comuns entre os líderes dos times de melhor performance da casa.

De acordo com o Google, a divulgação e a incorporação desses comportamentos comuns em treinamentos internos impulsionaram a satisfação e o desempenho dos funcionários.

A segunda etapa foi uma grande pesquisa com os colaboradores da empresa para entender o que eles queriam a mais de seus líderes. A soma das duas fases gerou uma lista de 10 comportamentos, divulgada no re:Work, blog de ideias, pesquisas e boas práticas da empresa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Sem mais delongas, confira a seguir os principais traços de um gestor ideal, segundo o Google:

1 – É um bom coach

Em vez de resolver todos os problemas por conta própria, o bom líder faz deles momentos de aprendizado e experiências, assim como um treinador.

2 – Empodera a equipe sem “microgerenciamento”

Colaboradores buscam a liberdade para testar novas ideias e errar sem que cada momento dessa trajetória seja controlado pelo gestor.

3 – Cria um ambiente inclusivo, mostrando preocupação com o sucesso e o bem-estar

A confiança entre os membros e um time é fundamental para que colaboradores assumam riscos e possam inovar.

4 – É produtivo e orientado por resultados

Um líder que arregaça as mangas e valoriza resultados melhora a performance de toda sua equipe.

5 – É um bom comunicador – escuta e compartilha informações

É importante que cada colaborador entenda o que motiva as atitudes de seu gestor. Ouvir, por outro lado, é fundamental para entender as demandas de sua equipe e melhorar processos.

6 – Apoia o desenvolvimento da carreira e discute performance

Estimular o desenvolvimento profissional de seus colaboradores com treinamentos e dar um feedback franco são ótimas formas de colher melhores resultados.

7 – Tem uma visão/estratégia clara para o time

O bom gestor não apenas enxerga onde sua equipe está e onde deve chegar, mas também deixa claro o papel de cada um neste caminho.

8 – Tem competências técnicas chave para ajudar e aconselhar a equipe

Para gerir o trabalho de cada colaborador, o líder precisa entender as dificuldades e desafios de cada função. Essa compreensão, é claro, exige certo conhecimento técnico em diversas áreas.

9 – Colabora com outras equipes

Maus gestores veem outras equipes da empresa como inimigos. Já os melhores pensam no bem da empresa como um todo, incentivando seus funcionários a fazerem o mesmo.

10 – É um forte tomador de decisões

Gerir não implica apenas tomar decisões óbvias, mas também decisões difíceis. Muitas vezes, isso requer passar interesses comuns à frente de interesses individuais, o que pode causar indisposição de membros da equipe.

E aí, concorda com as dicas do Google? Tem mais alguma que você acrescentaria na lista? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

A Bula do Mercado

Mais um feriado testa mercado

Pausa na cidade de São Paulo amanhã deve enxugar a liquidez dos mercados domésticos, provocando distorções nos preços dos ativos

Não vai ter Disney

Dólar a R$ 4,20 surpreende, mas nem tanto. Olho no BC

Mercado aguarda algum aceno do Banco Central (BC), que pode vir pela mesa de operações ou na fala de Roberto Campos Neto, que participa de audiência no Senado

Nada de aumento

“Há zero possibilidade de aumentar a carga de impostos”, diz Waldery

Waldery explicou que a meta de déficit primário de 2019 está mantida em R$ 139 bilhões, mas lembrou que o saldo negativo deve ficar abaixo dos R$ 80 bilhões

Contas públicas

Governo central deve fechar 2019 com déficit abaixo de R$ 80 bi, diz Guedes

Guedes voltou a dizer que o sucesso do leilão da cessão onerosa também ajudou a fazer um resultado fiscal melhor, além de permitir um maior repasse de recursos para Estados e municípios. “O ano de 2019 foi interessante, porque conseguimos muita colaboração com Congresso nas reformas econômicas. Também houve muita colaboração do Judiciário”, completou

Novidades na cervejaria

Ambev anuncia Jean Jereissati como presidente da companhia em 2020

A partir de 1º janeiro de 2020, Jereissati Neto acumulará as funções de diretor-presidente e diretor de vendas e de marketing

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Game over? A vida com o dólar acima de R$ 4,20

A primeira vez que o dólar atingiu o patamar de R$ 4,20 foi em setembro de 2015. Eu me lembro de receber a notícia de uma forma bem inusitada, no meio da plateia de um evento voltado a grandes investidores. Enquanto o palestrante da vez tentava injetar alguma esperança sobre as perspectivas da economia brasileira em […]

Olho nos números

BMG não agrada mercado em primeiro balanço após IPO e ações caem

Apesar da queda acentuada dos papéis, ao comentar o balanço do BMG, os analistas do BTG Eduardo Rosman e Thomas Peredo se mostraram mais tranquilos com o resultado e destacaram que os números vieram dentro do esperado pela maioria dos investidores com quem conversaram

Gestoras

JGP segue comprada em bolsa enquanto acompanha guerra de narrativas

Gestora discute tese de que a manufatura e o comércio global estão próximos ao fundo do poço e prestes a se recuperar

Mudança de coleção

Dona da Le Lis Blanc e Dudalina, a Restoque tenta pôr ordem na casa. O mercado está cético

Em meio a um processo de mudança de estratégia, a Restoque reportou mais um conjunto de resultados trimestrais desanimadores, o que fez suas ações chegarem às mínimas em mais de três anos

Mudanças à vista

Desoneração da cesta básica vai acabar, diz Tostes Neto

Para compensar o gasto com tributo, o governo deve devolver dinheiro aos mais pobres como adicional aos programas sociais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements