Menu
2019-11-25T17:18:06-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Câmbio pressionado

Dólar à vista fecha em alta e chega a R$ 4,21 pela primeira vez na história

Fatores domésticos, somados ao fortalecimento da divisa americana em escala global, fazem o dólar à vista operar em alta firme nesta segunda-feira

25 de novembro de 2019
11:21 - atualizado às 17:18
Dólar subindo
Imagem: Shutterstock

O mercado de câmbio teve um início de semana bastante pressionado. Tanto é que o dólar à vista, que vinha passando por uma onda de tranquilidade, fechou em alta firme nesta segunda-feira (25) e, com isso, chegou a um novo recorde de fechamento.

A divisa até chegou a operar em queda durante a manhã, mas logo virou para o campo positivo — e de lá não saiu. Ao fim do dia, o dólar à vista teve alta de 0,52%, a R$ 4,2145, marcando a primeira vez na história que a moeda americana encerrou uma sessão no nível de R$ 4,21. A máxima anterior era de R$ 4,2055, do último dia 18.

O mercado doméstico de câmbio acompanhou o tom visto no exterior: lá fora, o dólar ganhou terreno tanto em relação às moedas fortes quanto aos ativos de países emergentes. O índice DXY, que compara o dólar a uma cesta com as principais moedas do mundo, subiu 0,04%, indicando um fortalecimento em relação aos seus pares.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

E, em relação às divisas de países emergentes, o dólar subiu em relação ao real, ao peso mexicano, o rublo russo, o rand sul-africano, o peso colombiano e a lira turca — as exceções foram as moedas do Chile e da Argentina, que passaram por fortes desvalorzações recentes.

E o que explica essa nova alta do dólar? Lá fora, a percepção de alívio na guerra comercial fez os investidores aumentarem a exposição ao risco nas bolsas, mas não foi capaz de fazer o mesmo no câmbio. É uma estratégia que vem sendo usada com frequência: o dólar é usado como proteção, caso a aposta em ações dê errado.

Só que o desempenho do real foi pior que o das demais divisas de países emergentes — e isso porque, em termos domésticos, também havia elementos que traziam cautela aos agentes financeiros. Por aqui, houve alguma frustração com os dados do setor externo brasileiro em outubro: um déficit em conta corrente de US$ 7,86 bilhões no mês.

"Há certa escassez de recursos no Brasil, o fluxo de ingresso diminuiu bastante", diz Ricardo Gomes Filho, operador da corretora Correparti. "Por outro lado, há remessas de empresas ao exterior, com filiais mandando recursos às matrizes no fim de ano".

Em meio a esse desequilíbrio, nem mesmo o leilão de linha — ou seja, a venda de dólares com compromisso de recompra pelo Banco Central (BC) — no montante de US$ 1,5 bilhão foi capaz de trazer alívio ao mercado de câmbio.

Juros em alta

Com a pressão no dólar à vista, as curvas de juros também fecharam em nesta segunda-feira, dando continuidade ao movimento de ajustes positivos vistos desde a semana passada. Veja abaixo como estão os principais DIs neste momento:

  • Janeiro/2021: alta de 4,64% para 4,65%;
  • Janeiro/2023: avanço de 5,88% para 5,94%;
  • Janeiro/2025: ganho de 6,45% para 6,54%;
  • Janeiro/2027: subida de 6,77% para 6,85%.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

UM DOS IPOs DO ANO

Presidente da XP diz que não descarta listar a companhia na bolsa brasileira

O executivo disse que a ideia sempre foi fazer uma listagem no Brasil, visto que a empresa sempre se posicionou “como disruptora do mercado local, democratizando investimentos”

POLÍTICA

Justiça derruba suspensão de deputados do PSL; Joice pode perder liderança

Nesta quarta-feira, Joice foi confirmada líder do PSL na Câmara e em sua primeira coletiva no cargo afirmou que vai buscar uma pacificação na bancada

Até que enfim!

Agência de risco S&P eleva perspectiva para nota do Brasil para “positiva”

Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A última superquarta do ano

Nesta última superquarta de 2019, o mercado ficou em compasso de espera pelas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e do Banco Central brasileiro. No meio da tarde, o Fed anunciou a manutenção das taxas de juros, interrompendo um ciclo de três reduções consecutivas. Mas como o resultado já […]

Sessão tranquila

Sem surpresas com o Fed, dólar cai a R$ 4,11 e Ibovespa fecha em leve alta

A primeira parte do script imaginado pelos mercados foi cumprida à risca: o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa de juros no país na faixa de 1,50% e 1,75% ao ano, conforme era esperado pelos agentes financeiros. E, sem nenhuma surpresa, o dólar à vista encontrou espaço para continuar caindo, enquanto […]

Menor juro da história

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,5% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Juros

Banco Central reduz juros para 4,5% ao ano, mas não garante novos cortes

Com a nova redução de 0,5 ponto percentual em decisão unânime tomada pelo Copom, a Selic renova a mínima histórica

Antes tarde do que nunca?

No dia do IPO da XP, CVM lança proposta para facilitar listagem de BDR

Se já estivesse em vigor, a regra permitiria a listagem de recibos de ações da XP na bolsa brasileira. CVM também pretende liberar investimento em BDR para o varejo

SEM BUROCRACIAS

Em evento na CNI, Bolsonaro faz acenos ao empresariado ao criticar “burocracias”

“Cada instrução normativa deve ser muito bem pensada. Deve atender ao interesse do Brasil. Não de grupos”, disse o presidente

MAIS MAGRINHA

Venda de 51% da Gaspetro com 20 distribuidoras deverá ser por IPO, diz Petrobras

“As conversas continuam com a Mitsui e a nossa expectativa é realizar a transação no mercado de capitais. Em 2015 a Petrobras vendeu 49% da empresa para a Mitsui e agora vamos vender nossa parte em bolsa”, disse Castello Branco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements