Menu
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Oito europeus no TOP 10

Com Suíça no topo, Europa domina ranking dos países com maior potencial de talentos empreendedores

Estudo divulgado pela Insead mostra que as classificações mais altas estão associadas a níveis de renda mais elevados nas nações; Brasil ocupa a 72ª posição

21 de janeiro de 2019
16:08 - atualizado às 16:46
Europa se firma como potência mundial de talentos - Imagem: Shutterstock

Mesmo sendo considerada por muitos o símbolo do "velho mundo", a Europa segue como principal polo mundial de talentos empreendedores. O Índice Global de Competitividade por Talentos de 2019, divulgado pela Insead, revelou que apenas dois países não-europeus estão entre as dez nações mais bem classificados no ranking. Na liderança da lista está a Suíça, seguida por Cingapura e Estados Unidos.

O estudo mostra que as melhores classificações estão associadas a níveis de renda mais elevados nas nações. No geral, economias mais ricas têm estabilidade para investir em ensino permanente, reforçando qualificações, atraindo e retendo talentos globais.

De acordo com o relatório, o que sustenta o título de potência de talentos da Europa são grandes universidades e um setor educacional forte. Questões sobre o tema talentos se tornaram uma preocupação generalizada para empresas, nações e cidades, onde o desempenho dessas pessoas é visto como um fator fundamental para o crescimento e a prosperidade.

Na contramão desse fluxo, o documento aponta que países da Ásia, América Latina e África observaram uma erosão progressiva de suas bases de talentos, fator que justifica um desempenho ruim no ranking global. O Brasil, por exemplo, aparece apenas na 72ª posição, com 37,57 pontos, apesar de ser um dos destaques regionais em talentos.

Foco nos empreendedores

O relatório da Insead de 2019 passou a avaliar de modo especial o desenvolvimento do chamados "talentos empreendedores". Na avaliação foram consideradas variáveis como o encorajamento, o cultivo e o desenvolvimento dos talentos no mundo e como isso afeta a competitividade relativa de economias diferentes.

Os resultados também apontaram que novos métodos estão surgindo para estimular talentos empreendedores e intraempreendedores, bem como empregados preparados para o futuro.

Ranking por cidade

Outro ponto que chama a atenção no relatório é o fato de as cidades, mais do que os países, exercerem papéis mais fortes como centros de talentos. Os dados mostram que a importância crescente dos municípios se deve à alta capacidade de mutação e flexibilidade em sua legislação, com políticas econômicas em menor escala que podem ser implementadas e alteradas de forma mais ágil.

Nesse sentido, a Insead também elaborou um ranking das cidades mais atraentes para talentos empreendedores. O topo do ranking em 2019 ficou com Washington, seguida por Copenhague, Oslo, Viena e Zurique. O relatório mostra que a posição da capital estadunidense é reflexo do seu forte desempenho em quatro dos cinco pilares medidos na pesquisa: "ser global", "atrair", "crescer" e "capacitar".

Entre as cidades brasileiras, São Paulo é a mas bem posicionada no ranking. A capital paulista aparece na 88ª posição, com 30,9 pontos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Superando estimativas

Hypera registra lucro líquido de R$ 309,8 milhões no 4º trimestre

No acumulado do ano passado, a companhia lucrou R$ 1,129 bilhão, o que representa um crescimento de 17,1% em relação a 2017

Acima das expectativas

Localiza registra lucro líquido de R$ 181,4 milhões no 4º trimestre

Receita líquida consolidada no último trimestre do ano passado cresceu 24,9% ante o verificado um ano antes, para R$ 2,259 bilhões

Após Maduro fechar fronteira

EUA pressionam Brasil para garantir segurança na entrega de ajuda humanitária à Venezuela

Presidente venezuelano acusa os americanos de usarem os carregamentos como desculpa para tramar um golpe de Estado

Com venda de ativos

CSN quer captar R$ 5 bilhões até o fim do ano

Meta de captação é parte da estratégia de reduzir seu endividamento e de atingir a relação entre dívida e geração de caixa para 3 vezes

NA MIRA DO CADE

Disney deve abrir mão de “Fox Sports” para conseguir aprovação de compra da Fox pelo Cade

Venda foi a solução encontrada para resolver a principal preocupação do órgão em relação ao negócio já que a Disney é proprietária dos canais ESPN

Após tragédia de Brumadinho

Vale enfrenta 3ª ação coletiva nos EUA

Nova ação foi protocolada na Corte Distrital Sul de Nova York e foi movido por dois escritórios especializados neste tipo de processo: Pomerantz LLC e Bronstein, Gewirtz & Grossman

Vídeo

‘Hawkish’ vs. ‘Dovish’: o que falcões e pombos têm a ver com os bancos centrais (e com o seu bolso)

Você sabe o que significa dizer que um banqueiro central é mais hawkish ou mais dovish? Não, não estou falando de zoologia, mas de política monetária, e isso pode afetar o desempenho dos investimentos

A Bula do Mercado

Mercado mede riscos de tempo e diluição da Previdência

Ao investidor, cabe entender o quanto do conteúdo da proposta até a aprovação está embutido nos preços dos ativos

Temporada de balanços

Olha a Magalu aí gente! Magazine Luiza supera expectativa de analistas e registra lucro líquido anual de R$597,4 milhões em 2018

Nas estimativas dos analistas ouvidos pela Bloomberg, a previsão era de um lucro líquido de R$ 389 milhões no ano passado

E aí, CVM?

Gafisa ‘rasga’ estatuto para nomear 2 novos conselheiros em meio à atrapalhada troca de comando

Três conselheiros que sobraram dos 7 eleitos em outubro indicaram Oscar Segall e Augusto Cruz para compor quadro após renúncia de Mu Hak You e seu filho. 5 advogados societários consultados pelo Seu Dinheiro consideraram manobra irregular – o certo seria a convocação de assembléia de acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu