🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
SUÉCIA NA OTAN

Sinuca de bico para Putin: como a Europa deixou a Rússia sem “ângulo para bater” em um cenário de guerra mundial

Quem fez a jogada que deixou o chefe do Kremlin com pouca margem de manobra foi a Hungria; entenda o que aconteceu dessa vez

Carolina Gama
26 de fevereiro de 2024
19:35 - atualizado às 17:47
Um homem em uma mesa de bilhar, segura o taco entre as bolas branca e vermelha. Presidente russo, Vladimir Putin
O presidente russo, Vladimir Putin - Imagem: Montagem Seu Dinheiro/Pexels/Canva

Se o presidente Vladimir Putin for um apreciador do bilhar, ele sabe que nesta segunda-feira (26) a Europa colocou a Rússia em uma sinuca de bico — a bola do russo está encostada à caçapa geopolítica e ele está sem ângulo para bater.

A jogada que colocou a Rússia em uma situação difícil de resolver foi feita pela Hungria. O país votou hoje pela aprovação da proposta de adesão da Suécia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). 

A luz verde húngara encerrou meses de negociações diplomáticas e finalizou a adesão de Estocolmo quase dois anos depois de ter pedido pela primeira vez para aderir à aliança militar.

A Suécia se torna assim o 32º membro da Otan, enquadrando-se no artigo 5.º do tratado, que promete que um ataque a um membro é um ataque a todos eles.

No ano passado, a Finlândia tornou-se o 31º membro da aliança, acrescentando cerca de 1.300 quilômetros à fronteira da Otan com a Rússia.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

Todos contra a Rússia?

O voto da Hungria em favor da Suécia segue ao da Turquia — a outra resistência que concordou no mês passado em ratificar a adesão de Estocolmo após um atraso de um ano por questões de segurança. 

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou a Finlândia e a Suécia de serem tolerantes com as organizações terroristas curdas. 

Já o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, alegou que os dois países nórdicos espalharam “mentiras descaradas” sobre o fracasso de seu país em aderir aos padrões da União Europeia em matéria de Estado de direito — valores fundamentais consagrados nos tratados da UE.

Tais preocupações levaram a UE a congelar milhões de dólares em fundos destinados à Hungria até que tais preocupações fossem resolvidas. Orban e seu governo negaram repetidamente que tenham violado as regras europeias.

A Hungria e a Turquia suavizaram posteriormente a posição sobre a adesão da Finlândia e aprovaram a candidatura em março passado. O parlamento turco aprovou a entrada da Suécia no mês passado, depois de Estocolmo ter reforçado a legislação anti-terrorismo e ter prometido uma cooperação mais estreita com a Turquia em questões de segurança.

A sinuca de bico de Putin

A Suécia e a Finlândia anunciaram a intenção de aderir à Otan em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, abandonando a política de não-alinhamento de décadas que definiu as relações externas de ambos os países durante a Guerra Fria.

A ironia da adesão dos dois países é que Putin invadiu a Ucrânia justamente porque Kiev queria entrar para a aliança — o que deixaria a Rússia cercada por países cujo princípio do tratado fundador é: um por todos, todos por um. 

A sinuca de bico no qual os países nórdicos colocaram a Rússia acontece em um momento crucial da guerra na Ucrânia: Moscou está obtendo sucesso no campo de batalha e surgem fissuras no apoio ocidental a Kiev, após dois anos de combates. 

O aumento do sentimento populista na Europa e nos Estados Unidos antes das eleições de junho e novembro, respectivamente, também ameaça frustrar os esforços da Ucrânia para continuar na luta contra a Rússia.

Os políticos nas democracias ocidentais estão se esforçando para convencer um eleitorado cada vez mais cético de que apoiar a Ucrânia e travar a marcha do autoritarismo no estrangeiro é uma boa destinação para os milhões de dólares pagos em impostos, quando os eleitores enfrentam outras questões mais próximas de casa, como lidar com a aceleração da inflação.

*Com informações da CNN e da CNBC

Compartilhe

OS ALVOS DO BILIONÁRIO

‘Petróleo branco’, níquel e satélites: conheça interesses de Elon Musk no Brasil

15 de abril de 2024 - 19:06

Entre seus principais alvos está a mineração, que abastece suas indústrias com materiais necessários para produção

O PRATO QUE SE COME FRIO

A resposta de Israel ao Irã ainda não veio: por que você deveria estar preocupado mesmo assim

15 de abril de 2024 - 16:59

Os preços do petróleo ainda rondam patamares elevados e algumas das principais bolsas do mundo operaram em queda nesta segunda-feira (15)

COM O PÉ ESQUERDO

A fortuna evaporou? Trump sai do ranking dos bilionários e ainda pode ser preso no fim do julgamento que começou hoje 

15 de abril de 2024 - 15:44

O republicano, que viu seu patrimônio diminuir em 10%, enfrenta 34 acusações criminais e pode encarar quatro anos de prisão por cada uma delas

PRESIDENTE HERMANO

Javier Milei terá semana decisiva: ministro negocia US$ 15 bilhões com FMI e vice tenta passar “pacotão” para destravar Argentina

14 de abril de 2024 - 12:44

Para atingir seus objetivos ultraliberais, o presidente conta com a ajuda do ministro da Economia, Luis Caputo, e de Victoria Villarruel, vice-presidente do país

TENSÕES AUMENTAM

Ataque do Irã deve fazer petróleo e dólar dispararem — mas o efeito nos juros será mais devastador para a economia

14 de abril de 2024 - 9:33

O Irã confirmou ter iniciado uma ofensiva com drones e mísseis contra Israel, em retaliação pelo ataque aéreo que destruiu o consulado iraniano em Damasco, no começo do mês

NO ORIENTE MÉDIO

Noite de terror: veja o que aconteceu nas últimas 24h entre Irã e Israel e como a escalada do conflito afeta o mundo

14 de abril de 2024 - 8:33

O contra-ataque é uma reação após um suposto ataque à embaixada iraniana em Damasco, que deixou um general e seis oficiais mortos

ACIRRAMENTO DAS TENSÕES

Irã fala em retaliação “calibrada” após ataque à embaixada na Síria e navio é capturado em estreito próximo da região 

13 de abril de 2024 - 10:24

O comando da Guarda Revolucionária, uma força paramilitar do Irã, usou um helicóptero para capturar um navio ligado a Israel perto do Estreito de Ormuz neste sábado

LUZ NO FIM DO TÚNEL?

Milei acertou a mão? Inflação na Argentina desacelera pelo terceiro mês seguido e abre espaço para corte de juros

12 de abril de 2024 - 18:59

A grande surpresa dos dados desta sexta-feira (12) foi o núcleo da inflação — aquele que não considera preços monitorados ou sazonais —, que subiu um dígito pela primeira vez desde outubro

ENCONTRO AGUARDADO

Javier Milei quer ajudar Elon Musk na batalha contra Alexandre de Moraes; confira os destaques do encontro entre o presidente da Argentina e o bilionário

12 de abril de 2024 - 16:23

De acordo o porta-voz da presidência, Milei ofereceu ajuda ajuda a Musk no conflito com o judiciário brasileiro a respeito do X, o antigo Twitter

OS TAMBORES DA GUERRA SOAM ALTO

Ataque em 48 horas e socorro da China: o que você precisa saber sobre a vingança do Irã contra Israel que pode abalar o mundo — as bolsas já sentem

12 de abril de 2024 - 15:05

Os mercados nesta sexta-feira (12) refletem a gravidade da situação geopolítica, com o petróleo tipo Brent batendo em US$ 92 o barril. Por aqui, o Ibovespa cai e o dólar atinge o maior valor em seis meses, a R$ 5,14.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies