🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
DADOS OPERACIONAIS

Quem foi bem e quem foi mal entre as construtoras listadas na B3 nas prévias de resultados do 1T24

Incorporadoras se aproveitaram do cenário favorável para lançar mais empreendimentos neste começo de ano; saiba quem se destacou, na visão dos analistas

Larissa Vitória
Larissa Vitória
17 de abril de 2024
6:07 - atualizado às 12:52
Montagem com prédios e outros imóveis em construção e guindastes | Fundos imobiliários, incorporadoras, construtoras, ações, MRV

As principais construtoras e incorporadoras listadas na B3 divulgaram nos últimos dias as prévias operacionais do primeiro trimestre de 2024. E os números foram uma boa oportunidade para o mercado confirmar se o cenário de queda dos juros, inflação controlada e estímulos à habitação popular se traduziu em resultados melhores para as companhias.

Não basta, porém, ter um quadro macroeconômico bom e incentivos do governo se as empresas não estiverem preparadas para correr atrás dos resultados. É preciso ter operações e finanças saudáveis para conseguir aproveitar o cenário positivo.

A boa notícia é que, de fato, as incorporadoras de modo geral se aproveitaram do momento favorável para lançar mais empreendimentos neste começo de ano. E isso se traduziu em um aumento das vendas em relação ao primeiro trimestre de 2023. Mas nem todas as empresas do setor fizeram a lição de casa — ou pelo menos não conforme a expectativa dos analistas.

Nesta reportagem, o Seu Dinheiro traz um panorama dos principais destaques da temporada de prévias de oito incorporadoras no primeiro trimestre de 2024.

  • Pensando em comprar um imóvel em 2024? Então é melhor “correr” antes que os preços comecem a aumentar. Entenda o porquê. 

Os três destaques das construtoras do segmento econômico

Para Fanny Oreng, do Santander, os números das companhias de baixa renda impressionam, especialmente de três delas: “Vimos a Direcional (DIRR3) acelerando a velocidade de vendas (VSO) e colocando o indicador de volta no trilhos, um excelente primeiro trimestre na Cury (CURY3), e a Tenda (TEND3) com números muito sólidos.”

Os detalhes da performance do trio estão disponíveis abaixo e, de acordo com a analista, mostram que as condições para operar no Minha Casa Minha Vida (MCMV) já melhoraram muito e ficarão ainda mais atrativas.

Vale relembrar que o programa foi retomado e turbinado no ano passado, com mudanças que incluíram queda nos juros, aumento nos subsídios e no teto dos imóveis. Além disso, o primeiro trimestre deste ano trouxe duas novidades que já foram implementadas e devem se refletir nos números dos próximos meses.

A primeira é o Regime Especial de Tributação para Incorporações Imobiliárias, ou RET1, que prevê que a receita proveniente das unidades vendidas na faixa um do programa habitacional — para famílias com renda de até R$ 2.640 — tenha uma alíquota efetiva de imposto de apenas 1%.

Já a segunda permite o uso de depósitos futuros do fundo de garantia para os financiamentos também no primeiro grupo do MCMV. A Caixa Econômica Federal começou a oferecer as linhas de crédito do FGTS Futuro na semana passada.

Segundo Fanny, a Tenda é, “sem dúvida”, quem mais tem a ganhar com as duas medidas porque é a companhia mais exposta à faixa 1 do programa habitacional. “Mas eu acredito que empresas como Direcional e MRV (MRVE3) vão aumentar a quantidade de projetos vendidos dentro desse grupo e também serão beneficiadas.”

MRV (MRVE3): queima de caixa ainda preocupa

Por falar em MRV, que é a maior construtora dentro do Minha Casa Minha Vida, a companhia registrou recorde de vendas no primeiro trimestre — foram R$ 2,3 bilhões, alta de 18% ante o 1T23.

Apesar do avanço, outro indicador chamou a atenção do mercado: a queima de caixa de R$ 18,6 milhões entre janeiro e março. A cifra é menor do que os R$ 120,8 milhões negativos reportados no 1T23, mas contraria os R$ 130,8 milhões gerados no último trimestre do ano passado.

“Acreditamos que isso deve melhorar a partir do segundo trimestre, pois começam a sair do balanço projetos com margem baixa, que estão consumindo mais caixa ao longo do ano. Mas, para a ação no curto prazo fica o questionamento com relação a essa dinâmica”, diz a analista do Santander.

Daniel Gasparete, analista de Real Estate no Itaú BBA, cita que o resultado poderia ter sido ainda pior não fosse o efeito positivo de R$ 627 milhões vindo das vendas de recebíveis — o que corresponde a 43% da expectativa para o ano todo — e uma transferência de R$ 230 milhões relacionada a vendas passadas.

A joia da coroa da média e alta renda

Saindo do segmento econômico para a média e alta renda, os analistas não têm dúvidas sobre qual nome mais chama a atenção no setor: “A Cyrela (CYRE3) teve um resultado bastante positivo, mostrando mais uma vez um desempenho de vendas muito forte”, afirma Gasparete.

A construtora registrou R$ 2,14 bilhões no indicador de comercializações totais contratadas, uma alta de 39% ante o primeiro trimestre de 2023.

Com a performance, o estoque também ficou em patamares saudáveis. Do total vendido no período, R$ 177 milhões correspondem a unidades prontas e R$ 1 bilhão saiu do estoque em construção.

Gasparete cita ainda a Melnick (MELK3) como uma construtora de alta renda com resultados “ bem interessantes” em termos de desempenho de vendas e lançamentos. A empresa gaúcha superou as estimativas do Itaú BBA e quebrou recordes no primeiro trimestre.

Os lançamentos, por exemplo, atingiram os R$ 617 milhões — alta de 43% na base anual e acima da projeção do banco de investimentos, representando 56% das estimativas do Itaú BBA para todo o ano de 2024.

Quem ainda não fez a lição de casa entre as construtoras?

Nem só de destaques positivos foi feita a temporada de prévias do primeiro trimestre. A lista de decepções é menor, vale destacar, mas inclui nomes conhecidos dos investidores.

Dois exemplos são a Even (EVEN3) e a Plano & Plano (PLPL3), que, na visão da Fanny Oreng, do Santander, apresentaram indicadores mais fracos que o previsto.

Já Daniel Gasparete afirma que a prévia da EZTec (EZTC3) foi “um pouco mais fraca” do que a expectativa. A companhia lançou três projetos com um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 457,5 milhões e vendeu R$ 299,6 milhões — cifra 19,6% inferior à do 1T23.

Confira a seguir os principais números das prévias operacionais das incorporadoras no 1T24

EmpresaLançamentosΔ (1T24/1T23)VendasΔ (1T24/1T23)
Cury (CURY3)R$ 1,88 bilhão+32,7%R$ 1,55 bilhão+43,9%
Cyrela (CYRE3)R$ 1,7 bilhão+26%R$ 2,14 bilhões+39%
Direcional (DIRR3)R$ 896,5 milhões+46,7%R$ 1,3 bilhão+62,8% 
Even (EVEN3)R$ 617,1 milhões+32,7%R$ 426 milhões+40%
EZTec (EZTC3)R$ 457,5 milhões+260,6%R$ 299,6 milhões-19,6%
MRV (MRVE3) IncorporaçãoR$ 1,59 bilhão+150,4%R$ 2,1 bilhões+18,4%
Plano & Plano (PLPL3)R$ 418,1 milhões-5%R$ 544,3 milhões+4%
Tenda (TEND3)R$ 759,9 milhões+54,8%R$ 964,8 milhões+57,9%

Compartilhe

BOM OU MAL?

Oncoclínicas (ONCO3) fará aumento de capital de R$ 1,5 bilhão — e executivos já ‘garantiram’ R$ 1 bilhão; ações sobem quase 20%

23 de maio de 2024 - 10:09

A empresa afirma que os recursos levantados com o aumento de capital serão destinados à melhora da posição em caixa e redução da alavancagem financeira da companhia

MAIS DINHEIRO NO BOLSO

Nvidia anuncia alta de 150% nos dividendos e desdobramento de ações após trimestre com recorde de receita e salto no lucro

22 de maio de 2024 - 18:13

Os proventos passarão de US$ 0,04 por ação para R$ 0,10 por papel ordinário. Mas, como a companhia fará um desdobramento de ações, esse valor ainda será ajustado

GIGANTE DA IA

Lucro da Nvidia salta mais de 600%, receita bate recorde e ações disparam; confira os destaques do balanço da empresa

22 de maio de 2024 - 17:36

A gigante da Inteligência Artificial conseguiu ultrapassar as projeções já elevadas dos analistas e entregou números acima do previsto

DEDO GORDO

Citigroup é multado em mais de R$ 400 milhões — e tudo por causa do potencial erro de digitação de um trader de ações 

22 de maio de 2024 - 15:27

Os reguladores do Reino Unido aplicaram uma multa combinada de 62 milhões de libras por falhas nos sistemas de negociação em maio de 2022

PRETENDENTE INSISTENTE

BHP eleva oferta de megafusão com a Anglo American para quase US$ 50 bilhões — mas proposta é rejeitada de novo

22 de maio de 2024 - 14:39

Menos de duas semanas após a segunda tentativa, a BHP aumentou a proposta de aquisição em cerca de 17%, para US$ 49,87 bilhões

NOVOS TERMOS

Petrobras (PETR4) recebe sinal verde do Cade para cancelar vendas e manter cinco refinarias no portfólio

22 de maio de 2024 - 14:16

O acordo põe fim a obrigação de alienação de oito refinarias — incluindo três unidades já vendidas — que havia sido acertada entre o Cade e a Petrobras durante a gestão de Jair Bolsonaro

FABRICANTE DE CHIPS

É hoje! Veja o que analistas esperam do balanço da Nvidia: crescimento da gigante da Inteligência Artificial perdeu vapor?

22 de maio de 2024 - 11:02

Dados consensuais da Bloomberg apontam para uma expectativa de crescimento de 400% do lucros em comparação ao trimestre imediatamente anterior

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar