🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Micaela Santos
Micaela Santos
É repórter do Seu Dinheiro. Formada pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), já passou pela Época Negócios e Canal Meio.
ESTREIAS NA BOLSA

Fim da seca? Sem IPOs há dois anos, Brasil tem perspectiva de retomada para o segundo semestre, segundo EY

De acordo com estudo da consultoria, expectativa é de que as empresas estreantes na Bolsa em 2024 sejam lucrativas e de setores tradicionais

Imagem: Shutterstock

Depois de um período de seca nos últimos dois anos, o mercado de oferta pública inicial de ações (IPO) no Brasil mostrará sinais de retomada já no segundo semestre deste ano. 

Segundo o novo estudo da EY, o Global IPO Trends Q1 2024, a perspectiva é de que as empresas estreantes na Bolsa em 2024 sejam lucrativas e de setores tradicionais. 

Por aqui, o mercado de IPOs segue sem listagem há dois anos, sendo o maior “apagão” em mais de duas décadas. O cenário é bem diferente de 2021, quando só a B3 registrou 46 IPOs.

Segundo a EY, “o mercado de IPO no Brasil está mostrando sinais de otimismo” e “crescendo em vários setores”: “Espera-se que as empresas que estrearão em 2024 sejam lucrativas e em escala de setores tradicionais”, diz o relatório. 

No entanto, esse otimismo depende da melhora no cenário econômico no país, incluindo taxas de juros mais baixas — razão pela qual muitas empresas acabaram adiando os planos de IPO. 

Nas Américas, (EUA, Canadá, México, Brasil, Chile, Colômbia, Peru, Argentina, Porto Rico, Bermudas, Equador e Jamaica) os EUA lideram as estreias neste primeiro trimestre, com 49 IPOs. O Canadá aparece em segundo lugar, com 3. 

Com isso, foram 52 ofertas públicas na região e uma movimentação de US$ 8,4 bilhões. O número representa 18% dos IPOs globais e 36% das receitas arrecadadas. 

Número de IPOs caem, mas receita cresce

Globalmente, a quantidade de ofertas de ações caiu 7% no primeiro trimestre. Foram 287 IPOs em todo o mundo, abaixo dos 307 registrados no mesmo período do ano passado. Por outro lado, a receita com IPOs cresceu 7%, de US$ 22,1 bilhões para US$ 23,7 bilhões. 

Os setores industrial (80%), de consumo (63% e de tecnologia (70%) foram os destaques. 

Parte dessa queda é motivada principalmente pela baixa na Ásia-Pacífico, segundo a consultoria. A região teve uma redução de 34% na quantidade de ofertas públicas e de 56% em receita. 

Por lá, houve uma “condição desfavorável do mercado por causa da baixa liquidez, do aumento da saída de capitais, de uma parada temporária de IPOs na China Continental e de um ambiente de taxa de juros elevada em Hong Kong”, afirma o estudo da EY. 

Ainda assim, a região da Ásia-Pacífico representa 42% dos IPOs globalmente e 24% das receitas arrecadadas. A Índia teve o maior número, com 79 ofertas só no primeiro trimestre. 

Já na Europa, Oriente Médio e África, o crescimento foi de 40% na quantidade de ofertas públicas e de 58% em volume arrecadado, totalizando 116 IPOs e US$ 9,5 bilhões no primeiro trimestre de 2024. 

Desafios

George Chan, líder global de IPOs da EY, afirma no estudo que as empresas no mercado de IPO estão entrando em um “território desconhecido”. 

Segundo ele, as candidatas a estreantes na Bolsa são influenciadas pela recente mudança na preferência dos investidores por lucratividade em um cenário alterado de taxas de juros. 

Além disso, diversos setores são impactados no mundo pelas tensões geopolíticas e a crescente demanda e corrida pela inteligência artificial. 

“Para ter sucesso neste ambiente em mudança, as perspectivas de IPO devem permanecer flexíveis e preparadas para aproveitar o momento certo para sua estreia pública”, afirma.

Compartilhe

UMA DÉCADA DEPOIS…

Qualicorp (QUAL3) anuncia acordo de leniência de até R$ 43,5 milhões — e pode exonerar culpa do fundador em investigações de caixa 2 em 2014

20 de julho de 2024 - 16:27

O conselho de administração da empresa aprovou um acordo de leniência para colocar fim às investigações nas Operações Paralelo 23 e Triuno

SEGUNDA CHANCE

Agora vai? Após tentativa frustrada pela B3, Kora Saúde (KRSA3) fará nova assembleia para votar saída do Novo Mercado

19 de julho de 2024 - 19:20

A AGE acontecerá no final este mês depois de ter sido adiada por falta de quórum com acionistas barrados pela dona da bolsa brasileira

RESSARCIMENTO PARA A ESTATAL

Por que a Petrobras (PETR4) vai receber um ‘reembolso’ de R$ 2,2 bilhões de outras empresas do setor de petróleo

19 de julho de 2024 - 18:47

O ressarcimento está ligado a um acordo de quase R$ 20 bilhões fechado com a Receita Federal para encerrar pendências com o Carf

SINAL VERDE

Segue o jogo: Presidente do STF nega pedido do PT e mantém processo de privatização da Sabesp (SBSP3); entenda os argumentos dos partidos

19 de julho de 2024 - 17:56

Para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, supostas ilegalidades no processo dependem de provas

APOIO À EXPORTAÇÃO

“Embraer não existiria sem o BNDES”: Fabricante de aeronaves recebe novo financiamento de R$ 4,5 bilhões — veja o que a empresa quer fazer com o dinheiro

19 de julho de 2024 - 15:56

A operação de crédito será realizada por meio do BNDES Exim Pós-embarque, linha de crédito direto do banco para comercialização de bens nacionais destinados à exportação

Apoio federal

CCR faz emissão bilionária para obras na Dutra e na Rio-Santos garantida por banco estatal; veja qual

19 de julho de 2024 - 15:10

Segundo a companhia, investimento em duas rodovias soma R$ 15,5 bilhões; parte será bancada pelos R$ 9,4 bilhões em debêntures

SD ENTREVISTA

CEO da Techfin, parceria entre Totvs (TOTS4) e Itaú (ITUB4), aposta em conta digital B2B para concorrer com bancos no segmento PME

19 de julho de 2024 - 14:01

Para Eduardo Neubern, existe uma demanda não atendida no dia a dia das pequenas e médias empresas: uma conta digital integrada às necessidades de pagamento e recebimento

RELEMBRE O CASO

Fantasma de investigação de cartel volta para assombrar a Tegma (TGMA3) após cinco anos e banco de investimentos rebaixa recomendação das ações; entenda

19 de julho de 2024 - 11:29

O mercado repercute a notícia de que o Cade instaurou um processo administrativo contra a companhia que é fruto de uma investigação de 2019

Oferta de ações

Eletrobras embolsa R$ 2,185 bilhões com oferta de ações da controlada CTEEP

19 de julho de 2024 - 10:38

Somando o lote inicial e parte do suplementar, foram vendidas 93 milhões de ações PN da CTEEP

CÉU DE BRIGADEIRO

Embraer (EMBR3) lidera ganhos do Ibovespa após anunciar mais um recorde na carteira de pedidos do 2T24. O que esperar da ação?

19 de julho de 2024 - 10:01

A fabricante brasileira de aeronaves entregou 47 jatos entre abril e junho de 2024, um aumento de 88% em relação ao trimestre imediatamente anterior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar