🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
NAS ALTURAS

Dólar a R$ 5,20: os motivos por trás da forte alta da moeda norte-americana hoje

Mais cedo, o dólar à vista atingiu máxima a R$ 5,2138, com alta de 1,16%, de olho na política monetária dos Estados Unidos e fiscal do Brasil

Liliane de Lima
29 de maio de 2024
16:08 - atualizado às 17:03
Cédulas de real e dólar
Cédulas de real e dólar - Imagem: Barbara Cosme/Shutterstock

A véspera do feriado poderia ser uma boa data para quem deseja aproveitar alguns dias no exterior. Mas quem deixou para comprar dólares na última hora, a cotação não é convidativa para viagens internacionais. 

Mais cedo, o dólar à vista atingiu máxima a R$ 5,2138, com alta de 1,16%. A moeda norte-americana terminou o dia a R$ 5,2084, com avanço de 1,06%. 

O indicador DXY, que compara o dólar a uma cesta de seis divisas globais como euro e libra, avançou 0,49%, aos 105.128 pontos.

O principal motivo para a alta da moeda norte-americana é a escalada dos rendimentos (yields) dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (Treasurys), ou seja, os juros projetados para a dívida do governo norte-americano. 

Nesta quarta-feira (29), os Treasurys de 10 anos atingiram 4,6%, no nível mais alto desde o início de maio. Já os juros projetados para 30 anos, que são referência para o mercado de hipotecas norte-americano, operam em alta de 4,738% — próximo, portanto, da marca psicológica de 5%. 

Mas a culpa não é só dos Treasurys. Além das incertezas sobre a trajetória dos juros nos Estados Unidos, a divulgação de novos dados econômicos locais também aumentou a aversão ao risco dos investidores — que pode indicar também a proximidade do fim do ciclo de cortes na taxa básica de juros brasileira, a Selic.

E, nesse caso, a busca por dólares é uma forma de “proteção”. 

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), considerado a inflação do aluguel, avançou a 0,89% em maio, após alta de 0,31% em abril, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado veio acima do ganho de 0,84% esperado pelo mercado.

No ano, a inflação do aluguel acumula alta de 0,28%.

Outro dado importante divulgado hoje foi a taxa de desemprego, que caiu de 7,9% para 7,5% no trimestre encerrado em abril, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou abaixo da mediana das estimativas de analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que projetavam a taxa de desemprego a 7,7%.

“A força do mercado de trabalho mostra que, embora os juros estejam elevados, a atividade econômica segue relativamente bem, o que também acaba sendo um ponto importante para as percepções do Banco Central”, afirma relatório do Banco Master. 

Por fim, há também uma pressão de um movimento técnico antecipado sobre o real, com a liquidez do mercado local reduzida por conta do feriado de Corpus Christi, que coincide com o fim do mês de maio. Siga os mercados.

Por que os Treasurys mexem com o dólar? 

Em linhas gerais, os Treasurys são considerados o investimento mais seguro do mundo, pelo fato de o governo dos EUA nunca ter dado calote na história e ainda ser o emissor da moeda — no caso, o dólar. 

Assim como os títulos do Tesouro brasileiro, os Treasurys possuem diferentes vencimentos, sendo os mais relevantes os de 2, 10 e 30 anos.

Ou seja, ao comprar Treasurys o investidor empresta dinheiro para o governo dos Estados Unidos, com a perspectiva de receber algum retorno financeiro nesses períodos, dada uma taxa negociada diariamente.

Essas taxas, também chamadas de yields (rendimentos) variam de acordo com a perspectiva dos investidores para a trajetória da taxa de juros da maior economia do planeta. Vale lembrar que a faixa atual dos juros está entre 5,25% e 5,50% ao ano. 

Sendo assim, o juro norte-americano ajuda a estabelecer o valor do dólar no mercado internacional — o que pode ser considerado também como custo de oportunidade de investimento em dólar. 

Compartilhe

APOSTAS PARA O CÂMBIO

O dólar não vai mais cair? Alckmin diz que governo tem “absoluta confiança” sobre a trajetória da moeda norte-americana

13 de junho de 2024 - 17:52

O presidente em exercício falou sobre o tema um dia após a moeda americana ter ultrapassado a cotação de R$ 5,40 pela primeira vez desde janeiro de 2023

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Dólar fecha próximo da mínima intraday com rescaldo de Haddad sobre fiscal; Ibovespa sustenta os 119 mil pontos

13 de junho de 2024 - 17:17

RESUMO DO DIA: O cenário fiscal roubou a cena mais um vez no mercado acionário brasileiro. Se ontem foram as falas do presidente Lula que aumentaram a aversão ao risco, hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ficou encarregado de ‘reduzir os danos’. Apesar dos esforços do ministro, o Ibovespa não deixou o tom negativo. […]

CAI, CAI

Fuga dos investidores? Como a B3 contribuiu para a forte queda do Ibovespa em maio; ações B3SA3 recuam 

13 de junho de 2024 - 15:59

A dona da bolsa registrou volume médio diário de negociações 8,8% menor em maio na comparação anual; Goldman Sachs mantém a recomendação

PROTEÇÃO NA CARTEIRA

O dólar já subiu 10% em 2024: essas são as 5 ações para lucrar com o real fraco, segundo o BTG Pactual

13 de junho de 2024 - 14:28

Os analistas também escolheram cinco papéis para ficar longe em meio à disparada da moeda norte-americana neste ano — duas aéreas integram essa lista

STF DECIDIU

Fim do impasse sobre remuneração do FGTS deve beneficiar as ações de construtoras de baixa renda — e o BTG Pactual diz qual é a sua favorita no segmento

13 de junho de 2024 - 13:01

Vale relembrar que o fundo é uma de suas principais fontes de recursos para o setor imobiliário

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Fed mantém juros inalterados pela sétima vez consecutiva e dólar sobe a R$ 5,40; Ibovespa cai 1% de olho no fiscal

12 de junho de 2024 - 17:21

RESUMO DO DIA: Se enganou quem achou que a decisão dos juros nos Estados Unidos seria o único destaque do dia. O cenário fiscal doméstico roubou a cena e o Ibovespa voltou ao território negativo. O principal índice da bolsa brasileira fechou em baixa de 1,40%, aos 119.936 pontos, renovando a mínima do ano e […]

FECHAMENTO DOS EUA

Inflação e juros: o combo que fez o S&P 500 e o Nasdaq saltarem para um outro recorde intradiário

12 de junho de 2024 - 17:06

De um lado, o CPI de maio veio melhor do que as projeções. De outro, o Fed manteve a taxa de juros inalterada e reduziu para um o número de cortes neste ano

REPORTAGEM ESPECIAL

Exclusivo: Controladores da Méliuz (CASH3) montam posição em opções com ações da empresa, que quer apertar “pílula de veneno”

12 de junho de 2024 - 15:22

Ações da Méliuz (CASH3) dispararam mais de 15% após empresa divulgar que pessoas ligadas ao controle “venderam opções de venda” de ações da companhia

OPERAÇÃO GREENWASHING

Como uma operação da polícia federal deve afetar os dividendos de dois fiagros com mais de 40 mil cotistas

12 de junho de 2024 - 13:26

Os proventos do AZ Quest Sole (AAZQ11) e do AZ Quest negociado na Cetip, devem ser afetados pelos desdobramentos de uma operação deflagrada na semana passada

TERREMOTO NO MERCADO

Dólar dispara a R$ 5,42 e Ibovespa atinge menor nível em um ano: o que Lula tem a ver com isso?

12 de junho de 2024 - 12:35

Declarações do presidente da República suscitaram mais preocupações sobre o cenário fiscal; mercado vê enfraquecimento de Haddad

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar