🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MELHORA ECONÔMICA?

Selic ainda não baixou, mas o novo arcabouço fiscal já reduziu os juros de mercado, diz Campos Neto

Dentro do tema das expectativas, Campos Neto disse que a possibilidade de alteração na meta de inflação ainda precisa ser resolvida

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que lidera a autarquia na lei de criptomoedas
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que lidera a autarquia na lei de criptomoedas - Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A aprovação do arcabouço fiscal na Câmara dos Deputados já começou a surtir alguns efeitos nas expectativas de inflação. Nesta quinta-feira (25), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou a desaceleração dos preços em maio — o que aliviou a pressão sobre os juros futuros.

Em entrevista à GloboNews, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) veio de fato melhor, com uma grande surpresa em vestuário e núcleos um pouco melhores.

O IPCA-15 caiu de 0,57% em abril para 0,51% em maio. O resultado veio aquém do esperado pelo mercado, que previa alta de 0,65%, de acordo com a mediana do Projeções Broadcast.

"A inflação tem melhorado em um ritmo lento", disse Campos Neto. O presidente da autarquia afirmou, porém, que apesar da desinflação mais lenta há sinais positivos à frente.

Os juros vão cair?

Campos Neto afirmou que a votação do arcabouço fiscal na Câmara dos Deputados foi "estrondosa" e destacou que ao longo do "processo" os juros longos já caíram "bastante".

Isso porque, em linhas gerais, a percepção de que as contas públicas se manterão relativamente equilibradas nos próximos anos reduziu as apostas dos investidores de que a taxa básica de juros — a Selic — precisará ficar muito elevada.

Mas, questionado sobre se a queda da taxa Selic era uma questão de quando, o presidente do BC desconversou e repetiu que é apenas um voto de nove no colegiado.

Campos Neto reforçou que a autarquia toma decisões observando a inflação corrente, a capacidade da economia crescer sem inflação e as expectativas inflacionárias.

Ele disse que não existe relação mecânica entre a apresentação do arcabouço e a política monetária. Contudo, Campos Neto afirmou que a nova regra fiscal tem poder de influenciar a expectativa de inflação futura — o que elimina o temor ao risco da inflação sair de controle.

"O arcabouço deixa claro que esse medo não existe mais, eliminou os riscos de cauda e o mercado já está reconhecendo isso, as taxas de juros longas estão caindo", disse. "Qualquer tipo de reforma ajuda."

Na sequência, Campos Neto declarou que o Congresso — em sua análise, super mobilizado e reformista — está passando a mensagem correta no sentido de ajudar o trabalho do BC.

Ele, porém, reiterou que a autarquia tem um timing e precisa esperar para ver como o arcabouço vai se transformar em melhora de expectativa.

VEJA TAMBÉM — “A Bet365 travou meu dinheiro!”: este caso pode colocar o site de apostas na justiça; entenda o motivo

E vai ter mudança na meta da inflação?

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que acredita que o tema da meta de inflação será endereçado em breve.

Em entrevista à GloboNews, Campos Neto afirmou que não tem como adiantar quando os juros vão começar a cair, porque essa é uma decisão de colegiado. "Sou um voto de nove", disse em referência ao Comitê de Política Monetária (Copom).

O presidente do BC reiterou que a autarquia acompanha três vetores para a decisão: inflação no curto prazo, a capacidade do País crescer sem gerar inflação e a expectativa de inflação.

Campos Neto ainda citou uma conversa que teve com o ex-presidente do Banco Central da Argentina, Federico Sturzenegger, sobre a mudança de meta que ocorreu no país — que tinha o objetivo era gerar flexibilidade, mas "saiu tudo do controle".

"O período é de incerteza. O ideal seria não fazer nenhuma modificação em meta", afirmou. O presidente do BC também disse que a autarquia fez algum tempo sobre a possibilidade de meta contínua, que mostrava a alguma ineficiência no sistema de ano-calendário.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Compartilhe

MP da Compensação

Senado avalia usar Imposto de Renda, repatriação e dinheiro esquecido para compensar a desoneração da folha

12 de junho de 2024 - 12:03

Uma das fontes avaliadas pelo Senado para compensar desoneração é a taxação de compras internacionais

AI MINHAS COMPRINHAS

Câmara aprova lei que taxa compras internacionais de varejistas como Shein, AliExpress e Shopee. Lula vai vetar?

12 de junho de 2024 - 10:08

A alíquota de 20% sobre o e-commerce estrangeiro foi um “meio-termo” e substituiu a ideia inicial de aplicar uma cobrança de 60% sobre mercadorias que vêm do exterior

LOTERIAS

Lotofácil faz novos milionários pelo Brasil enquanto Mega-Sena acumula e Caixa recebe apostas exclusivas para a Quina de São João

12 de junho de 2024 - 5:53

Se o prêmio acumulado da Mega-Sena rapidamente atingiu a marca de R$ 40 milhões, a Lotofácil teve 3 ganhadores, mas fez apenas 2 novos milionários

MP da Compensação

Pacheco devolve MP do PIS/Cofins e impõe derrota ao governo Lula

11 de junho de 2024 - 19:03

Presidente do Senado diz que MP descumpre princípio de anterioridade para questões tributárias

Leilão polêmico

O que levou o governo Lula a cancelar o leilão para compra de arroz importado?

11 de junho de 2024 - 16:32

Segundo o governo, anulação se deu por falta de capacidade financeira das empresas em honrar os compromissos

NÃO É PRA JÁ

Inflação acelera em maio e agora é improvável que o Copom volte a cortar os juros tão cedo

11 de junho de 2024 - 12:36

A inflação acelerou a +0,46% na passagem de abril para maio; no acumulado em 12 meses, o IPCA subiu depois de sete meses seguidos de desaceleração

CRISE FISCAL

O governo não vai cumprir a meta de déficit zero — e isso traz uma notícia boa e outra ruim, segundo economista-chefe do BTG Pactual

11 de junho de 2024 - 12:00

Para Mansueto Almeida, nem tudo ainda está perdido do lado fiscal. Ele também disse quando acredita que o Ibovespa pode voltar a subir

HISTÓRIA (DO) REAL

O dia em que Plano Real quase foi pelo ralo: um relato de Gustavo Franco

11 de junho de 2024 - 6:27

Durante evento realizado na semana passada em SP, Gustavo Franco contou os motivos que deixaram o Plano Real por um fio antes mesmo de seu lançamento

CAIU NA CONTA?

Faz um Pix: Meio de pagamento alcança novo recorde, diz Banco Central — após disparada de popularidade em 2023

10 de junho de 2024 - 14:21

Em 48 horas, mais de 400 milhões de transações foram realizadas com o sistema de pagamentos entre quinta (6) e sexta-feira (7)

Desoneração da Folha

Haddad descarta repasse aos preços dos custos da MP do PIS/Cofins; setor de combustíveis calcula reajuste

10 de junho de 2024 - 13:33

O ministro avalia que os custos da compensação dos tributos teve alta elevada, e que deve haver problemas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar